segunda-feira, março 03, 2008

ANO II - NÚMERO 59


CALMA, MUITA CALMA!

Primeira fase da Copa Brasil e etapa classificatória do Campeonato Gaúcho são perigosíssimas para análises. Setores da imprensa já falam em “carrossel colorado”, após as ótimas vitórias contra Nacional de Patos e Guarany de Bagé. Dizem que o Internacional não tem sistema definido do meio para frente e que a troca de posições dos meias e atacantes perturba os adversários. Calma, muita calma! É verdade que fazer o dever de casa, nessas fases, é importante. Vencer e convencer dá confiança ao grupo. Mas é preciso manter os pés no chão. Devagar com o andor que o santo é de barro.


CORREÇÕES I

Sigo afirmando que nosso sistema defensivo não é confiável. Contra uma equipe que tenha um ataque mediano, as coisas vão se complicar com este malfadado 3-5-2. Já falei e volto a dizer, os flancos defensivos são desprotegidos e os 3 zagueiros, atuando em linha, são vulneráveis contra atacantes rápidos.


CORREÇÕES II

A meia cancha, por seu turno, é composta por 4 volantes de ofício. O que para muitos é um carrossel, com troca de posições, para mim nada mais é do que uma absurda sobreposição de funções no meio de campo. Incluir F. Bustos na direita e buscar a contratação de um lateral esquerdo de ofício e com qualidades são passos fundamentais se quisermos sonhar com o título nacional.


SELEÇÃO

Na última semana pedi uma oportunidade para Alex na seleção de Dunga e fui alvo de críticas; fui taxado de sonhador, para não dizer coisas piores. Pois bem, veio outra rodada do Regional e mais uma atuação de gala do meia. Alex está jogando solto e ganhou muita confiança. Eu só queria saber quem vai nos indenizar os dias em que tivemos de vê-lo sub-atuando pela lateral.


CELEIRO I

Guto está ingressando na equipe nos 15 ou 20 minutos finais e vem dando belas contribuições. Anotou o gol oportunista, numa cabeçada certeira, que garantiu o empate em Ijuí e, domingo, cavou uma penalidade, demonstrando que possui, além de técnica, malandragem. O Internacional acerta, é assim que se forma um bom jogador. É preciso lapidar os diamantes.


CELEIRO II

E nestes últimos cinco anos o Internacional tem demonstrado que é uma verdadeira mina de diamantes. Nilmar, D.Carvalho, Pato Alexandre e outros menos cotados foram preparados e tiveram de ultrapassar todas as fases antes de ingressar e brilhar no time principal. As atuações de Renan, por exemplo, estão demonstrando que foi importante para o mesmo ficar o ano de 2007 na suplência de Clemer. É impressionante a segurança que nosso arqueiro demonstra. Não é a toa que temos a defesa menos vazada do certame.


CELEIRO III

O caso de Sidnei também merece análise. A princípio, fiquei chateado com a sua retirada da equipe para o retorno de Índio. Mas, melhor examinando, parece-me que acerta o futebol Colorado. Sidnei é jovem e tem muita estrada pela frente. Ingressou na equipe e, mesmo com algumas falhas, demonstrou que pode se tornar até mesmo no camisa 3 da seleção brasileira. A reserva lhe fará bem.


CELEIRO IV

E volto a falar em Alex. Esse também foi devidamente esculpido aqui no Beira-Rio. Para quem não lembra, Alex foi contratado junto ao Guarani de Campinas, em 2001/2002, com não mais do que 18 anos. Foi uma aposta de F. Carvalho, que recebeu críticas, à época, pelo alto valor pago na contratação (aproximadamente R$ 1 milhão). De desconhecido passou a peça fundamental na meia cancha Campeã da América e do Mundo.


RÁPIDAS

Publiquei, em meu sítio pessoal, outra crônica da Série "João Sem Medo". Dessa vez, no artigo "Os Números", ele fez interessante abordagem a respeito dos sistemas de jogo. Clique aqui para conferir.

Inter de Santa Maria não sai da nossa cola.

São Luiz de Ijuí enfiou merecidos 4x0 no Juventude. Pau na filial!!!

No grupo do Portoalegrense, pelo que se viu, só tem baba.

ULBRA fraquíssima, Santa Cruz limitado, Esportivo sem recursos e o Caxias muito aquém de sua tradição. O outrora competitivo 15 de Campo Bom ruma ladeira abaixo para a Segunda Divisão.

L. Gaciba, mais uma vez, operou o Internacional. Desta vez este senhor não conseguiu impedir a vitória do Colorado, como andou fazendo em gNAIS do início do século; mas deixou de anotar uma penalidade máxima de concurso cometida sobre Alex.

Segundona do Gauchão teve início neste final de semana. Por lá estão agremiações de tradição recente como o Pelotas, São Gabriel, Guarani de Venâncio Aires e São José de Cachoeira.

Compramos os 50% restantes do passe de Valter ‘Claudiomiro’ junto ao Zequinha. Esse promete!

Fernandão, mesmo não atuando, por complicações estomacais, assistiu toda a partida em Bagé, no banco de reservas, fardado de abrigo rubro. Profissionalismo exemplar!

M. Menezes é filho de Valdívia.

V. Piffero concedeu entrevista no final de semana e informou que até agosto as obras de remodelação do GIGANTE DA BEIRA-RIO terão início.

E a tua Arena hein vizinho ? Tu ainda segue brincando de maquete ?

Roger Secco e E. Perea. Pobre vizinhança!

A Copa Brasil tem momentos de glamour. O passeio do Jaciara a Porto Alegre só encontra precedente no episódio em que um time de índios do mato grosso viajou 3.500 Km de ônibus, apanhou do time do vizinho e o colocou de volta na primeira divisão (por debaixo da mesa com outros 11 clubes); e, depois da sumanta, os índios voltaram de avião para o pantanal. Lindo!

Saudações rubras, do MULTICAMPEÃO MUNDIAL, INTEGRANTE DO G6 e DETENTOR DA TRÍPLICE COROA MUNDIAL.

Luiz ‘Muhammed Bin’ Portinho – lcportinho@yahoo.com.br




AOS POUCOS, O TIME SE ACERTA


Retirada a incompreensível contratação e despedida de Mancini (sim, ainda está quente demais para ser deixada de lado), o ano segue como previsto nesta coluna. O time, com o passar dos jogos e entrada dos reforços, entrosa-se e aprimora-se; as peças começam a conhecer-se ao mesmo tempo em que melhoram o condicionamento e ritmo-de-jogo. Com isso, o que se vê é uma equipe cada vez mais sólida, organizada e com boa chegada à frente.

Seremos a melhor equipe do mundo daqui a alguns meses, então?! Longe disso. Nossa potencialidade tem limites e ela já está chegando ao fim. Acho que a equipe ainda pode melhorar, mas não se tornará uma patrola. Ao fim e ao cabo, teremos um time competitivo, peleador e que honrará a camisa do clube a cada jogo. São boas as chances de conquistarmos algum título, mas, se eles não vierem, será por detalhe; não por um trabalho mal feito.

Ao grupo, falta profundidade. O talento do onze titular é incomparavelmente superior aos reservas. Assim, o decorrer da temporada nos trará problemas inevitavelmente. Ainda faltam peças na defesa, pois nossa zaga não inspira total confiança. A direção sabe disso e busca a contratação de mais um central. Nosso meio-campo segue demasiadamente faceiro (lembram as queixas de Mancini quanto à contratação de um 3º homem pegador?!), mas a entrada de Hidalgo permitirá a troca de esquema, para um 3-5-2, que compense essa falta de pegada.

Enfim, temos o time possível, não o que desejamos. Todavia, ele vem prometendo. 2008 será, no mínimo, um bom ano.

Jaciara
Quem diria que fazer a segunda partida contra o Jaciara seria tão positivo?! Justo a partida que determinou a despedida de Mancini...

Wianey Carlet
No dia 3 de março, o colunista de Zero Hora, em seu blogue, escreveu que “[o] esquema tático gremista não se modificou com a troca de treinador. Continuam sendo dois volantes, dois meias e dois atacantes. O posicionamento das peças e a organização da equipe é que estão diferentes”. O que ele esqueceu de dizer é que as peças também são diferentes. Mudaram metade dos jogadores e Roger começa a entrar em forma. Isso faz toda a diferença.


Além disso, Mancini cansou de dizer que William estava muito afoito e que não era para subir sempre, quer dizer, ele queria que o segundo homem ficasse mais atrás. Lucas era um que subia demasiadamente ao ataque e, aos poucos, aprendeu a ir na boa, a transformar-se em surpresa. William segue pelo mesmo caminho; contudo, não vejo o dedo de Roth aí.

Para mim, cada vez mais Roth prova que Mancini estava no caminho certo.

Celso Roth
Ao contrário de muitos torcedores do Grêmio e do que possam parecer meus comentários, eu gosto do trabalho do Celso Roth. Ele entende de futebol, não inventa, monta seus times com as peças que tem de maneira simples e equilibrada. Seu defeito está em cobrar 110% de esforço de seus atletas o tempo todo. Isso gera desgaste, estresse e atrito. Acaba que os jogadores sempre caem de rendimento ao final de uma longa seqüência e o time definha. Isso não é privilégio dele no entanto, basta lembrar o Grêmio de Tite em 2001 e o de Mano no ano passado. Tenho total confiança que Celso fará um bom trabalho no Olímpico, principalmente se tiver aprendido a dosar o trabalho dos atletas.

Vizinho
Com o time do vizinho passando por cima de todas as babas que vê pela frente, sendo líder de seu grupo, estando na outra chave da Copa do Brasil e sem nenhum Gre-Nal marcado a não ser em final de junho, fica difícil provocá-lo. Registro, pois, meus parabéns pela atual campanha e aviso que o Coloradinho santa-mariense está à espreita de qualquer tropeço (a última rodada prevê o confronto direto). Se o Grêmio confirmar sua liderança e os macacos resolverem terminar em segundo, acabou-se o sonho de uma final com clássico. O que, aliás, tornou-se exceção, e não regra, nos últimos anos.


Saudações Imortais,
Paulo Roberto Tellechea Sanchotene - sancho.brasil@gmail.com

11 comentários:

Ricardo A. - Colorado em SP disse...

portinho escreverei a mesma coisa que no meu blog, estamos em um 3.5.2 mutante ou um 4.4.2 geneticamente modificado. Pois o esquema não é nem um nem outro, pois o posicionamento do Marcão varia conforme o jogo, bem como o posicionamento do ataque.
Ao invés de tentarmos definir o esquema acho que temos de entender que com a entrada do Sorondo, no lugar do Lulu Orozco Santos e do Nilmar no lugar do velhinho aperreado, teremos um time muito mais ajustado e talvez todas estas dúvidas que todos temem possam se esvair e termos mais fé no ano de 2008.

gerson sicca disse...

Tb quero ver como o time vai jogar qdo a coisa engrossar. Contra o Juventude, sem Alex e Guiñazu e com Jonas e Ramón o time foi uma baba. E não confio muito não na defesa.
A imprensa tá entrando naquele ufanismo típico, que já conhecemos de longa data.

Anônimo disse...

os grupos foram formados pelo desempenho dos times no campeonato do ano passado, ou seja bota a culpa no Abel, Píffio, Luigi e no resto dessa macacada.

Ahhh... e agradece ao Noveletto por ter transformado o 7.o lugar em 6.o através de uma aberração de interpretação do regulamento. Senão, estariam levando lambada do IMORTAL!!!

Anônimo disse...

Uma correção Portinho, na época em que contrataram o Alex se falou muito que se pagou pouco pelo jogador...e nao que se pagou caro...era o melhor jogador do Guarani...os bugrino ficaram loco da vida...pq foi algo em torno de R$ 800 mil...preço baixo se levarmos em conta as poucas opções de camisa 10 no futebol brasileiro...e acho, digo acho, que ele já tinha 20 anos - essa preciso checar...ah tem muita obviedade nesses teus comentários..."malfadado 3-5-2" ,"é preciso dois laterais"...

Luiz Portinho disse...

poxa vida, seria tão mais interessante se o "anonimo" se identificasse... mas vamos lá...
1) vc. está redondamente enganado, porque o Alex era um desconhecido total quando veio para o Beira-Rio e o valor de aproximadamente R$ 1 milhão, para uma aposta, era alto.
2) o 3-5-2 é um esquema malfadado... ao insucesso... e eu gosto de equipes formadas com laterais de ofício. e é exatamente porque é óbvio que se deve bater sempre na tecla.
um abraço e, por favor, se identifique na próxima oportunidade.

Luiz Portinho disse...

olha Ricardo, eu acho q. o Orozco não sai qdo. voltar o Sorondo hein!!! o uruguaio é zagueiro pela esquerda, a tendência é disputar lugar com o Marcão... o ideal seria destruir este 3-5-2 malfadado. colocar o bustos na direita, índio e sorondo e o marcão de lateral esquerdo. dava para o gasto!
é complicado tchê. por que não podemos ver nosso time jogando num 4-4-2 (2 volantes e 2 meias avançados). chego a sonhar com isso.

Luiz Portinho disse...

é isso aí gerson, por isso o título "calma, muita calma!". pés no chão!

DJ Aldebaran disse...

Na verdade, queiramos ou não, o Celso Roth deu mais consistência ao time. Me parecia que com o Wagner Mancini o time não tinha disciplina tática. Agora que está adquirindo. Tá certo que a qualidade do Dos Santos também, e o fato de Roger e Perea estarem jogando muito contribuem. Mas agora o time me parece mais com cara de time. Agora, a dúvida é se com a permanência do Mancini isto aconteceria.

DJ Aldebaran disse...

E o grupo 2 tá mais difícil pois o time ribeirinho está dificultando as coisas. Por não terem competência para ganhar do Santa Maria e depois serem derrotados pela touca Juventude em casa. Pois se fazem um quadrangular da morte entre os dois últimos do grupo 1 e os do grupo 2, caem Brasil-PE e Guarany-BA, que juntos levaram 11 gols do time ribeirinho. Menos mal que tem o Juventude pra equilibrar as coisas!!

DJ Aldebaran disse...

Ahn, e pega um time um pouco melhor, faz uma marcação especial no Alex e no Guinha Azul, matou o time deles!! E isso é coisa que o C. Roth sabe fazer!

Luiz Portinho disse...

1) o Aldeba tocou num tema interessante, por que não fazem um quadrangular para definir os rebaixados ao invés de cair direto os 2 últimos de cada grupo ?

2) a felicidade tricolor tem alguma relação com o possível enfrentamento com a filiar nas quartas-de-final ?

3) aos poucos a pijamada vai admitindo sua admiração por C Roth!