terça-feira, dezembro 21, 2010

ANO IV - NUMERO 202




SAI DUDA, VOLTA ODONE


Sobre Duda, não há muito o que acrescentar sobre o que já foi dito ao longo dos últimos dois anos. Este espaço foi sempre crítico ao último presidente. Desde o começo de 2009, martelou-se sobre as inúmeras falhas administrativas cometidas. O fato de ter obtido alguns êxitos no campo, não significa que a gestão tenha sido boa. Não foi. Essa recuperação ao final é suficiente apenas para que Duda possa dormir tranqüilo. Duda provou-se incapaz de ser presidente, e não deixará nenhuma saudade. O Grêmio andou para trás nesses últimos dois anos, e Odone terá muito trabalho para recuperar o que se perdeu. Certamente, a situação é (MUITO) melhor do que 2005. O voto-de-confiança em Odone é plenamente justificável; apesar de, pessoalmente, não ser o meior fã de Odone, entendo que ele mereça o apoio recebido.

Sobre Odone, creio que ele possui diversos defeitos como presidente: é uma pessoa difícil de lidar; pessoaliza demais o comando; trabalha mais focado na amizade do que no bem do clube; etc. Ele volta por ter passado quatro anos no clube sem conseguir criar um sucessor convincente aos sócios, mesmo após uma bela gestão. Antes que alguém fale, duvido que o episódio Rafael Bandeira tivera alguma influência na eleição, mas por si já serve de exemplo da dificuldade de Odone em estabalecer alguém competente para lhe substituir, ao invés de um amigo. Porém, faça-se justiça, se há algo que não se pode dizer de Odone é que ele seja incompetente ao trabalhar pelo clube. Seu saldo é positivo. Tanto que para criticá-lo, se apega-se a detalhes, nunca ao principal.

Odone pegou um clube quebrado, sem jogadores, na Série B nacional, e há três anos sem títulos. Ao menos, as categorias de base estavam funcionando (e nos deram Lucas, Ânderson, Carlos Eduardo, etc.) e isso foi importante para recolocar o clube no prumo. Agora, pega um clube em melhores condições que em 2005; mas ainda em pior do que aquelas em que ele entregou em 2008.

Se tudo correr como se espera, Odone deixará o cargo apenas em 2014. Até lá, o clube terá um estádio novo, fontes de faturamento estável através da cancha e do quadro social. Tenho dúvidas em como estará a nossa base, e imagino que o marketing continuará abaixo do potencial do clube. Politicamente, ele não terá desenvolvido um substituto, e o clube se verá rachado às portas da eleição. Se teremos um presidente competente em 2015, isso dependerá de como os movimentos se comportarão e se articularão nestes próximos 4 anos. As mudanças na cláusula de barreira, principalmente para o Conselho (sou contra a para presidência), serão vitais para a oxigenação do clube.

E os resultados de campo? Pode parecer insano o que eu digo, mas eles são "de menos". Algum título virá, com certeza, mas deve se ter consciência que eles não dependem apenas do que o clube faz. Acho que a gestão Odone montará equipes absolutamente competitivas, daquelas que dará gosto de acompanhar jogo a jogo. Isso é o máximo que se pode fazer. Títulos serão decorrentes das circunstâncias.

Modelo Esgotado
Difícil imaginar como o Grêmio sobrevive a uma sucessão de presidentes absolutamente lamentáveis desde 1991, com as honrosas exceções de Koff e Odone. Nos últimos 20 anos, em 12, o clube teve como líder alguém absolutamante desmerecedor da tarefa: Bandeira (1991-1992), Cacalo (1997-1998), Guerreiro (1999-2002), Obino (2003-2004) e Duda (2009-2010). Não foi à toa, portanto, que o antigo sistema de "clube de amigos e famílias", centralizado num Conselho que pouco se renovava, ruiu. A democratização, por certo, traz outros problemas consigo à medida que soluciona os antigos, mas ainda assim é o que se tem de melhor para substituir um modelo esgotado.

Sobre o que (não) acontece durante as Férias
Do time, só volto a falar no começo da pré-temporada. Até lá, seguirei com a política de não dar nenhuma importância ao festival de chutes e invenções que saem nos meios-de-comunicação.

Puma
A Puma não será mais a fornecedora de material esportivo do Grêmio em 2010; no seu lugar, entra a Topper. Ao que parece, o clube não tem nada a ver com o que aconteceu.

O Grêmio não tem um contrato direto com a Puma, mas com uma fábrica brasileira chamada Filon que representava a Puma no Brasil. O contrato entre a Filon e a Puma acabou, afetando a parceria com o Grêmio.

Rescindir o contrato com a Filon seria uma loucura financeira, já que -dizem- a multa seria de 32 milhões de reais. Assim, o Grêmio viu-se limitado às marcas que a Filon teria a oferecer. Se ofereceu mais de uma, não se sabe. Sabe-se que ofereceu a Topper, e o Grêmio aceitou. Assim, até o final do contrato com a Filon, se não ocorrer mais nenhuma surpresa, será Topper a marca estampada nos materiais esportivos do clube.

Tudo isso é normal, não há motivos para alarde. Acontece, e não existe nenhum problema. Que a Topper seja bem-vinda.

Retrospectiva 2010
Disse que a faria nesta semana, mas não fiz. Há tempo de sobra para isso. Foi um ano interessante, e que merece ser discutido. Aguardem.

Mundial de Clubes
A coluna da semana passada foi toda dedicada ao vizinho. Peço perdão aos leitores por não ter falado no Grêmio, mas, sabem como é:


A GENTE PERDE O AMIGO, MAS NÃO PERDE...

... PARA O MAZEMBE!


Saudações imortais,
Paulo Roberto Tellechea Sanchotene - sancho.brasil@gmail.com





.
O JOGO QUE O MUNDO NÃO PODE VER
.
A derrota do INTERNACIONAL para o Mazembe tem vários ângulos. Quase todos eles, é claro, negativos para os Colorados. O primeiro clube sudamericano a não avançar à final do certame. Uma derrota surpreendente, acachapante e inesquecível. Para os Colorados que foram aos Emirados, então, nem se fala. Pagar cada prestação da viagem será um martírio. Mas não há dúvida que o grande prejudicado pela derrota foi o amante do bom futebol e das disputas acirradas. O duelo INTER x INTER era algo aguardado pelo mundo do futebol; e o amante da bola ficou privado de assistir a uma grande partida de futebol. O INTERNACIONAL referendou sua tradição de se complicar contra equipes inexpressivas e crescer contra grandes adversários (sempre foi assim em nossa história). Impossível esquecer o Mundial 2006. O time do Congo (antigo Zaire) disputaria, com boa vontade, vaga na Serie "C" do Campeonato Brasileiro. A facilidade com que a Internazionale bateu o Mazembe na final comprova o que digo. Para sempre tentaremos esquecer a derrota e, ao mesmo tempo, lutaremos para que a sua lembrança deixe lições eternas.
.
O FIM DE UMA POLÊMICA
.
Outro ângulo da derrota para o Mazembe é o ponto final que se coloca num antigo e ridículo debate que existia aqui pelos pampas. Definitivamente, não há como comparar o Mundial de Clubes FIFA com a Copa Intercontinental Toyota. E eu fiz questão de localizar pontualmente que tal debate (ridículo) limitava-se aos pampas (porque todos os clubes campeões da Intercontinental assim reconhecem a conquista - basta acessar os sites de Milan, Boca Jrs. e outros para verificar o que digo). Só aqui no Rio Grande a vizinhança insistia em comparar certames tão diversos. Mas o fato é que agora, com uma final entre um clube africano e um europeu, tal debate está definitivamente sepultado. Não há como comparar o Mundial de Clubes FIFA com a falecida Copa Intercontinental Toyota.
.
Futebol 2011 - Renovação de Roth I
.
C. Roth fica por mais um ano (notícia fresquinha e decepcionante). Acabo de deletar o e-mail que estava redigindo para a ouvidoria do INTER - solicitando a não-renovação. Agora me resta o lamento, porque, não há dúvidas, o conformismo, a mesmice e a falta de alternativas/conhecimento tático do treinador foi um dos principais ingredientes da derrota em Abu Dabi. Até agora não ouvi justificativas para as substituições de Tinga e Sóbis (e nenhum repórter indagou a respeito!). Muito menos por encerrar a partida, perdendo por 2x0, com Nei e W. Mathias em campo. O certo é que Roth iniciou e terminou a partida jogando exatamente da mesma forma, o que comprova sua passividade total diante do resultado adverso.
.
Futebol 2011 - Renovação de Roth II
.
Mas o pior da renovação de Roth é o fortalecimento das panelas e da política do carteiraço, em franca expansão dentro do Beira-Rio no último semestre. A própria permanência de F. Carvalho, criando um ambiente hostil para o novo vice de futebol R. Siegmann, revela que a panela dos jogadores de maior cartaz, liderados por Bolivar, está muito forte. Não gosto desse cenário que se avizinha. O INTERNACIONAL precisa tomar muito cuidado com este primeiro semestre. Tudo indica que não tenhamos maiores dificuldades para obter a classificação as oitavas de final da Libertadores. E é exatamente isso que me preocupa. Avançar a fase de mata-mata, com o Nacional em andamento, e nela sucumbir. Está aí o recente exemplo do Fluminense de 2008, vice campeão da Libertadores e quase rebaixado no Nacional. É preciso muito cuidado!
.
Homenagem absurda
.
Pato Abondanzieri foi homenageado, entrando em campo nos 10 minutos finais da disputa do 3. lugar do Mundial FIFA. A meu ver a homenagem foi absurda. Primeiro porque Pato (ou Lauro) sequer deveria ter ido aos Emirados, enquanto a jovem promessa Muriel ficou assistindo tudo pela televisão. E, de outra parte, porque o goleiro argentino não construiu, dentro do INTERNACIONAL, uma carreira que justificasse este tipo de homenagem. Pelo contrário, teve passagem altamente contestada e repleta de falhas, que, inclusive, deram razão para sua saída da equipe antes do final da Libertadores. Por tudo isso, fiquei estupefado quando o goleiro argentino foi chamado a entrar em campo.
.
O pobre mundo azenhano I
.
No dia da posse de P. Odone (o dirigente da derrota) o grande assunto foi a derrota do INTERNACIONAL em Abu Dabi. Sem saber o que significa disputar um Mundial de Clubes, restou aos invejosos da azenha tripudiar de nossa derrota. E o dirigente da derrota falou que faltou humildade ao Colorado. Logo ele que tomava champagne no intervalo do gNAL do SÉCULO e disse que seu time iria patrolar num gNAL em que saiu de campo levando de QUATRO e tomando olé. Começa bem mais um biênio do dirigente da derrota à frente do rival.
.
O pobre mundo azenhano II
.
Seria mais recomendável que Odone olhasse para seu umbigo. Afinal de contas, assume um clube que não tem dinheiro sequer para pagar o 13o salário de seus funcionários; não tem crédito para arrumar empréstimos; possui um condomínio de credores insatisfeitos; busca adiantar mensalidades de associados. E é nesse quadro de miséria que o "dirigente da derrota", no afã de dividir manchetes com o INTERNACIONAL, lança a notícia de contratação de Ronaldo-inho. Uma jogada de marketing (aliás, um dos parceiros no lance é exatamente o Sr. Presidente do Grupo RBS - curioso não ?).
.
O pobre mundo azenhano III
.
O lance de marketing funcionou, pois durante esta semana o assunto mais comentado é a transação envolvendo o filho da dona Miguelina. Notícias dão conta que está tudo encaminhado. Falta apenas arrumar os U$ 10 milhões exigidos pelo nosso ídolo eterno A$$i$ Moreira. Mas, é claro, isso é só um pequeno detalhe (faz-me rir!).
.
SECOPA (ou a Secretaria que deve ser extinta)
.
Declarações de dirigentes tricolores no dia seguinte à derrota do INTERNACIONAL em Abu Dabi foram verdadeira declaração de guerra para 2011. Presença maciça do torcedor Colorado no primeiro clássico é mais do que um dever. A propósito de tais declarações, parece-me imperioso que o Sr. E. Antonini, Secretário da SECOPA (cabidão de emprego azul no atual governo) seja demitido. Não se pode admitir que um Secretário de Estado tome partido e coloque sua cor clubística à frente do dever de imparcialidade da Secretaria que dirige. Governador Tarso, por favor cumpra sua promessa e extingua, no dia 1. de janeiro, essa Secretaria que não prestou serviço algum ao Povo Gaúcho.

.
Futebolista de América
.
O Jornal El Pays, do Uruguai, promove a tradicional eleição do melhor jogador em atividade na América do Sul. O argentino Verón, vencedor em 08/09, é novamente um dos indicados. Mas o destaque é a indicação de 3 jogadores do INTERNACIONAL. D'Alessandro, Guiñazu e Giuliano figuram como fortes concorrentes à comenda. Nada mais justo, aliás, que um jogador campeão da Libertadores seja agraciado com a distinção. Clique aqui e confira matéria com a relação de todos os indicados.
.
RÁPIDAS
.
Falei acima sobre Abondanzieri. Alguns jornalistas especulam que o INTERNACIONAL contrataria um goleiro para 2011. Seria um absurdo. Muriel e Agenor estão prontos para ocupar a posição. E ainda há Renan e Lauro. Para aqueles que não gostam dos dois últimos, gostaria que me citassem um goleiro melhor a disposição no mercado.
.
Iarley troca o Corinthians por Ceará. Final de carreira ?
.
Copa do Mundo 2014: foi publicada hoje lei que isenta FIFA de impostos federais nas transações do evento.
.
Torcida Colorada deu show nas arquibancadas dos Emirados Árabes, inclusive no difícil momento de encarar a consoladora disputa da medalha de bronze.
.
Demonstrando fidelidade e amor incondicional, o torcedor cantou o hino antes da decisão do 3. lugar, numa demonstração de que a presença no Mundial FIFA (consquência do título da Libertadores) já era algo digno de orgulho.
.
"Em outros tempos em que o revés bateu a nossa porta, humildemente recepcionamos a derrota, reconhecendo nosso demérito e a qualidade de quem venceu. Sempre, como agora, contra o Mazembe. Fomos os primeiros a dizer que não merecemos a vitória, que a nossa incompetência nos impediu de vencer a partida. Em nenhum momento da nossa história, dos grandes revezes, atribuímos a terceiros as causas da nossa derrota, pois somos sempre os responsáveis. Soberba não é uma palavra pronunciada por nós." (Fernando Carvalho - no espaço que ocupou no Blog do Hiltor do Correio do Povo).
.
Na sequência, Carvalho coloca ainda uma interessante indagação: "E aí eu pergunto aos leitores: existe algum clube no Rio Grande do Sul que somente obtém vitórias heroicas e se vitimiza no triunfo? E mais: existe algum clube no Rio Grande do Sul que quando perde atribui aos outros o seu fracasso? Existe algum clube no Rio Grande do Sul no qual o fracasso sobe à cabeça, a ponto de decantar heroísmo em situações que para todos seria humilhação? Eu não conheço. Não sei se existe."
.
Não sei. Existe vizinho ?
.
Grupo do INTER-B (base do time campeão brasileiro sub23) regressou hoje de férias e começou preparativos para a disputa do Gauchão.
.
Age muito bem o INTERNACIONAL ao firmar essa gurizada como time base para o certame regional. Com boa preparação e a experiência adquirida nas competições do 2o. semestre, o grupo de jovens promessas pode alcançar ótimos resultados.
.
Notícias dão conta sobre possível troca-troca de Leo Moura por Andrezinho e M. Cordeiro.
.
Sou um fã declarado de Andrezinho, nosso 12. jogador há 2 temporadas. Mas, depois que Roth o preteriu por Oscar, em Abu Dabi, não há quadro para a permanência do meia.
.
A propósito, se houver um mínimo de coerência na política de futebol do Colorado, Andrezinho deve ser negociado e Oscar receber várias oportunidades no time principal.
.
Um lateral direito, um cabeça de área e um centroavante. São as 3 contratações de que necessitamos.
.
O noticiário especula em torno de jogadores para tais posições, o que demonstra, no mínimo, que a diretoria fez uma boa análise dos pontos fracos da equipe.
.
Mas, por favor, que sejam contratados nomes inquestionáveis. Se é para trazer jogador meia boca, como foram os casos de Nei e W. Mathias, que se aposte nos jovens da base. Para tais posições há o lateral direito Kleber, o volante Juliano, os atacantes Ytalo e Marquinhos, além do já confirmado centroavante L. Damião.
.
Dupla gNAL ameaçou comparecer com equipese reservas no primeiro gNAL da temporada, marcado para o dia 30 de janeiro, em Rivera-URU.
.
Federação Gaucha já acenou com possibilidade de mudar data e local da partida.
.
Em tempo: notícias dão conta que cada clube receberá R$ 600 mil como cota. Convenhamos, o valor é bastante significativo para se abrir mão. Dessa forma, vale o esforço para adequar o calendário.
.
Por falar em Rivera, o Liverpool, adversário da vizinhança na pré-Libertadores negou proposta de lá disputar o jogo de seu mando no mata-mata.
.
Provavelmente a partida será disputada no Parque Central, do Nacional, pois o acanhado estádio do Liverpool não preenche os requisitos da Conmebol.
.
Em tempos de "dinheirização" do futebol, merece aplausos a decisão da diretiva do Liverpool que agiu de forma diversa dos mandantes do Cerro, que, na última Copa, aceitaram abdicar das vantagens técnicas para enfrentar o INTERNACIONAL na cidade fronteiriça uruguaia.
.
Tchê, e a última coluna do vizinho hein ? O que é o cara estar de férias e sem qualquer assunto do futebol para comentar ? Por que não analisou o episódio de pedofilia nas categoria de base da azenha, que até manchete no Jornal Nacional foi, com direito a cara de estupefação da F. Bernardes...
.
Olha aqui ô, isso sim é vergonha nacional.
.
Sobre as "galhofas" tricolinas, gostaria apenas de alertar a pijamada para o tiro no pé hein... Afinal de contas, se ainda não se deram conta, a pronúncia de Mazembe é "MAS" em "B".
.
Euforia tricolor com o final de ano revela o desespero de quem não conquista um título de respeito há mais de uma década.
.
Ilustres tricolores sugeriram convite ao Mazembe para inauguração da Arena Humaitá (já começaram as obras hein - ou ainda tá só na maquete vizinho ?!). Seria medo de convidar o INTERNACIONAL e ver repetida a trágica (para eles) inauguração da azenha em 1954 ?
.
Em dezembro os azuis bateram um recorde, foram dois foguetórios e nenhuma taça no armário.
.
A propósito, na semana passada eu vi uma coisa que jamais imaginei em minha vida. Comprei uma revista de futebol local e no meio havia um poster do time do vizinho que conquistou uma vaga na pré-Libertadores. Tchê, é demais!!!
.
Saudações rubras, do CAMPEÃO DE TUDO, DONO DA ALDEIA (39*) e SEMPRE NA PRIMEIRA DIVISÃO.
.
Luiz Portinho - mais de 700 jogos no Gigante da Beira Rio

2 comentários:

Francinei Bentes disse...

Comentários totalmente esquizofrênicos do Fernando "chora pra caralho"...
Te preocupa com teu time, que passou uma vergonha histórica perdendo para um time que, como reconhece o Porto, não ganharia a série C no Brasil... um vexame para todo o futebol sul-americano, como várias manchetes nos principais jornais esportivos mundiais demonstraram... e aí, depois dessa derrota humilhante, ele está preocupado se o Grêmio se "vitimiza" ou não? Ridículo...

Sem sentido também essa alegação do Porto de que essa vitória do "Todo Poderoso" Mazembe legitima o Mundial FIFA frente ao Mundial Interclubes... daqui a pouco, ele vai reconhecer que estava torcendo para o Mazembe por causa disso... A Inter de Milão ganhou dos africanos com uma facilidade constrangedora, e só por causa do vexame histórico do Inter em ser o primeiro sul-americano a ficar de fora das finais de Mundiais. Se tem algo que esse campeonato mostrou, foi a constrangedora facilidade com que o Inter repete suas derrotas humilhantes contra clubes inexpressivos ao longo de sua história...

Paulo Roberto disse...

Francinei,

Os gritos e "esperneios" da turma rubra são auto-acusações do golpe. Estão atacando para se defender.

É patético, mas faz parte. Nada demais.

Abraço.