terça-feira, dezembro 19, 2006

Edição Especial - MUNDIAL - Ano 0, Número 2

UMA CIDADE; DOIS CAMPEÕES DO MUNDO

Sim! É chegado o momento o qual nenhum de nós, gremistas, gostaria que acontecesse. Eles merecidamente conquistaram o Mundial de Clubes. Esquecendo-se do passado de firulas, jogaram a Grêmio: defesa forte, estocada, um a zero, goleada, faixa no peito, bicho no bolso e taça no armário. Anos aprendendo com o irmão mais velho, um dia, o caçula iria atingir a maioridade. Levaram 97 anos, mas tudo bem; a vida deve começar aos noventa, mesmo!

Positivamente - há pontos positivos nisso -, Porto Alegre consolida-se como pólo futebolístico mundial. Além disso, em todos os jornais de outros países que cobriram a façanha do co-irmão, o nome do Grêmio sempre esteve presente. Confirma-se, assim, a tese de que sempre onde um está, o outro está também. É impossível dissociar um do outro.

Hoje não me alongarei nos comentários porque a festa é deles. Voltaremos ano que vem com força total. É ano de Gauchão, Libertadores e Brasileiro. Três competições duras e difíceis e que nos exigirão ao máximo. Este ano, provamos que estamos vivos e que podemos derrotar qualquer um; inclusive o Campeão Mundial na casa deles! O nosso Salão de Festas ficou ainda mais charmoso. O ano promete!

Feliz Natal e um ótimo 2007 a todos.

Saludos de un Libertador de América,
Paulo Roberto Sanchotene

DONO DO MUNDO!

O Colorado esteve perfeito em terras do sol nascente. Foi peleador do início ao fim, mas também soube jogar bola. Depois de um primeiro tempo de esforço e muita marcação, voltamos para a segunda etapa e logo se viu que fisicamente o Colorado estava em muito melhores condições. O Internacional foi tomando conta das ações a partir dos 15 minutos finais e o gol de Adriano, numa jogada primorosa, fechou com chave de ouro uma temporada de planejamento e ótimas ações dentro e fora das quatro linhas.

O DESTAQUE
Ceará foi destaque não só na final de Yokohama, quando marcou o até então melhor do mundo Ronaldo Miguelina. Jogador sempre contestado, teve personalidade e persistência e acabou assumindo a titularidade da equipe com a lesão de Elder Granja (de quem nunca gostei, por ser um improviso na posição). Foi um dos jogadores mais regulares do Internacional na temporada (ao lado de Fabiano Eller) e, por isso, merece minha especial homenagem.

UMA MURALHA
A defesa do Internacional foi o ponto alto da equipe na temporada. Com o general Bolivar ao lado de Eller conquistamos a América; e para conquistar o mundo, contamos com a garra pampeana de Índio. Nas partidas em que entrou Ediglê não sentimos diferença. À frente da zaga, a dupla Edinho e Wellington Amorim sempre foi sinônimo de marcação forte e primeiro combate severo. Nas laterais o elementar, marcadores fortes que apoiam na segurança. Independente dos nomes, o que prevaleceu foi o sistema defensivo, sempre concatenado e sincronizado. A defesa do Internacional foi uma muralha!

ABEL BRAGA
Abelão passou o ano abaixo de críticas, inclusive minhas, especialmente no que se refere à parte técnica (escalações e alterações da equipe durante o jogo). Mas não há como negar o seu talento como treinador (na literalidade da expressão - preparação do time em treinos). Demonstrou convicção ao firmar Ceará na direita e Edinho de primeiro volante. Indicou um zagueiro (Eller) que chegou com desconfiança geral e terminou a temporada como ídolo; ao seu lado colocou Bolivar, até então um atleta que figurava na lista de dispensáveis, demonstrando conhecimento. Deu chance e acreditou nas crias do Celeiro de Ases. Abel foi fundamental nas conquistas Coloradas em 2006.

A NAÇÃO
Nos bons momentos, nos momentos mais complicados. O time do Internacional sempre contou com uma legião de torcedores por onde andou, como manda nossa tradição aliás. E no Japão não foi diferente. Quem acompanhou os jogos de Toquio e Yokohama ouviu sempre ao fundo da transmissão o grito insistente da Nação Colorada. "VAMO INTER! VAMO INTER! VAMO INTER!". Vida longa A MAIOR TORCIDA DO RIO GRANDE.

FERNANDO CARVALHO
É claro que não poderia deixar de registrar a importância do Presidente esta caminhada vencedora. Em 5 anos, Carvalho transformou o Internacional administrativa, financeira e esportivamente. O Colorado hoje é exemplo para o mundo; temos um estádio renovado e em condições, inclusive, de figurar entre as sedes da Copa de 2014 que se avizinha; contamos com mais de 45.000 sócios; um plantel de jogadores campeões do mundo. Carvalho é reconhecido não só pela mídia gaúcha, mas também do Eixo, como um dirigente moderno, perspicaz, ponderado e inteligente. O que mais se poderia exigir de um administrador ?

OS DEVANEIOS DA VIZINHANÇA
Olha tchê, o que leio aqui ao lado, realmente, representa bem demais o tipo de gente com quem lidamos aqui nos pagos. Não encontro justificativa para os escritos e cantos em "espanyol"; ou será que a azenha fica na argentina ?
Que mundial é esse que o vizinho afirma ter ? O sítio da FIFA informa que apenas Corinthians, Sao Paulo e, agora, o nosso Glorioso Internacional possuem tal façanha.
Mas uma coisa preciso reconhecer. Neste retorno da coluna CLASSICO, o vizinho apresentou uma postura bem modesta e livre daquela soberba que tanto destilava. Nada como uma temporada pela SEGUNDA DIVISÃO...

Saudações Coloradas, do Dono do Mundo,
Luiz Portinho

4 comentários:

Paulo Roberto T. Sanchotene disse...

1°) Gostaria que o provasse um momento de sobreba meu, senhor "Eu-Nunca-Caí-Para-A-Segundona-Logo-Sou-Um-Ser-Superior-E-Não-Me-Misturo-Com-Gentalha"!
2°) No saite da Fifa consta a relação de todos os campeões mundias da História: http://www.fifa.com/en/comp/Clubworld/tournament/0,4133,CWC-2006-105,00.html. O texto introdutório diz que "desde o primeiro duelo entre campeões continentais em 1960, 26 clubes podem exibir a cora de campeões do mundo em sua sala de troféus". O Internacional é o 27°.
3°) A Geral do Grêmio é tão boa que a Popular do Inter surgiu inspirada nela. Se a nossa torcida é cópia, a de vocês é cópia da cópia.
4°) Isso aqui está pegando fogo!

Anônimo disse...

Hola, soy esteban de Córdoba.

Una cosita bien inportante a dizer;

Si hoje fútbol de sul de brazil es alguna cosita, es por ter en grupo, a verdadeira racha que són uno jogador argentino tien.
La verdad es que fútbol de sul de brazil si tornou muy depiendiente de craques argentinos.
Si alguns brasileños de clubitos de sul de brazil tentan copiar a verdadeira racha de um craque argentino, es so tentativa.
a superioridad de un craque argentino en relacion a jogadores de brazil es muy grand.
acá inprensa tien abordado asunto que fala sobre depediencia de clubes de sul de brazil por craques argentinos.
una cosita es cierta, clubes argentinos no tien interese en jgadores brasileños, porque no tien racha e abilidad no es más a miesma.

saluto

Esteban Crustille
Córdoba-Argentina

Carlos Henrique Silva de disse...

Caro Luiz P.

O Mundial esse quem nós afirmamos ter, na qual tu mencionou no teu comentário... só pra lembrar... Houve um GRENAL para colocação de faixas de CAMPEÃO MUNDIAL, vencido pelo Grêmio e o co-irmão, apo´s o jogo, colocou as referidas faixas nos atletas do Imortal Tricolor... Basta isso pra ti? Esse reconhecimento explícito do teu clube???
Sdçs Tricolores!!!
Grêmio Campeão de Tudo!!!
Carlos Henrique

jo disse...

FIFA WORD CUP !ISTO NÃO É PRA QUEM FREQUENTA A SEGUNDONA 2 VEZES SENDO QUE UMA SUBIU NO TAPETE EM NONO ,CONCORDAS?