terça-feira, junho 03, 2008

Ano II, Número 72

ROTH E O APAGÃO

Neste sábado, o GRÊMIO sofreu sua primeira derrota no Campeonato Brasileiro. Perdemos de virada por 2x1, em um jogo que poderíamos muito bem ter saído com um empate ou até mesmo com uma vitória, não fossem novamente as trapalhadas de Celso Juarez Roth no segundo tempo. Parece que deu apagão no time. É a única explicação plausível para o pífio desempenho do time do GRÊMIO no segundo tempo.

Começamos bem, com o time bem postado na defesa, e aproveitando-se da fragilidade defensiva do Vasco, saímos na frente com um gol de Reinaldo, de cabeça. Parecia tudo bem. Daí o treinador do Vasco colocou um terceiro atacante, e daí parece que o time desandou. Jean, que houvera entrado no intervalo, fez o gol de empate e o da virada vascaína.


APAGÃO II

Acontece que, novamente, Celso Roth teve sua parcela de culpa, ao não dar o contra-veneno correto à mudança do adversário. Colocou 3 atacantes, no enfrentamento direto aos nossos 3 zagueiros. Com isto, a zaga fez água e acabamos levando nossos primeiros dois gols no campeonato. Me parece claro que a postura mais correta seria fazer uma linha de 4 jogadores entre o meio-campo e o ataque adversário, adiantando a marcação e isolando os atacantes do outro time. Mas o que Roth fez? Ao tirar Reinaldo, que sentira lesão, colocou Makelelê, mais um volante. E depois, ao retirar mais uma vez Roger, que não fez um bom segundo tempo mas era o único articulador do time, para aí sim colocar mais um atacante (Jonas). Providência tardia, pois o Vasco já nos vencia por 2x1. Antes, o nosso treinador já havia sacado Soares para promover a reestréia de Marcel.


OS ERROS DE ROTH

Roth errou ao escalar o time, errou ao compor o banco de reservas, e errou nas mudanças durante a partida. Eduardo Costa não é de hoje que não vem bem. Parece que joga sobreposto a Rafael Carioca, na mesma faixa de campo. Na hora que entrou Jonas, deveria ter saído um dos volantes, ou o lateral Anderson Pico, de péssima atuação, e parecendo mais gordo do que eu antes da cirurgia. Merece também o destaque negativo o fato de Julio dos Santos não estar sequer sendo relacionado para as partidas. Tudo bem, o paraguaio não é exatamente a oitava maravilha do mundo, aliás, passa longe disso. Mas daí o GRÊMIO fica sem nenhuma opção no banco para a posição do Roger. Rodrigo Mendes, que também poderia fazer esta função, a exemplo do que fazia em 1998 com o próprio Roth, acabou ficando em Porto Alegre a exemplo do paraguaio Dos Santos.


A HORA PARA TROCAR DE TÉCNICO

Se fosse qualquer outro treinador, talvez neste momento devêssemos estar pedindo calma e solicitando tempo para ele trabalhar. Mas como trata-se de Celso Roth, que sequer deveria ter vindo, torna-se oportuno qualquer momento para desfazer o erro e trazer para o GRÊMIO um treinador de verdade.


RAPIDINHAS

Tcheco já está em Porto Alegre. Mas só deve estrear em agosto, devido à janela de transferências para jogadores oriundos de fora do país. No entanto, o GRÊMIO deve recorrer à FIFA para tentar antecipar sua reestréia.


Perea pode ir para o futebol israelense no segundo semestre. O Betar Jerusalém, atual campeão de Israel, devolveu o ex-gremista Rômulo ao Cruzeiro e deve tentar o colombiano, que tem contrato até 2012 com o GRÊMIO.


Alô vizinho! Estão sem técnico? Levem o Roth! Nos resolveria dois problemas.


Domingo é dia de reencontrar Renato Portaluppi, eterno ídolo tricolor, que estará no comando técnico do Fluminense. Vamos mostrar novamente a força da torcida tricolor e encher o Olímpico. O jogo é às 16h.


Saudações imortais do 1º colocado no ranking oficial da CBF,

Leonel Knijnik (DJ Aldebaran)
Gaúcho por Tradição e Gremista de Coração



COM MAIS DE 30 DIAS DE ATRASO.


No dia 15 de maio, horas depois da derrota para o Sport e da eliminação na Copa Brasil, escrevi em meu sítio que “o grande responsável pela derrota foi A. Braga, o motivador. Há dias que venho afirmando que Abel é um grande motivador, mas taticamente é péssimo (e um treinador, para ter sucesso, depende de 70% conhecimento tático e apenas 30% motivação). Foi ridículo o posicionamento da equipe na segunda etapa...”. E terminei a postagem com a seguinte premonição: “Tenho medo das consequências desse vexame! Pode gerar crise. Oremos!”. Pois aí está, um mês depois, a crise gerada. As respostas (as conseqüências) começam a aparecer, as dúvidas vão se diluindo. Eu pelo menos já não tenho mais nenhuma: A. Braga já estava fora do INTERNACIONAL desde o dia 15 de maio, quando perdemos para o Sport. E, realmente, ele foi o grande responsável por aquela derrota, não só no plano tático como, especialmente, no plano anímico. Aliás, na última semana indaguei, aqui mesmo neste sítio, “Cadê o Abelão?”. Era o título de minha coluna, na qual denunciava que nem mesmo a qualidade motivadora de Abel se fazia mais presente no Beira-Rio. Os fatos estavam postos, às claras, só não viu quem não quis.

ÁGUA NO CONVÉS

Estava mais do que evidente que, há mais de 30 dias, o departamento de futebol do INTERNACIONAL estava a deriva. Por isso, culpo o Vice de Futebol e o Presidente pela omissão, por manterem um treinador-saído no cargo. E, agora, noticiada a saída de A. Braga, G. Luiggi se declara surpreso ?! Mas como ?! Luiggi não enxerga as coisas que acontecem debaixo de seus olhos ?! É o capitão que não enxerga a água tomando do seu convés.

SUBSTITUTO I

Cuca e Tite nem vou comentar. Seria o absurdo dos absurdos, a raposa cuidando do galinheiro! Geninho, por sorte, acabou de assinar com o Botafogo (dessa nos livramos). Muricy seria o nome certo para este momento. Obteria, no mínimo, a vaga para a Libertadores. O problema seria enfrentar o centenário com ele, notório perdedor em competições de mata-mata (com times covardes). Acho, entretanto, que o São Paulo não vai liberá-lo (leia-se demiti-lo).

SUBSTITUTO II

Estou com palpite de que vem o P. Autuori. Que, adianto, não me agrada. Aliás, hoje em dia, pouquíssimos treinadores me agradariam. A lista é pequena: W. Luxemburgo, O. Gonçalves, o “Chapinha”, e o argentino C. Bianchi. Só. O resto é tudo roupa do mesmo balaio. Outro que me agradaria é L. Machado, cria nossa, mas que recém foi contratado pelo Náutico.

JANELA DE TRANSFERÊNCIA

Alex continua com ótimo rendimento, na meia esquerda. Dificilmente não sairá na próxima janela de transferências. Aliás, o perfil das equipes deve mudar bastante, devido ao grande número de baixas nos plantéis. Quem tiver melhor capacidade de reposição pode tirar proveito.


RÁPIDAS

P. C. Carpegiani é outro nome que surgiu, hoje, no debate do Apito Final. Bom nome. Conhece de futebol taticamente, tem ótimo currículo e, acima de tudo, identificação com o INTERNACIONAL. Mas, ao que parece, tem "pendenga" jurídica com o clube.

Outro que me agradaria muito é Don Elias Figueroa. Foi espetacular na única passagem que teve no cargo, em 1996. É um ídolo Colorado, conhece como poucos os vestiários do Beira-Rio. E, melhro de tudo, teria peito para enfrentar os medalhões do grupo. O problema é que os dirigentes atuais nem devem saber quem é Figueroa.

Se Guto Ferreira escalar o INTER no 4-4-2 no final de semana, lancerei a campanha FICA GUTO na próxima coluna.

Adriano na ala direita foi a última invenção de A. Braga. O cúmulo dos cúmulos.

Renan salvou o INTERNACIONAL de uma trágica derrota. Goleiraço!

A equivocada substituição de Nilmar por Iarley foi o último ato de Abel como treinador do INTER. Um desastre. A repetição de um erro. E repetir erro é; bueno, nem preciso adjetivar.

Independente do nome do treinador, a única coisa que exijo, agora, é que o INTERNACIONAL volte a jogar no 4-4-2, com cada jogador sendo escalado em sua posição.

E o vizinho levou uma lição do delegado A. Lopes hein. Dale nó tático neles delegado!

Semana de euforia para o vizinho. Na próxima rodada receberá a visita de R. Portaluppi, seu ícone, que ano passado veio a Porto Alegre, recebeu faixa de campeão, e, vejam só, saiu com os três pontos na tabela. Vá entender!

Saudações rubras, do MULTICAMPEÃO MUNDIAL, INTEGRANTE DO G6 e DETENTOR DA TRÍPLICE COROA MUNDIAL e DONO DA ALDEIA (38*).

Luiz Portinho - lcportinho@yahoo.com.br



4 comentários:

San Tell d'Euskadi disse...

Vamos lá:

Aldeba, criticar o Roth pela escalação depois do domínio no PT é birra. Foi só pelo costume. Além do mais, basta ver os nomes cogitados para treinar o vizinho e vemos que ficar com o Roth não é tão má idéia. Ainda mais com o elenco limitadíssimo que temos. O ideal é procurar JÁ um treinador para o ano que vem...

Porto, CUIDADO COM O REBAIXAMENTO! Hehehehehehehehehe! Falando sério, eu manteria o Guto. Prefiro apostar num nome novo e num projeto de longo prazo do que num treinador com prazo de validade, como são os cogitados. No mais, colocar o "Xapinha" entre o Wanderley, o Bianchi e o Carpeggiani, não foi demais, não?!

Abraço a vocês!

DJ Aldebaran disse...

Ok, como diria o esquartejador, vamos por partes:

Sancho, o esquema de 3 zagueiros e 2 volantes cabeças-de-área funcionou no 1º tempo muito pela inoperância defensiva do Vasco, da qual soubemos nos aproveitar. Mas no segundo tempo, o Lopes soube fazer a leitura correta do jogo, colocou 3 atacantes no enfrentamento direto com a nossa zaga e daí a maionese desandou. Não tem como não culpar o Roth pela derrota.

E Porto, o jogo entre GREMIO X Fluminense no Olímpico ano passado aconteceu na 2ª rodada, o Renato recebeu a faixa de campeão, mas os 3 pontos ficaram aqui. Foi 2x0 pra nós, gols de Carlos Eduardo e Tuta.

Luiz Portinho disse...

1) bah! essa do Aldebaran convocar a torcida para ir ao chiqueiro ver o Renato foi demais... para a antologia do blog...

2) Chapinha é um dos caras que mais conhecem futebol, vestiário e a própria aldeia... sou fã do Chapa!

3) olha Sancho, se o INTERANCIONAL entrar no 4-4-2 domingo, semana que vem lanço a campanha FICA GUTO!

4) Aldebaran, não é o C. Roth, é o 3-5-2 o problema... 3-5-2 com 2 volantes tem isso aí, os dois se sobrepõe numa única função e sobrecarrega a criação (o Roger Secco no caso).

Lucas Aidukaitis disse...

Os vermelhos que se cuidem, parece que enfrentarao os pioneiros das Americas na Sulamericana... Careful!