terça-feira, abril 20, 2010

Ano IV, Número 167


QUINZENA gNAL
.
O Colorado, como era de se esperar, despachou o Pelotas e se classificou para as finais do Gauchão. O certame termina como todos gostariam, em dois clássicos. Diretores da dupla, após a confirmação dos confrontos, trataram de desconversar e afirmar que o certame local está sem segundo plano diante da Copa Brasil e Taça Libertadores. Mas, para o torcedor, esse discurso não cola. A fala dos dirigentes esconde, na verdade, receio demasiado em explicitar o desejo de vitória em clássicos. Sim, o discurso é medrosos! Não há como negar, o que mobilizará o torcedor gaúcho (ao menos os verdadeiros torcedores) são os dois clássicos que teremos pela frente. Portanto, saudações à quinzena gNAL que se avizinha!
.
VITÓRIA SOFRIDA
.
Foi dramática a classificação contra o Pelotas. Ao final se viu que o Lobo Mau só canta de galo em outras bandas. Mas foi complicado batê-lo. Por sorte, o Internacional estava vacinado para o fato de que folha de salários não conquista campeonatos. As derrotas para o Novo Hamburgo nesta temporada e Veranópolis em 2007 foram pesadas lições. Depois de um primeiro tempo de sono, Bolivar marcou o gol mais importante da temporada, sacudindo toda a equipe e revigorando o moral do torcedor. Na segunda etapa, com a inclusão de Walter e D´Alessandro, mas especialmente de uma marcação dentro do campo adversário e uma postura ofensiva mais corajosa, o Colorado construiu uma vitória de suma importância que salvou o primeiro semestre.
.
CLÁSSICOS I
.
Tarefa sempre complicada é traçar prognósticos para clássicos. No primeiro desta temporada acertei ao antecipar o favoritismo Colorado. Mas o contexto era outro, a vizinhança recém ajeitava suas peças no tabuleiro com a chegada de reforços, enquanto nós tínhamos toda a base do time vice campeão mantida. E, mesmo assim, não foi fácil, tendo a vitória acontecido basicamente num lance isolado em que falha do zagueirinho Mario "Doril" (essa é do meu amigo Josué!).
.
CLÁSSICOS II
.
Mas tudo leva a crer que o Colorado novamente se encontra em melhores condições de sair consagrado nessas finais. Primeiro porque os elencos agora são conhecidos e os reforços da vizinhança não deram grande resposta (a exceção do centroavante Borges). E o Internacional, depois de um segundo turno terrível, com atuações dignas de esquecimento nos dois últimos meses, parece ingressar numa fase de ascenção. Acrescente-se a isso que teremos um jogo de 180 minutos, aonde as possibilidade de um crime se reduzem. Mas vamos lá, clássico é clássico, é preciso estar 100% atento em cada segundo destes 180 minutos.
.
ÍNDIO
.
O episódio "Índio" é mais um dos tantos a escancarar a pouca inteligência de nossos "boleiros". Semanas após completar 250 jogos com a camisa Colorada e sua consagração como um dos 5 maiores jogadores a vestir a camisa 3 (que já foi de Figueroa, Lucio, C. Silva e Aloísio, por exemplo), o zagueiro se envolve em incidente na madrugada. Não quero entrar no mérito, na condição alcoolica ou nas companhias em que estava. Agora, é obrigação do Colorado atento reparar que Índio fora poupado na partida contra o Pelotas domingo e, justamente por este fato, não podia estar "festiando" as 2 horas da madrugada (mesmo que em casa com amigos). Assim como aconteceu com Walter, Índio merece punição.
.
Domingo foi 5.julho.1982
.
Foi emocionante voltar no tempo e assistir novamente Brasil 2x3 Itália. Confirmações: a Itália tinha um belo time; P. Rossi estava inspirado e era um atacante poderoso; Gentile acabou com Zico, marcando-o passo a passo durante os 90 minutos; D. Zoff era um goleiraço; O Brasil não tinha pontas e foi prejudicado pela tática de agredir o adversário sempre pelo meio, através de tabelas; quando Falcão anota o 2o gol (gol antológico!), novamente, pareceu que estava tudo acabado para os italianos; Oscar podia ter feito aquele golo de cabeça aos 88 minutos de jogo. Novidades esquecidas pelo tempo e pela derrota: T. Cerezo jogou muita bola naquela partida; o Dr. Sócrates sumiu de campo na segunda etapa; era falsa a premissa sustentada a exaustão pela imprensa que teríamos classificado se Telê tivesse aberto mão do futebol ofensivo (ele abriu, trocando o centroavante por um médio); aliás, T. Santana errou ao trocar Serginho "Chulapa" por P. Isidoro após empatar o jogo - o time perdeu referência. Mas, enfim, que jogaço!
.
RÁPIDAS
.
Ainda sobre 1982, opinião unânime da mesa redonda Bate Bola da ESPN na segunda-feira, em comentários sobre a partida, P.R.Falcão foi o melhor em campo naquele jogo e também de toda a Copa do Mundo.
.
Compartilho integralmente desta opinião. O Falcão estava no auge!
.
Falei acima que os ingressos de Walter e D´Alessandro foram detalhes fundamentais para a vitória sobre o Pelotas. Mas a alteração do sistema do 3-5-2 para o 4-4-2, com o deslocamento de F. Eller para a lateral esquerda, sem dúvida, foi de suma importância.
.
Glaydson foi improvisado novamente na lateral direita e, mais uma vez, teve ótimo rendimento
.
Também rendeu bem fora de sua posição habitual Kleber. Atuando como um volante pela esquerda, o jogador auxiliou bastante na tarefa criativa do meio de campo.
.
F. Eller, atuando pela lateral esquerda, na segunda etapa, também me agradou e pode ser boa alternativa para o setor.
.
Lauro era figura de destaque na foto da comemoração do título da Taça F. Koff. Tudo indica que se conformou com a reserva.
.
Muito levantaram suspeitas sobre a dedicação de Sandro logo após a confirmação de sua venda para o Tottenham. Depois das últimas atuações do cabeça de área, contudo, as suspeitas viraram pó. Está jogando demais o guri.
.
E por falar em guri que está jogando demais, Walter, mesmo abaixo do que pode render, confere outro padrão de jogo ao ataque Colorado.
.
Ainda sobre a gurizada, bastou Giuliano ter 2 ou 3 atuações não tão produtivas para que se levantassem suspeitas sobre suas qualidades. Tchê, é duro sobreviver à imprensa pampeana.
.
Falei em Giuliano e o amigo Gringo apontou um dado importante que teria contribuído para o fraco desempenho das últimas 5 ou 6 partidas. Em todas elas J. Fossati sacou os dois armadores da equipe (D´Alessandro e Giuliano ou Andrezinho).
.
De fato, um treinador coerente não pode abrir mão dos dois homens responsáveis pelo seu setor de criação impunemente.
.
Até porque o meia armador é um jogador que a qualquer momento pode resolver a partida numa assistência bem feita. Dos onze jogadores é o que mais depende da técnica.
.
Vizinhança não conhece a Taça F. Koff.
.
A propósito, o ícone tricolor esbanjou sorrisos e tinha feição de alegria durante a comemoração Colorada.
.
Saudações rubras, do DONO DA ALDEIA (*39), CAMPEÃO DE TUDO e SEMPRE NA PRIMEIRA DIVISÃO.
.
Luiz Portinho

A FINAL ESPERADA E DESEJADA


E o Gauchão se encaminha para sua finalíssima. Ao vermos os vermelhos ganharem de forma totalmente esperada o returno, teremos o confronto GRE-nal depois de 3 anos. Curiosamente, apesar de serem as duas maiores forças do Estado, na última década só tivemos uma decisão de Gauchão entre os dois times: em 2006. Sendo que a última tinha sido em 1999. E nos dois casos, quem sagrou-se campeão foi o GRÊMIO.


O RETROSPECTO

Apesar do bom retrospecto mencionado acima, outros números não são nada animadores. Não vencemos um clássico válido pelo Gauchão desde 2001, quando derrotamos no Olímpico o time vermelho por 4x2.


A COPA DO BRASIL

Já que houve atraso da coluna, vou adiantar serviço e falar já nesta semana sobre os dois jogos da Copa do Brasil. No primeiro, vitória por 3x1 com momentos de ‘apagão’ do time do GRÊMIO. No segundo, Victor nos salvou de uma eliminação precoce. Nosso futebol absolutamente inexistiu no 1º tempo. No segundo, jogamos 20 minutos para o gasto, fizemos 2 gols, pois saímos perdendo de 1x0, empatamos, levamos o 2º gol, empatamos novamente e acabamos levando o 3º gol quase no final da partida.


A COPA DO BRASIL II

Perdemos por 3x2, mas classificamos. Mas o futebol apresentado mais uma vez deixa a desejar. Como venho falando sistematicamente aqui. Se não apresentávamos bom futebol contra São Luiz, Ypiranga, Zequinha, Pelotas e outros do Gauchão, quando o nível dos adversários aumentar, aí sim que todas as deficiências já percebidas desde o começo passam a ficar escancaradas.


A COPA DO BRASIL III

Enfrentaremos o Fluminense na próxima fase. Jogamos a primeira no Maracanã na próxima quinta-feira e a segunda em casa, dia 05/05. Nosso retrospecto contra o Flu na Copa do Brasil é bom. Disputamos 3 mata-matas contra eles. Todas as vezes em oitavas-de-final. A primeira, 2001. Vencemos a primeira em casa por 1x0 e empatamos fora sem gols. A segunda, em 2004. Empatamos em 2x2 a primeira lá no Maracanã e na partida de volta aplicamos inapeláveis 4x1 no Tricolor das Laranjeiras, que na época contava com Danrlei em seu gol. E na última vez acabamos eliminados pelo time carioca, jogando a primeira fora e perdendo as duas partidas por 3x0 e 1x0 respectivamente.


PROJEÇÕES PARA O CLÁSSICO

Sem Maylson e Fábio santos, lesionados e Douglas, suspenso, o GRÊMIO deve entrar em campo praticamente num 4-3-3 com Victor; Edilson, Mário Fernandes, Rodrigo e Joilson (Neuton); Ferdinando, William Magrão (Adilson) e Leandro; Jonas, Borges e Hugo. Na teoria, Hugo seria um meia mais avançado. Mas na prática, sabemos que ele acaba sendo um terceiro atacante.


PROJEÇÕES PARA O CLÁSSICO II

Confesso que este esquema me deixa preocupado. Pois improvisar Joilson na esquerda, que já é ruim na direita, pode se revelar algo catastrófico. E destruir o sistema de criação de meio-campo, colocando Hugo para fazer a quarta função, pode entregar a meia-cancha para o adversário. E sabe-se muito bem que ganha o jogo quem domina o setor de meio-campo.


PROJEÇÕES PARA O CLÁSSICO III

Assim sendo, com a escalação que se coloca, já estou achando que um empate com gols seria excelente negócio, uma vez que o time, que já completo por si só já vem apresentando deficiências e inconstâncias, imagine-se descaracterizado como vem. Não sei o que ocorre com Mithyuê, que sequer foi relacionado após boas atuações que teve. Talvez desagrade ao pastor Silas. Outro erro crasso é que Bruno Collaço, o único reserva da lateral-esquerda que temos no grupo, sequer concentrou. E Silas prefere uma improvisação, seja de um lateral-direito na esquerda, seja de um zagueiro que sequer fardou em nenhum jogo do Gauchão, que seria o caso de Neuton.

Portanto, oremos.


Saudações imortais do 1º colocado do ranking OFICIAL da CBF,


Leonel Knijnik (DJ Aldebaran)
Gaúcho por Tradição e Gremista de Coração

3 comentários:

Paulo Roberto disse...

Estamos em abril; a corneta está oficialmente liberada!

Eis a lista dos 20 onvocados pelo Silas para a final, em ordem alfabética: Adilson, Bergson, Borges, Edílson, Fábio Rochemback, Ferdinando, Fernando, Hugo, Joílson, Jonas, Leandro, Marcelo, Mário Fernandes, Mithyuê, Neuton, Ozéia, Rafael Marques, Rodrigo, Victor e Willian Magrão.

Não acredito que Silas -para meu total desespero- tenha confirmado Leandro e Hugo como titulares na meia.

Ora, se for para atuar com Leandro e Hugo, espero, sinceramente, que ele jogue num 3-5-2. Esses dois são ALAS; não, meias! Meu time, com eles, seria: Victor; Doril, Rodrigo e Marques (Ozéia); Leandro, Magrão, Ferdinando, Mithyuê e Hugo; Jonas e Borges.

Nem precisaria se preocupar com o problema da laterl-esquerda. Aliás, sobre essa posição, Silas fez uma declaração impossível de se entender:

“O substituto do Fábio eu vou treinar ainda. Amanhã (sábado) eu defino. Eu tenho o Bruno [Collaço], que é da posição, inclusive jogou no ano passado, tem a questão de não mudar muito também. É uma forma de trabalhar minha. Quanto menos mudar num momento desse, melhor. Tem a questão de ritmo de jogo, experiência. O Joílson já jogou na lateral esquerda também. Vamos treinar e decidir com calma.”

Quem lê o que disse o treinador logo pensa: o Collaço tem grandes chances! Só que ele não está entre os relacionados…

Estou 100% de acordo contigo, Aldeba: OREMOS!

Yuri Gremista DF disse...

é aldebaran ta complicado a vida com esse louco que se acha tecnico e que leva 220 mil(ele e seu irmão) de nossos cofres ao mes eu estou ficando meio desacreditado por culpa dos mesmos e do grande meira segundona não aguento mais isso

Francinei Bentes disse...

É amigos gremistas, OREMOS mesmo... alguém mentiu para o Silas dizendo que ele é técnico, e o pior é que nossos dirigentes acreditaram... Se não perdermos esse clássico podemos comemorar E MUITO...