quarta-feira, abril 06, 2011

Ano V, Número 216



102 ANOS DE GLÓRIAS


Glórias totais. Não há episódios a esconder. Não há entrelinhas. Não há. O Colorado não tem o que esconder. Pelo contrário, tem o dever de buscar na história maiores motivações para seu Coloradismo. Há derrotas sim, há vice campeonatos, há noites terríveis de silêncio, tristeza e comoção no Gigante da Beira Rio, há tardes negativas nos Eucaliptos. Porém, nada que possa nos envergonhar. Perdemos e ganhamos sempre dentro das quatro linhas. Fomos pioneiros em relação ao tema da universalidade; no INTERNACIONAL, desde a fundação, todos sempre foram bem vindos e aceitos. Aliás, exportamos nossos valores pelos arrabaldes. Mas é claro que há muito a ser construído. Os 100 mil sócios são história. O Tricampeonato Nacional é história. O Bicampeonato da América é história. O Mundial FIFA é história. O Campeão de Tudo é história. As dezenas de campeonatos estaduais são histórias lindas e imprescindíveis. Ainda há muito a desenhar e realizar. Muita saúde e conquistas a esse jovem, cada vez mais jovem, de 102 anos. Obrigado por tudo INTERNACIONAL.
.

O TIME DE ROTH ? I
Custo a acreditar. Há palpites e exigências forçando Roth a abandonar os 3 volantes. E isso concluo pela própria trajetória do treinador, que nunca foi de mudar o esquema do time em decorrência de má atuações de campo. Curiosamente, desde que implantou o 4-4-2 (travestido de 4-2-3-1), o time passou a render menos. Muito mais pela falta de movimentações, rotinas e saídas de jogo do que pelo esquema propriamente dito. A impressão que fica, ao ver o time do INTERNACIONAL em ação, é que se trata de uma equipe em começo de temporada, sem treino e sem entrosamento. A dependência das individualidades é escancarada. A vitória contra o fraquíssimo J. Wilsterman, por exemplo, passou pela atuação esplêndida do guri Oscar. Assim como outras vitórias passaram por D’Alessandro ou pelos golos de L. Damião.
.

O TIME DE ROTH ? II
Mas o fato é que um time não pode viver de individualidades. Tanto pela possibilidade de dias não-inspirados, como pela presumível marcação dos talentos individuais pelos adversários. Um bom time precisa de mecânica de jogo, de organização, de sistemas de triangulação (sempre digo isso, meu leitor deve estar farto!), precisa iniciar uma progressão ao ataque sabendo aonde se desenvolverá a jogada e aonde culminará o lance. Não podemos mais depender das individualidades; e muito menos dos chutões para frente ou de “ chuveirinhos” do meio de campo para a área adversa.
.

REFORMA DO BEIRA-RIO
Comissão de obras realizou reunião para apresentação de consultorias técnico-financeiras e análise das propostas apresentadas. Até agora não foram divulgadas as deliberações/conclusões de tal reunião. Mantenho minha posição. As tais consultorias técnico-financeiras acarretarão gastos exacerbados aos cofres do clube. Mais, análise de propostas apresentadas é jogo de cena. Asso meu dedo como está tudo encaminhado e negociado com a empreiteira A. Gutierrez – bola da vez do Comitê da Copa.
.

RÁPIDAS
Guinazu completara 200 jogos contra o Jaguares do Mexico.
.
O leitor F. Bentes me criticou por relatar, na última semana, o legado de Dunga no comando da seleção brasileira. Também aparentou descontentamento por comentar a respeito do “carregador de luvas de luxo” da seleção brasileira.
.
E não é que o “carregador de luvas de luxo” voltou a cena essa semana ? Com a palavra o vizinho (ou quem sabe o leitor Francinei).
.
Sobre o Dunga, e seu legado, basta analisar a última convocação do Sr. M. Menezes, como fez, de forma inteligente, o jornalista britânico J. Cotteril. Mais, basta examinar os resultados da seleção de Dunga, com vitórias expressivas e reiteradas contra os argentinos, por exemplo, e o título da Copa América; além da classificação, “com um pé nas costas”, como diria minha avó, para o Mundial.
.
Quem critica Dunga é por revanchismo, pirraça ou por eco à maldosa, bairrista e interesseira imprensa do Eixo - comprometida com os interesses da Casa Bandida do Futebol e da Máfia Paulista e devedora de favores à cariocagem.
.
E por falar na cariocagem, Alecsandro anotou seu primeiro gol com a camisa cruz-maltina contra o Bangu. Parece piada, mas não é. Em tempo: média de gols do avante na Cidade Maravilhosa é de 0,5 por partida. Bah!
.
Ainda no tema “cariocagem”, só para não cair no esquecimento, o time do vizinho foi o primeiro a boicotar a união de clubes (leia-se Clube dos 13), assinando com a Rede Globo
.
E para finalizar o tema “cariocagem”, o padeiro de bento foi vice campeão no FUTEVÔLEI das areias de Copacabana. Esse é um eterno derrotado! Não sobreviveu a 3 meses no futebol italiano, aonde P. R. Falcão se transformou em mito – o REI DE ROMA.
.
F. Miranda, em seu blog INTER 2000, comentou os técnicos de sua gestão. Zé Mário, C. Duarte e C. A. Parreira. Vale a pena conferir.
.
Sábado o GIGANTE DA BEIRA RIO completa 42 anos.
.
Vida longa ao nosso TEATRO DOS SONHOS.
.
"Nunca me esquecerei, dos dias que passei..."
.

Saudações rubras,
Luiz Portinho – mais de 700 jogos no Beira-Rio






O PRIMEIRO JOGO DO HENRIQUE NO OLÍMPICO

- Onde é que nós vamos, filho?
- Guêmio!

Esse foi o curto diálogo que tive com meu filho de 1 ano e 8 meses na manhã de domingo. E não escrevi mal; ele fala "Guêmio", mesmo. Dia de sol, temperatura amena, jogo de fase classificatória de Estadual, no qual o Grêmio já é finalista, contra um fraco Veranópolis numa época em que o futebol do time não convence ninguém. Era simplesmente o ambiente perfeito para que o Henrique conhecesse o Olímpico numa tarde de futebol pela primeira vez.

De manhã, vesti uma camisa do Grêmio, já me preparando para a partida. Quando cheguei na sala, o Henrique apontou para mim, riu, disse "Guêmio!" e logo passou a procurar o Grêmio em si. Não achou na camisa, nem na calça, nem nas meias. Correu para mãe, puxando a camisa: "Guêmio!". Como assim, o papai de Grêmio, e ele, não? Ainda mais naquele dia que prometeram para ele levá-lo no Olímpico. E lá se foi a família escolher a roupa do Henrique para o grande dia. Uma vez devidamente trajado, sorriu, gritou "Guêmio!" e voltou para brincar na sala.

Fomos almoçar fora. No restaurante, um outro pai pergunta se ele vai no jogo. Eu respond que sim, e pela primera vez. "Minha filha também! Vai pela primeira vez". Eu deveria ter sentido ali como seria no estádio. Afinal, a minha bela idéia não tinha sido só minha. Depois do almoço, nos dirigimos ao estádio, e o encontramos virado numa creche. Até o Lucianinho Périco, cancheiro de estádio, se espantou a ponto de comentar na rádio. Era um festival de novatos, mais interessados em correr por tudo, comer picolé e pipoca, do que com o jogo.

O Henrique até correu por tudo, o que impediu o papai aqui e a mamãe de verem o primeiro tempo, mas não deu bola para pipoca, picolé ou pão-de-queijo. Gostou mesmo foi da Geral. E isso que ela estava abaixo do meia-boca. Dançou, bateu palma, regeu, cantou (mais ou menos) junto. O que é aquilo lá, filho? "Geal! (balançado de um lado para o outro) Ô, ôoooô!". Gostou também da creche. Fez um monte de amigos de arquibancada (se começa desde cedo!). Ainda não esqueceu da tia da mochila do Ben 10, a mãe do Bernardo, que estava na fileira atrás de nós. E não deve esquecer tão cedo, se depender da memória de elefante que tem.

Apesar de ter se assustado com os gols, ele dá sinais que gostou da experiência. Não vejo a hora de ter uma nova oportunidade dessas.

Sobre o jogo, melhor nem comentar. O pouco que vi, não me anima nada. Valeu a vitória; e, talvez, só isso.

Grêmio x Junior (quinta-feira); Santa Cruz x Grêmio (domingo)
Não tenho muito o que falar sobre esses jogos: o de quinta, vale classificação e briga pelo primeiro lugar no grupo; o segundo, vale o mando de um possível Gre-Nal e a briga pelo primeiro lugar no grupo. Qualquer coisa, nessas duas partidas, que não a vitória é fracasso. Simples assim.

Vizinho
Parabéns ao vizinho pelo aniversário! Sinceramente, não gostaria de ter qualquer outro rival.



Vida longa ao Sport Club Internacional! Vida longa ao clássico Gre-Nal!



Saudações imortais,
Paulo Roberto Tellechea Sanchotene - sancho.brasil@gmail.com

P.S.: As colunas ausentes serão recuperadas. Desde já, peço desculpas pela falta.

13 comentários:

Paulo Roberto disse...

Bei! O Inter não está classificado no Gauchão. Só uma hecatombe elimina, mas não garantiu classificação. À exceção do Caxias, todos os outros time podem ultrapassar o Inter.

Para que Roth, Siegman e Luigi caiam, o Inter tem que perder para o Canoas, e acontecer três dos resultados abaixo:

a) o São José, no Passo D'Areia, vencer o Ypiranga; ou
a.2) o Ypiranga bater o São José;

b) o Lajeadense vencer o Nóia, em Novo Hamburgo, ou empatar e tirar 3 gols de saldo; ou
b.2) o Novo Hamburgo vencer o Lajeadense e tirar 5 gols de saldo;

c) o São Luiz vencer o Caxias, no Centenário, e tirar 5 gols de saldo.

O jogo que classificará o Inter, em quarto lugar, é o "c"...

:-D

Luiz Portinho disse...

Sancho, tu sabe que uma derrota para o Canoas, se tivesse como consequencia a queda do C. Roth, até seria algo interessante tchê.

Francinei Bentes disse...

Porto, vi que tu me citou na coluna... Pois é cara, não tenho nada contra o Dunga em particular ou contra o seu "legado" em especial...

Só acho que a atual seleção brasileira está condenada a uma renovação forçada, o que pode queimar muitos desses jovens (é só ver o Damião, que voltou da seleção e não fez mais nada ainda...).

Depois que o time do Dunga perdeu a Copa, muito por falta de peças de REPOSIÇÃO (Julio Batista de reserva do Kaká, pelo amor dos meus filhinhos, como diria o Silvio Luiz, é pra chorar de raiva como uma pereba dessas é convocada para uma copa... e o GRAFITE então??? PQP), a seleção está praticamente apostando tudo na renovação, e daí não importa muito quem é o técnico (tu acha que com o Muricy não ia ser a mesma coisa??).

Agora, uma coisa é jogar contra a Escócia, outra muito diferente é enfrentar a França em Saint-Dennis... não fico ainda tão preocupado, mas conforme vai aumentando a proximidade da Copa de 2014, temo que essa geração não suporte a pressão INSANA que haverá para ganhar uma copa em casa...

Francinei Bentes disse...

Sobre o Victor, que é um baita goleiro (vc viu o jogo ontem contra o Tiburón??), já vi o Júlio César, que para mim ainda é o melhor goleiro do mundo, cometer falhas piores do que a do nosso nº 1 contra o Veranópolis, e inclusive uma falha bisonha que nos tirou o hexa... (duvido muito que o Felipe Melo teria se descontrolado naquele jogo se não tivesse levado um soco na nuca do goleirão e se o jogo continuasse 1 x 0)...

Mas como o SE não existe no futebol, acho temos que ser mais complacentes com os goleiros (não tem colorado que até hoje idolatra o Clemer??). O cara pode agarrar tudo o jogo inteiro, mas se levou um frango aos 47' da etapa final, é frangueiro... agora, um atacante FERIDA pode errar tudo e perder gols inacreditáveis o jogo todo, mas se guardar uma no final é ARTILHEIRO... ah, pelo amor de Deus né...

milton disse...

Muito fraquinho esse curriculo do Falcao. Nunca ganhou uma Libertadores ou Mundial Interclubes. Como tecnico, nenhum titulo. Renato ta na frente, Porto.

Luiz Portinho disse...

Sancho, grande política essa de levar o piá desde cedo a campo... pretendo colocar em pratica.

Luiz Portinho disse...

Francinei, o debate sempre é interessante e me dá muito prazer a discussão de idéias (por isso tomei a libertade de citar tuas colocações)... a) no Brasil sempre há a obrigação de ganhar a Copa do Mundo, como se fosse algo fácil; b) Dunga fez ótima campanha na Eliminatória, ganhou a Copa América (q. tb. não é nada fácil), montou uma equipe de 1 a 11 q. todos conhecíamos, realizou boa campanha no mundial e perdeu para Holanda, vice campeã mundial com uma geração muito talentosa de jogadores... e foi execrado!?!?; c) M. Menezes não sobrevive até o Mundial 2014... perderá a Copa América e aí já inicia a contestação; d) jogo minhas fichas que L. F. Scolari será chamado para apagar o incêndio da saída de M. Menezes. sobre o carregador de luvas oficial da CBF, como toma frango... o Renan levou muito menos e é outro que foi execrado (pela imprensa pampeana).

Luiz Portinho disse...

Milton, o padeiro de bento nunca ganhou nada de relevo como treinador. pelo contrário, entregou Libertadores p equatoriano (isso sim é fiasco)... de outra parte, o P. R. Falcão só não tem títulos porque trabalhou pouco (somando os períodos de Mexico, Inter e Japão não chega a 4 temporadas)... com os 15 anos de atividade do padeiro de bento, certamente, terá mais currículo e taças no armário.

milton disse...

Porto, o falcao foi um grande jogador; a rivalidade nao me cega a tal ponto de nao reconhecer a grandeza de seus feitos. Admiro muito o que ele fez como jogador pelo inter, levando ao tri invicto do Brasileirao. Um mito colorado e um grande desportista gaucho.

Mas querer dizer que o "padeiro de bento" eh um eterno derrotado eh de uma miopia incrivel. Seria o mesmo dizer que o Falcao eh um eterno derrotado pelo "fiasco" da eliminacao na copa de 82. Eh muito oportunismo, tche. O Renato foi o grande responsavel pelo primeiro titulo internacional do estado, o primeiro mundial da regiao sul, e levou um desacreditado Fluminense ao titulo da CB e a final da Libertadores (perdendo pra LDU nos penaltis, aquela mesma equipe que os derrotou por 4x0 na final da Recopa, lembra?).

Portanto, por melhor que tenha sido o Falcao em 70, nao da pra negar que o Renato foi alem em 1980. O Renato como tecnico perdeu, mas encarou de frente as dificuldades ate vencer. O Falcao por outro lado perdeu, viu que a coisa era feia, e resolveu ser comentarista de futebol.

Sei la, quem sabe ate 2030 o Falcao ganhe mais titulos que o Renato como tecnico, mas no momento quem tem um curriculo mais expressivo eh o padeiro de bento.

Francinei Bentes disse...

Porto, não te tiro a razão sobre a Seleção... não acho que o Mano dura até a Copa (aliás, com um currículo parecido com o do Renato, é técnico da Seleção) e só está lá porque o Muricy não quis...

Agora, o Dunga realmente fez um bom trabalho, e certamente é preciso reconhecer isso... agora, muito da perda da copa passa por ele também... quando o Brasil pela primeira vez enfrentou um time de qualidade, como era essa Holanda de 2010, o descontrole emocional do grupo e a falta de opções no banco para um Kaká baleado, para um Luís Fabiano sem inspiração e para um Robinho firulento foram gritantes... se isso não pode ser debitado na conta do técnico, então o que pode??

Também gosto de debater ideias no futebol, e acho que sobre a seleção a coisa vai ficar pior a cada vez que ficarmos mais próximos da Copa... ah, apenas acho que o FELIPONE não aceita esse papel de bombeiro não. O cara já é campeão do mundo, já tá perto de se aposentar e não vai querer ficar marcado por uma eventual perda da Copa em casa (é só lembrar da Geração 50, e que até hoje culpam o Barbosa pelo Maracanazzo)...

Francinei Bentes disse...

Sobre o técnico do co-irmão, acho o Falcão uma aposta de risco (aliás, trazer um ídolo para a casamata mostra a índole imitadora dos vermelhos)... como disse o Milton, bem ou mal o Renato já era treinador antes de vir para o Grêmio, com algumas conquistas importantes... Já o Falcão só coleciona fiascos nas suas passagens pelo comando técnico, inclusive na Seleção (já que o Porto também não aprova o Mano, e olha que esse aí é colorado, como diz a galera de Venâncio Aires)...

Francinei Bentes disse...

Na real Milton, o senso comum é que tanto o Falcão como o Zico sejam "pés-frios" pela Seleção, principalmente pela eliminação de 82, mas também por outras passagens pouco dignas de nota (Falcão como técnico e Zico como coordenador técnico)...

milton disse...

Francinei, tomara que o Falcao continue sua fama de pe frio no colorado. Uma pena que o gremio empatou hoje, pq dai o primeiro jogo do falcao seria justamente contra o gremio, as vesperas de um jogo importante pela libertadores. E ai: preserva o time pra decisao na quarta? Vai com tudo pra ganhar o grenal? Pelo jeito esse duelo Renato vs. Falcao vai ficar pro final do turno/estadual.