terça-feira, abril 01, 2008

Ano II, Número 63


99 ANOS DE TRADIÇÃO

É véspera de centenário. E o torcedor Colorado já não consegue esconder a euforia. O projeto de 100 mil sócios está nas ruas e a cada dia que passa é uma realidade maior. O Gigante da Beira-Rio, aos poucos, se transforma no mais moderno estádio do país. Dentro das quatro linhas, já conquistamos tudo que um clube pode disputar e um pouco mais; de São Borja a Belém, de Assunción a Dubai, em Yokohama, no Nou Camp de Barcelona ou ali na azenha, aonde marcarem a peleia iremos sempre para vencer. E sempre convivendo entre os grandes, na divisão de elite, alcançando seus objetivos dentro de campo. Internacional: 99 anos de tradição e de orgulho para a imensa Nação Colorada.


CAXIAS OU SÃO JOSÉ ?

Que venha o próximo, porque o time de Canoas não deu nem para a saída. Fiquei satisfeito com o resultado, apesar de não ter gostado nem um pouco da equipe escalada (Jonas no lugar de Edinho foi inexplicável – por que não dar mais uma chance ao jovem Sandro ?). A vitória de 4x1 em Canoas decidiu nossa série. E agora é esperar pelo adversário. Acho que o Caxias enverga o Zequinha de André Luiz e Uh! Fabiano.


MAIOR TORCIDA DO RIO GRANDE I

Na semana passada escrevi a respeito dos 45 mil x 20 mil aplicados em cima da vizinhança quando se abriu os portões para mulheres e crianças. O dado desta semana é a média de público da fase classificatória do Gauchão. E não há surpresas: 16,6 mil x 13 mil. Goleada, de novo!


MAIOR TORCIDA DO RIO GRANDE II

No interior também a superioridade do torcedor Colorado ficou marcada. Enquanto o portoalegrense levou em média 3 mil pessoas a seus jogos, o Internacional teve freqüência média de 4,3 mil torcedores. A diferença é muito grande e reflete muito bem o atual panorama de torcidas dentro do Rio Grande do Sul.


ALEX É SELEÇÃO

Extrapolou fronteiras a ótima fase do meia Colorado. Alex foi escolhido o melhor jogador em atividade do país, em enquete realizada pelo Jornal da Globo. Foram 46% dos votos contra 25 de Valdívia, 17%¨de Ramires e 9% de Tiago Neves. Chama o guri para seleção Dunga!


DESFALQUES

O surto de hepatite pode trazer graves prejuízos ao grupo do Internacional. Já temos a confirmação de Maycon e Ramón. Renan, Muriel e Edinho estão em observação. Os maiores problemas, como se vê, são goleiro e volante. Para o arco temos Clemer e o jovem Agenor, do Sub-20. No meio, sem Maycon, Edinho e, ainda, W. Monteiro, lesionado, é imperativo dar oportunidade ao jovem Sandro, de ótima performance contra o Inter-SM na última quarta-feira.


LEI SECA

Sancionada e aprovada a lei que proibe venda e consumo de bebidas alcólicas dentro de praças esportivas com capacidade para mais de 5000 pessoas. É a velha história de tirar o bode da sala. A lei não acabará e, tenho quase certeza, não reduzirá a violência nos estádios, porque o consumo prévio não pode ser coibido. Não são as bebidas as responsáveis pela violência nos estádios.


RÁPIDAS

Conselho Deliberativo aprovou a venda do terreno dos Eucaliptos. Os quase R$ 30 milhões arrecadados serão inteiramente investidos na cobertura do Beira-Rio.

Pensem um pouco: com a negociação de Pato Alexandre o Internacional recebeu algo em torno de R$ 37 milhões. Ou seja, mais do que vale os Eucaliptos, um terreno gigante em área nobre da Capital.

Se a sociedade moderna vive em tempos de valores pervertidos, o que dizer do mundo da bola ?

Quarta-feira é dia de Copa Brasil. Internacional de folga, porque bateu seu adversário na ida.

Nilmar estará de volta no final de semana.

Está chegando a hora das finais. E já é visível o terror que se abate sobre a azenha...

60 mil sócios esta semana. 100 mil sócios daqui a um ano.

PARABÉNS INTERNACIONAL PAPAI COLORADO DA ALDEIA PAMPEANA!

Saudações rubras, do MULTICAMPEÃO MUNDIAL, INTEGRANTE DO G6 e DETENTOR DA TRÍPLICE COROA MUNDIAL.


Luiz Portinho -
lcportinho@yahoo.com.br





A NOVA MISSÃO

Na quarta passada, nem havíamos terminado de cumprir o carnê da primeira fase, enfrentando o 15 de Campo Bom em seu estádio, e já sabíamos qual seria a nossa próxima missão no Campeonato Gaúcho: o Juventude. E já no sábado, já enfrentamos o alviverde da serra, e diferente do time do vizinho, nós fomos lá e derrotamos o Ju por 2x1.



O 15 DE CAMPO BOM

Com um time praticamente reserva, o GRÊMIO começou arrasador o jogo contra o 15 de Novembro em Campo Bom. Com direito a um golaço de Jonas de sem-pulo quase que de fora da área e outro belo gol em cobrança de falta do lateral Anderson Pico ao melhor estilo Roberto Carlos. Aos 23 minutos, já vencíamos por 4x0. Parecia que seria 8, 9 a zero para o GRÊMIO, tal a facilidade tricolor em empilhar gols. Mas depois do 4º gol houve um relaxamento total da equipe, que passou apenas a administrar o resultado.

Ainda no primeiro tempo, levamos o gol “de honra” da equipe do Vale dos Sinos, o que determinou números finais ao jogo, pois o segundo tempo não reservou um bom futebol e quase nenhuma chance de gol por ambas as equipes.

Destaque do jogo para o volante Rudnei, que da condição de quase dispensado do GRÊMIO, aproveitou muito bem a chance e seguiu como titular contra o Juventude.


A PARTIDA DE IDA CONTRA O JU


Começamos a partida com uma escalação um pouco diferente da que vinha jogando as últimas partidas. Na zaga, Jean deu lugar a Pereira, lesionado. Na lateral-esquerda, Anderson Pico entrou no lugar de Hidalgo, que demorou em sua reapresentação depois de ter defendido a seleção peruana no meio de semana. E no meio-campo, Rudnei jogou ao lado de Nunes e Eduardo Costa no lugar do paraguaio Dos Santos. E os três volantes fizeram com que Roger jogasse mais liberado, numa espécie de 4-3-1-2. O ataque foi mantido com Perea e Reinaldo.

E foi justamente Reinaldo que marcou os dois gols do GRÊMIO. O primeiro, logo aos 8 minutos em cobrança de escanteio, de cabeça. E o segundo, em uma assistência de Anderson Pico, o atacante gremista entrou a dribles na área, e depois de parecer que ele perdeu o tempo da jogada, chutou cruzado desviando de Michel Alves. O Juventude descontou no segundo tempo através de Mendes, de cabeça.

O jogo de volta já está marcado para o Olímpico, neste domingo às 16h.


A PAUSA PARA A COPA DO BRASIL

Enquanto escrevo esta coluna, o GRÊMIO já está em Goiânia para jogar nesta quarta-feira, às 21h45min, pela Copa do Brasil, contra o Atlético-GO. A direção do GRÊMIO acha muito difícil que consigamos eliminar o Dragão na primeira partida, por se tratar de uma boa equipe, e que venceu as últimas 7 partidas que disputou. O atual campeão goiano tem alguns jogadores conhecidos: Anaílson, ex-São Caetano; Pedrinho, volante que teve passagem pelo GRÊMIO na série B; e também o bruxo do nosso vizinho, o lateral Barão.

Seria bom eliminar a necessidade da segunda partida, que ocorreria bem no meio da preparação para enfrentarmos as semifinais do Gauchão, embora o GRÊMIO tenha conseguido se favorecer desta prerrogativa por raríssimas vezes.

Passando pelo Atlético-GO, enfrentaremos Coritiba ou São Caetano.


A ARENA NO HUMAITÁ

Está definido o local da Arena Tricolor: será mesmo no bairro Humaitá, e será construída pelo consórcio TBZ-OAS. A reunião ocorrida nesta quinta, que contou com a presença de mais de 200 conselheiros, fez a escolha através de votação. O protocolo de intenções entre GRÊMIO e TBZ-OAS foi assinado nesta terça-feira.

Agora, basta assinar o contrato, fazer os estudos de impacto ambiental na área escolhida, aprovar tudo e a construção da Arena deve começar no segundo semestre deste ano. A previsão é que fique pronta no início de 2012.


SEGUE A INVENCIBILIDADE


Nesta quarta-feira, o GRÊMIO pode igualar uma marca do time campeão da Copa do Brasil de 2001, que ficou 20 jogos consecutivos sem perder. A partida contra o Juventude foi a 19ª sem derrota. No domingo, a marca pode ser superada.

Vale lembrar que a última derrota do GRÊMIO foi dia 11 de novembro de 2007, quando perdemos para o São Paulo, no Morumbi.


RAPIDINHAS

Apesar das negativas da direção gremista, o meia-atacante Hugo pode voltar a vestir a camiseta do GRÊMIO no Campeonato Brasileiro. A direção gremista, no entanto, espera que Hugo reduza sua pedida salarial. Hugo foi afastado no São Paulo, onde nunca conseguiu demonstrar o mesmo futebol que havia jogado aqui no GRÊMIO em 2006.


E segue o trem-pagador pelas bandas do aterro.



Vizinho, se quiser aprender como se ganha do Juventude, podem pegar a gravação do jogo de sábado.


Aliás, desde agosto de 2004 nós não sabemos o que é perder pro alviverde da serra.


Tchê, mas que côsa feia a pancadaria após o clássico Avaí X Figueirense no Scarpelli! Um fato lamentável protagonizado por ambos os times. Manchou a quebra do tebu do Avaí, que não vencia o Figueira em seus domínios fazia 20 anos.


E com esta história, saiu uma resolução de que jogador só pode comemorar gols com a sua torcida, sendo passível de cartão a não-observância desta norma. Não precisávamos ter chegado a este ponto.


Por sinal, que bom que não pegou aqui a tal moda de dançar o CRÉU em comemoração de gol. Que esta modinha fique lá do Mampituba pra cima.


Passando pelo Ju, pegaremos Sapucaiense ou Santa Maria. No primeiro jogo, 2x1 pro rubro-negro de Sapucaia no estádio Cristo Rei. Torço pra que a gente pegue o Sapucaiense. Além de teoricamente mais fácil, teríamos melhores condições de poder acompanhar o jogo de ida em São Leopoldo, a exemplo do que fizemos eu, o Sancho e nosso amigo Ricardo Gomes, quando as duas equipes se enfrentaram na primeira fase. E conforme mostra a foto abaixo:

Da esquerda para a direita: Sancho, Ricardo Gomes e eu.

Saudações tricolores do dono do Rio Grande,

Leonel Knijnik (DJ Aldebaran)
Gaúcho por Tradição e Gremista de Coração



16 comentários:

Guillermo disse...

bah... esse portinho é jornalista da veja??? ou seria assessor na (des)governadora???

mentira pouca é bobagem... com isso o surto de amarelão na beira da lagoa vira resfriado.

DÁ-LHE GRÊMIO!!!

Anônimo disse...

bah!ganhou só 35 contra os 37 do rival e é dono do rio grande!só podia ser no primeiro de abril eterno portoalegrense!!!

Anônimo disse...

e aí sabiam que a vila chocolatão vai ser transferida pro humaitá...ZONA NOBRE ,HEIN...

DJ Aldebaran disse...

É o mesmo primeiro-de-abril que indica vocês como a maior torcida do RS. Se presença em estádio é critério, por que não era no Brasileiro de 2006 e 2007? E o fato de ter vencido os dois últimos GRE-nais e ser o atual bi-campeão gaúcho credencia os gremistas como atuais donos do Rio Grande. Vençam o campeonato e até o ano que vem os donos serão vocês. Ahn, e vê se te identifica da próxima vez, ô anônimo!

San Tell d'Euskadi disse...

O nosso time está em formação, trocou de treinador, é inconstante. Já o "Carrossel" vem patrolando todo mundo. Eis a diferença. Quer queiramos ou não, quer gostemos ou não, o nível de "fidelidade" do torcedor da Dupla ainda é beixo. Vem melhorando, mas ainda é baixo.

Luiz Portinho disse...

nível de fidelidade baixo só se for na azenha... no Beira-Rio sempre foi alto... eu já intimei o aldebaran a trazer as médias do nacional desde 71 ou dos últimos 20, 15, 10 ou 5 anos... ganharemos em todas!
dá-lhe anonimo colorado!

San Tell d'Euskadi disse...

Porto, eu só posso comparar o "alto" e "baixo" em relação a ela mesma. A média da dupla, por mais que tenha subido, ainda é insatisfatória. De ambos os clubes. Não te esqueças que o Olímpico lotado tem menor capacidade que o Beira-Rio, assim, sempre que vocês enchem a casa, vocês estão em vantagem na média.

Se for para comparar, que seja em porcentagem, não em números brutos.

Um abraço.

DJ Aldebaran disse...

Eu nem preciso que tragam números de público desde 1971. Eu já trouxe os números de 2006 e 2007 e perguntei por que nestes 2 anos presença em estádio não foi critério. Os números estão no arquivo do blog e das mensagens da MRV. Simples... responda: se presença de público é critério, por que não foi em 2006 e 2007?

Luiz Portinho disse...

Exatamente porque não se pode pegar um período pequeno e com ele querer justificar uma história, Aldebaran. Muito simples. Por isso eu quero que tu elejas o critério e traga. 30 anos, 20 anos, 15 anos, 10 anos. Escolhe!

Luiz Portinho disse...

A-TLE-TI-COOOOOOOOOOOOO!

San Tell d'Euskadi disse...

O jogo foi no Serra Dourada e só tomamos dois. LUCRO!

DJ Aldebaran disse...

Os números percentuais da década de 70 só confirmariam o "trem-pagador". Acontece que no Olímpico cabiam em torno de 30 mil pessoas, pois o anel superior não estava completo ainda. Mas a torcida tricolor SEMPRE lotava o estádio. Eu já contei a história antes. E eu acho que não tem que se pegar médias históricas de 30 anos atrás. Aliás, pra mim, presença em estádio nunca foi critério pra determinar tamanho de torcida.

San Tell d'Euskadi disse...

Completo?! O anel era 1/3 do que é hoje, se tanto. E o Beira-Rio, na década de 70, era 3 vezes maior que o Olímpico!

Luiz Portinho disse...

1) óbvio, aldebaran, como bom gremistas que és, pesquisas e estatísticas tem mais valor do que torcedor dentro do estádio.

2) eu não tenho culpa se o estádio de vocês não existe no mapa futebolístico. culpar o tamanho do estádio pela inferioridade da torcida é o auge da "teorização tricolor".

3) VIVA O GIGANTE DA BEIRA-RIO. 60 mil sócio. VIVA A MAIOR TORCIDA DO RIO GRANDE DO SUL.

San Tell d'Euskadi disse...

Porto, como advogado que és, poderia interpretar texto um pouco melhor, não achas?!

"Maior torcida do Rio Grande" e "Clube do Povo" são o maior exemplo de "verdades marqueteiras" do futebol gaúcho...

P.S.: Parabéns pelos 99 anos dessa bela e GIGANTE história!

Luiz Portinho disse...

Desculpa-me Sancho, mas Clube do Povo é expressão mais do que concreta da realidade; é pecha que só pode ser utilizada para quem já nasceu plúrimo e sempre acolheu a todos, como é o caso do S.C.Interancional. De outra parte, Maior Torcida do Rio Grande, como se vê pela presença nos estádios e pelas ruas do mundo inteiro, também não é 'verdade marqueteira'.
IMORTAL sim é 'verdade marqueteira', porque cair para SEGUNDONA (2 vezes), voltando numa delas por um regulamento esdrúxulo e alterado em meio à competição, não é coisa de imortal.
Saudações rubras, e VIVA O GLORIOSO PAPAI DOS PAMPAS - 99 ANOS DE GLÓRIAS, TRADIÇÃO E DIGNIDADE.