terça-feira, junho 30, 2009

Ano III, Número 128

CHAMAMENTO À IMORTALIDADE

A derrota por 3x1 para o Cruzeiro foi um golpe duro, embora esperado. Afinal o GRÊMIO repetiu os mesmos erros. Perdeu gols e cometeu falhas de marcação inadmissíveis para quem quer conquistar uma Libertadores.

Já havia mencionado várias vezes aqui neste espaço o problema de gols perdidos pelo ataque gremista. Também comentei sobre a preocupação no sentido de que a medida que a qualidade dos adversários ia aumentando, as chances de gol diminuiriam, e um ataque que perde gols da maneira que viemos perdendo incessantemente iria nos trazer problemas futuros. Aliás, não precisa ser grande entendedor de futebol para ver isto.

Agora, ficamos na obrigação de vencer por 2x0, ou por qualquer outra vitória por 3 ou mais gols de diferença. Um novo 3x1 leva a decisão para os pênaltis. Portanto, que a nossa imortalidade seja novamente escalada nesta quinta-feira. E que a princesa mais linda esteja mais uma vez nos esperando ao final de mais esta caminhada.

E mais uma vez é válida a lembrança da frase de Fábio Koff: “Disseram que era impossível, mas não avisaram o GRÊMIO, por isso o GRÊMIO foi lá e fez”. Frase esta que eles tiveram a audácia de copiar, adaptando para o time deles.


E FORA DAS 4 LINHAS

Tenho certeza que o vizinho fará um cavalo de batalha desta história do alegado racismo de parte do argentino Maxi Lopez, que teria chamado o jogador cruzeirense Elicarlos de “macaco” durante o jogo. Portanto, vamos a uma análise mais detalhada dos fatos.

Se Maxi Lopez realmente chegou a este ponto, imagino o que ele não deva ter escutado dentro de campo até tomar esta atitude extremada, principalmente por sua condição de argentino. Certamente não devem ter sido termos cordatos e afáveis.

Maxi disse que não usou o referido termo contra o jogador adversário, e que se estaria tentando fazer uma polêmica absolutamente desnecessária, esquecendo que o Cruzeiro terá que jogar em Porto Alegre. Até porque o termo “macaco” não existe em espanhol como ofensa racista. Seria traduzindo como “mono” para o referido idioma, e isto não caracteriza ofensa para eles.


E FORA DAS 4 LINHAS II

Mas esta situação toda, incluindo a truculência da polícia mineira para com dirigentes e jogadores do GRÊMIO, só ajudará a criar um clima de guerra aqui na quinta-feira. Aliás, uma partida para o GRÊMIO “como le gusta”: estádio lotado (já não há mais ingressos), resultado adverso e agora um time mordido em campo.

Para completar, um babaquara completo chamado Chico Lang desfere impropérios contra o GRÊMIO e os gaúchos. Aliás, nem vale a pena citar este quadrúpede, pra não dar mídia pra quem não merece. Mas este não coloca mais os pés aqui no Rio Grande.


SPORT X GRÊMIO

Rapidamente... a derrota pro Sport com um time totalmente reserva era até esperada, afinal ganhamos lá apenas uma vez na história. No entanto, não se pode aceitar expulsões injustificadas como a de Jonas, que novamente nos prejudica. Enquanto estava 11 contra 11 em campo, empatávamos a partida, e naquelas circunstâncias, era um resultado a ser comemorado. No entanto, acabamos levando dois gols aos 39 e aos 43 minutos do segundo tempo, quando já estávamos em desvantagem numérica.

Agora, os rumores apontam para uma possível negociação de Jonas, que foi afastado da concentração para o jogo contra o Cruzeiro. Mas sobre especulações, só falo agora quando a nossa participação na Libertadores se encerrar, e espero que com o título.


RAPIDINHAS

E ninguém cala este chororô... este DVD do presidente vermelho “Chorando pra Carvalho” mostra a pobreza de espírito daquela gente.


Por que será que não montam um DVD com lances das oitavas-de-final da Libertadores 2006, ou da final da Sul-Americana do ano passado, ou do pênalti inexistente que deu pra eles o título da Copa do Brasil de 92?


Aliás, já foi um milagre o vizinho ter admitido que o Pinga se jogou naquele lance... mas esta aí de que foi o grito da torcida que marcou o pênalti é uma excelente piada!


Tenho que reconhecer méritos no Dunga, finalmente. Como é bom ver a seleção jogando de forma aguerrida, com a faca entre os dentes. O título da Copa das Confederações calou a boca de muita gente, inclusive a minha.


Repito: não há mais ingressos para GRÊMIO X Cruzeiro. Serão 50 mil vozes no Olímpico.


EU ACREDITO!! E estarei lá incentivando!



Saudações imortais desde a Libertadores da América,


Leonel Knijnik (DJ Aldebaran)
Gaúcho por Tradição e Gremista de Coração



CONCENTRAÇÃO TOTAL
.
Essa sempre é a tônica antes de uma decisão. Não só jogadores, comissão técnica e direção devem estar concentrados. A Nação Colorada também. Essa é daquelas semanas em que o Colorado só pode pensar e sonhar com o jogo de quarta-feira. Nada de teatro, cinema ou reunião de trabalho. Não se pode dispersar. Nada de conversa com secador agourento. As queridas namoradas que aguardem atenções para a próxima semana. É final. É o último jogo. São 90 minutos. Não há como ser diferente: CONCENTRAÇÃO TOTAL!
.
Em 5 de junho escrevi “Contra a Máfia Paulista e a Casa Bandida de Futebol”
.
Em 18 de junhi escrevi “Máfia Curintiana”
.
O dossiê de Carvalho, portanto, chega tarde. Mas antes tarde do que nunca! Aqui no Gigante não vai ter mão grande p´ra cima de nós... Vamos para o meio deles. Em 1976 aplicamos 2x0 nessa máfia, Valdomiro e Dadá Maravilha. Com o Caldeirão Colorado do Beira-Rio conquistamos a Copa Brasil de 1992 naquele inesquecível lance em que Pinga caiu na área e nós torcedores Colorados exigimos a marcação da penalidade.
.
Vamos lá Colorado! 1º de julho de 2009 entrará para nossa história também.
.
Saudações rubras, do DONO DA ALDEIA (*38), CAMPEÃO DE TUDO e SEMPRE NA PRIMEIRA DIVISÃO.
.
Luiz Portinho

6 comentários:

Milton disse...

O engracado, Aldeba, eh que pra eles fazerem dvd ta tudo bem, mas pra gente ao menos mencionar arbitragem ja vira choradeira.

Pra mim isso parece justivicativa para uma eventual derrota hoje.

San Tell d'Euskadi disse...

Quero o título colorado: 2-0, mais pênaltis.

Quero o Olímpico fervendo, na obrigação pelo resultado. Pressão, pressão e pressão; sobre nós e sobre o Cruzeiro. Afinal, se os vermelhos conseguirem, nós também podemos!

Francinei Bentes disse...

Para o Inter faltou humildade, para o Grêmio competência...
O Inter precisava reconhecer que jogava com um time bem postado e bem montado pelo Mano, e que antes de pensar na arbitragem, teria que pensar no adversário. Achou que poderia ganhar quando queria, então ficou com o vice.
Já o Grêmio estava mais focado, com mais garra, indo para cima do Cruzeiro e abafando o jogo. Aí a competência foi decisiva, o ataque cruzeirense é muito melhor, e o gremista cansa de perder gols, é impressionante, nunca tinha visto um "ataque" assim nos últimos anos. Se o Grêmio tivesse feito um terço dos gols que perdeu nesse ano, era campeão gaúcho e estava na final da Libertadores.
Agora, os co-irmãos devem fazer um balanço e ver o que é possível melhorar (muita coisa!) para tentarem a vaga para a Libertadores em 2010.

Luiz Portinho disse...

o balanço que faço é que o DNA arrogante da turma de pijama os impediu de se dar conta do time ruim que possuiam. embalados por resultados enganadores contra equipes inexpressivas terminaram caindo um tombo grande na semifinal contra o Cruzeiro (primeira equipe de verdade com quem se defrontaram). e agora o que resta é brigar para fugir do rebaixamento. e viva o DNA arrogante!

Luiz Portinho disse...

em relação ao INTERNACIONAL concordo em termos com o Francinei. não acho q. tenha faltado respeito ao Corinthians. o episódio DVD nao influiu em nada para a derrota, pelo contrário mostrou coragem do Carvalho e que aqui no Sul não somos idiotas. humildade teria faltado se o INTERNACIONAL tivesse levado o título de barbada, o que nunca ocorreu.

DJ Aldebaran disse...

Arrogância é fazer um site chamado www.eutenhocerteza.com.br depois de um CRÉUrinthinans por 2x0. E pavonice é olhar pra arrogância alheia e esquecer da sua. Agir como um verdadeiro pavão, que olha pros pés do outro e pro próprio penacho, esquecendo que seus pés são iguaizinhos. Saudações tricolores!