terça-feira, agosto 04, 2009

Ano III, Número 133



O JAPÃO É NOSSO!

.
Longe, muito longe. É no Japão que o INTERNACIONAL lambe suas feridas e tenta reencontrar a paz e a melhor forma de atuar. A distância das pressões já se revela proveitosa. Ao invés das cobranças por parte da torcida e imprensa, o grupo de atletas ganha tempo para acertar divergências e se adequar a nova forma de jogar. Nilmar e Magrão já são figuras do passado e é preciso encontrar logo soluções para seguir na ponta da tabela do Campeonato Nacional. A última rodada foi proveitosa. Mesmo sem atuar, o Colorado segue no G4. E com um pouco de sorte, voltaremos do Japão com mais uma taça e no pelotão principal (e com 3 jogos a menos). Uma coisa é certa, seguiremos na peleia até o final!
.
ÍDOLO ETERNO I
.
Fernandão assinou contrato com o Goiás. Errei em minha previsão de que o Beira-Rio seria o seu caminho de retorno ao Brasil. F. Carvalho declarou, no Japão, que tentou sim trazer Fernandão de volta. Custo a crer que o INTERNACIONAL perderia essa parada para o Goiás, tanto do ponto de vista financeiro como emocional.
.
ÍDOLO ETERNO II
.
Mas, ao fim e ao cabo, reflexão calma sobre o tema revela que a ida de Fernandão para o Goiás foi um grande negócio para todos, inclusive para o INTERNACIONAL. A especulada cifra de R$ 300 mil mensais anunciada poderá ser melhor utilizada na contratação de um ou dois reforços que se fazem necessários. Fernandão, com o sentar da poeira, seguirá ídolo eterno de cada torcedor Colorado. E no Goiás poderá escrever outra história de glórias, ao lado de Iarley.
.
ÍDOLO ETERNO III
.
O lance de Fernandão é mais um a comprovar as dificuldades das relações humanas, presentes ainda em maior proporção no campo do futebol. A saída de todas as figuras que ilustram os pôsteres de campeão da Libertadores e Mundial FIFA foram doloridas. F. Eller, Edinho, Alex... Iarley chorou. Fernandão declarou amor eterno. Clemer e Índio seguem no Beira-Rio e poucos se atrevem a criticá-los. Fernandão fez muito pelo INTER e vice versa, mas isso não significa deveres eternos.
.
NOVO TIME
.
O INTERNACIONAL suou sangue, mas obteve os três pontos contra o Barueri, na primeira partida realizada após a “sacudida no vestiário”. Pouca coisa mudou em termos de time, como, aliás, preconizei na última coluna. Apenas na meia cancha, com o ingresso de Giuliano por Magrão. A mudança foi efetiva e rendeu maior produtividade e mobilidade ao meio de campo. Não fossem as duas falhas calamitosas do arqueiro M. Alves, teríamos vencido com maior felicidade. O gol de Sorondo aos 40 e tantos da etapa final salvou a pele de Tite e garantiu uma viagem tranqüila ao Japão.
.
IMPRENSA AZUL
.
Ridícula, para dizer o mínimo, a tentativa da imprensa azul de comparar a COPA SURUGA BANK (que faz parte do CALENDÁRIO OFICIAL DA FIFA) com uma tal de Copa Sanwa Bank (????) que o time da azenha disputou na década de 90. Aliás, para quem acha que exagero, tentei encontrar notícia da derrota deles para o São Paulo por 2x1 no órgão oficial da imprensa azul (clicrbs) e, pasmem, não havia sequer uma linha a respeito.
.
CACHORRO MORTO
.
Há um time que disputa o certame nacional que se notabilizou em 2009 por bater em cachorro morto. Venceu clubes inexpressivos do Peru e Bolívia e outras nabas. A arrogância exalou pelos poros de seu torcedor, até levar um tufo quando encontrou o primeiro adversário médio. Agora esse mesmo time é saco de pancadas no Nacional. Perde em Florianópolis, em São Paulo, em Curitiba, no Rio de Janeiro ou em qualquer canto que tenha de jogar. E para ganhar uma partidinha, em casa, precisa que o juiz deixe o adversário com nove em campo. Pobre desse torcedor agoniado que só consegue bater em cachorro morto!
.
ESTÁ REGISTRADO NA HISTÓRIA
.
A recepção calorosa e o grande números de torcedores do INTERNACIONAL no Japão revelam a importância da grandiosa conquista do MUNDIAL FIFA 2006. As imagens do oriente revelam verdadeira caçada dos fãs japoneses por autógrafos e souvenirs do clube. O INTERNACIONAL é mundial, é campeão, e é muito maior do que se pode imaginar. A tradição deste Clube está escrita e registrada na história.
.
RÁPIDAS
.
A gurizada dos juniores foi vice campeã da Taça BH, disputando a final no Mineirão, como preliminar de Galo Mineiro e Coritiba.
.
Afora o goleiro Guilherme, não consegui vislumbrar grandes promessas na equipe.
.
Tudo bem, vou fazer um esforço, o atacante Alex tem porte físico e na meia cancha há alguns nomes esforçados que merecem investimento e paciência. Mas, no geral, o grupo não anima muito.
.
Repito, com um pouco de sorte, o INTERNACIONAL regressa do Japão no pelotão de cima do Camp. Nacional. Vou além, pode até regressar do oriente ainda no G4.
.
C. Santana é o nome especulado como provável reforço do INTERNACIONAL.
.
Sinceramente, lembro muito pouco deste jogador. Teve algum destaque no período em que atuou pelo Santos. Não o suficiente para me fazer vibrar com a especulação.
.
Magrão deve acabar na Arábia. Alguém duvidava que a lesão anunciada na última semana era 171 para não embarcar para o Japão ? É dose!
.
D´Alessandro, em compensação, será reintegrado assim que o grupo retornar do Japão.
.
Fica a torcida para que volte a jogar seu futebol, que, não há como negar, é de grande utilidade, especialmente do ponto de vista da criatividade ofensiva.
.
As falhas do goleiro M. Alves contra o Barueri causaram calafrios.
.
Tanto pelos gols sofridos como pela possibilidade de termos a volta do quarentão Clemer ao arco.
.
Andrezinho sofreu lesão e não deve atuar no Japão. M. Alves, Bolivar, Indio, Sorondo e Kleber; Sandro, Glaydson, Guiñazu e Giuliano; Taison e Alecsandro. E dá-lhe Colorado!
.
Milagre: TV COM vai transmitir ao vivo, a partir das 7h desta 4ª feira, o jogo entre INTERNACIONAL e OITA TRINITA.
.
Os secadores vão acordar bem cedo...
.
COLORADO RUMO A MAIS UM CANECO DO CALENDÁRIO OFICIAL DA FIFA!
.
Saudações rubras, do DONO DA ALDEIA (*39), CAMPEÃO DE TUDO e SEMPRE NA PRIMEIRA DIVISÃO.
.
L. Portinho


A SINA DO MARIDO FIEL


Se eu quisesse poupar trabalho, poderia simplesmente copiar e colar o início da coluna da semana passada. Até porque ficou evidenciada a sina do marido fiel do GRÊMIO, ou seja, aquele que não joga fora de casa.

Contra o São Paulo, levamos 2x0 num jogo em que o GRÊMIO simplesmente se absteve de entrar em campo e o resultado saiu barato. Na rodada seguinte, contra o Cruzeiro em casa, um 4x1 de virada, aliás, a terceira partida consecutiva dentro do Olímpico que saímos perdendo e viramos o placar.


A SINA II

A situação está tão escancarada que dentro de casa o GRÊMIO tem o melhor aproveitamento dentre todos os clubes. Enquanto nos jogos fora do Olímpico seguimos com a pior campanha, agora com 4,8% de aproveitamento.

O problema que quanto mais esta situação se perdurar, maiores serão os questionamentos e maior será a pressão em cima do time, pois é um incômodo muito grande e vem se tornando uma pedra no sapato do time. Está na hora de revertermos esta situação, e que seja já contra o Palmeiras.


OS CONFRONTOS DA SEMANA

Sobre o jogo contra o São Paulo não há muito a ser falado. Fomos totalmente envolvidos pela marcação do time paulista, que vem subindo no campeonato, sucumbimos a um dia inspirado do zagueiro Miranda e do atacante Dagoberto. Não criamos quase nenhuma situação de gol. E a apatia do time foi tamanha que cometemos apenas duas (!) faltas durante todo o jogo. Apatia preocupante, por sinal.


OS CONFRONTOS DA SEMANA II

Contra o Cruzeiro, mais um filme repetido: o dos gols perdidos. O primeiro tempo foi outra aula de como se perde gols. Mesmo com um jogador a mais, empilhamos chances perdidas. E levamos um gol num pênalti duvidoso. O primeiro tempo terminou 1x0 para o Cruzeiro.

No segundo tempo, um jogo bem diferente. Daí o adversário teve mais um jogador expulso e, com a vantagem numérica ainda maior, as bolas começaram a entrar. E teve que ir um zagueiro pra resolver o que o ataque não estava resolvendo. Empatamos através de um gol do zagueiro Réver. Tcheco, Jonas e Maxi Lopez deram os números definitivos à partida.

Destaque pra dois nomes: Douglas Costa, que entrou no time logo após a expulsão do lateral Jonathan aos 17 do 1° tempo. Thiego, de atuação discreta, foi sacado do time para a entrada do garoto. Mas não pela atuação do nosso zagueiro-lateral improvisado. E sim por uma mudança tática que alterou totalmente o panorama do jogo. E, claro, para o autor da mudança, Paulo Autuori. É bom olhar pra casamata do GRÊMIO e ver que tem jóquei. A modificação, feita com o objetivo de dar maior volume de jogo e aproveitar a nossa superioridade numérica em relação ao Cruzeiro, se mostrou extremamente eficaz e correta, dando o resultado esperado. Se fosse há algum tempo atrás, se empilharia volantes.


PARA AFASTAR A SINA

Agora, são dois jogos fora de casa seguidos: o líder Palmeiras, adversário tradicionalíssimo e que resgata à memória do torcedor gremista os grandes confrontos da década de 90, e o emergente Barueri, que mesmo estando numa trajetória descendente será um adversário complicado.

Ganhar do Palmeiras sempre tem um gostinho especial para o torcedor do GRÊMIO. Jamais me convencerão que um GRÊMIO X Palmeiras é um jogo qualquer, ou apenas mais uma partida. Foi, talvez, o maior clássico da década de 90, e cada embate é especial por tudo que aconteceu até então.


PARA AFASTAR A SINA II

Para o confronto, o técnico Paulo Autuori sinaliza com a possibilidade de Douglas Costa ingressar no time para jogar no ataque ao lado de Maxi Lopez. Seria, na verdade, uma reedição do 4-2-3-1 que o técnico Mano Menezes usava naquele time de 2006 que terminou em 3º lugar no Brasileiro. Naquela equipe, o meio-campo era formado por Jeovânio e Lucas como dupla de volantes, e Tcheco, Leo Lima e Hugo como setor de criação. Talvez tenha sido a melhor fase do “capitão dos jogos decididos” no GRÊMIO, até porque naquela época ele não ostentava a braçadeira de capitão e muito menos a jaqueta nro. 10 do time.

A se confirmar o proposto por Paulo Autuori nesta quinta-feira, às 21h, o provável time do GRÊMIO será Victor; William Thiego (Mario Fernandes), Leo, Réver e Fábio Santos; Túlio, Adilson, Tcheco, Souza e Douglas Costa; Maxi Lopez. Uma ideia de time interessante de Paulo Autuori, bem diferente do 3-6-1 da Ponte Preta rebaixada que foi usado sem sucesso no começo do ano. Douglas Costa faria a função que o Hugo desempenhava no time de 2006, a de “pouco mais do que meio-campo, pouco menos do que atacante”. A julgar pelos resultados obtidos pelo time naquela oportunidade, a tentativa é válida.


RAPIDINHAS

Especula-se uma provável saída de Maxi Lopez na janela de transferências do meio do ano, mas o centroavante declarou que deseja ficar no GRÊMIO.


Também especula-se que o GRÊMIO está muito próximo de anunciar dois reforços: um lateral-direito e um atacante. O lateral pode ser Felipe Mattioni, que poderia voltar ao GRÊMIO.


Meia-atacante de pé-esquerdo nem pensar, né? Ô direção que gosta de acumular atacantes.


O GRÊMIO terminou em 3º na Taça BH. Perdemos nas semifinais para o Atlético-MG e vencemos o Flamengo na disputa de 3º lugar.


Sem comentários sobre a tal Copa Suruba. É que nem bater em bêbado. Se ganhar, bateu num bêbado. Se apanhar, é vergonhoso porque apanhou de um bebum.


Saudações imortais do 1º colocado do ranking OFICIAL da CBF,

Leonel Knijnik (DJ Aldebaran)
Gaúcho por Tradição e Gremista de Coração

23 comentários:

Milton disse...

Porto, o gremio venceu o botafogo no olimpico e empatou com o fluminense no rj. Qual derrota no rio te referes?
No mais, para colorados desavisados: copa suruga bank = sawna bank ressussitada. Qqr outra coisa eh negar o obvio!

Bruno Coelho disse...

Porto, esse seu post é uma dor de cotovelo. Então somente batemos em cachorro morto? Realmente, o seu time é um cachorro morto. O Corinthians, campeão da Copa do Brasil, também. O Botafogo (para quem perderam) idem. O Cruzeiro igualmente.
Aliás, antes de falar de arbitragem, faça uma crítica mais aprofundada. Afinal, questionar a expulsão do Jonathan chega a ser ingenuidade. A expulsão do Thiago Ribeiro foi correta. Mas diga-me, por que não fala do penal não marcado a nosso favor e mais o soco de Gérson Magrão em Tcheco? Incoerente até o fim, não é, Porto. =P
E vamos ser práticos. Em termos de disputa, não há grande diferença entre Copa Suruga Bank e Copa Sanwa Bank. Somente recalque colorado para vir com esse papo. Aliás, se há diferença técnica, então melhor para o Grêmio, que bateu o Verdy Kawasaki, time de tradição muito maior no Japão do que o tal “Oita Trinita”.

Bruno Coelho disse...

Mas agora falando mais sério, Porto. Sobre a Copa Suruga, não sei em que ajuda o Inter. Vamos ser realistas, pode ser mais um troféu praticamente certo (afinal, se perderem para esse time, demite todo mundo), mas coloca sim em risco o maior deles, que seria o Brasileirão.
É inegável o desgaste físico e emocional da viagem longa que o Inter fará. O time deve voltar ao Brasil na quinta ou na sexta, para segunda já entrar em campo contra o Sport. E nos dias em que os jogadores colorados poderiam descansar no meio de semana, vão jogar, como no dia 26 de agosto contra o Santos e 02 de setembro contra o Atlético Mineiro.
Mas se você acha que ajuda, tudo bem, boa sorte.

San Tell d'Euskadi disse...

As cornetas do Aldeba ao Celso foram despropositadas e sem sentido; fora isso, bela coluna...

DJ Aldebaran disse...

Até parece que eu não vou perder a oportunidade de ter aqui meu "espaço vuvuzela". E os erros do passado têm que ser lembrados sempre pra que não voltamos a cometê-los.

Luiz Portinho disse...

Bruno, vou te dizer no que ajuda o INTER a Copa Suruga (já q. estás te fazendo de desentendido!)... acessa o site da Conmebol; estar no topo do mundo e com taça no armário sempre é bonm... tiramos umas férias do Nacional, fizemos uma inter-temporada de luxo no Japão... ganhamos uma taça e mais respeito internacional ainda (como se isso fosse possível - o campeão de tudo é mundialmente respeitado)... e vamos voltar do Japão ali no pelotão de elite ainda... chegamos 6a feira e jogamos só na 2a feira, não tem desculpa de cansaço.

Luiz Portinho disse...

COLORADO CAMPEÃO DA SURUGA BANK!!! DONO DO JAPÃO TAMBÉM... AGORA SÃO 7 JOGOS COM 6 VITORIAS E 1 EMPATE... E TRÊS TAÇAS INVICTAS... O COLORADO NUNCA PERDEU NO JAPÃO!!!

Luiz Portinho disse...

TCHÊ, E COMO É BONITA A SURUGA BANK!!! MUITO MAIS LINDA QUE A TOYOTA CUP 83...

Bruno Coelho disse...

Porto, não me fiz de desentendido. Eu entendi o que quis escrever, mas acho que o seu argumento a favor não bate o argumento contra a essa viagem.

Aliás, argumento que tirei de comentários colorados. Mas não vou perder meu tempo discutindo isso, afinal, o time é seu mesmo.

“TCHÊ, E COMO É BONITA A SURUGA BANK!!! MUITO MAIS LINDA QUE A TOYOTA CUP 83...” – Isso nem vou comentar, de tão hilário que é. =P

E a nossa campanha na Libertadores nada valeu por bater em nabas do Peru, Bolívia e etc. O que dizer então de vencer o lanterna da J-League apenas por um gol de diferença e ainda levando sufoco no final?

Parabéns Porto.

Excelente vitória contra o Oita Trinita, time que coleciona 16 derrotas em 20 jogos pela competição local. Hahahahahahaha!

Aliás, por que não responde a pergunta do Milton? Qual jogo perdemos no RJ?

Bruno Coelho disse...

Eu acho, Adelba, que no dia que o Roth pegar um time com maior investimento e elenco, ele pode conseguir um grande título. Mas uma coisa eu concordo, Autuori passa mais segurança e é melhor do que Roth, mesmo que este seja um bom técnico na minha avaliação.

San Tell d'Euskadi disse...

O Aldeba conseguiu cornetar o único treinador do Grêmio nos últimos -pelo menos- seis anos e meio que conseguia vencer fora de casa...

Bruno Coelho disse...

Acho que fora de casa, deveríamos ter aquele esquema de contra-ataque que o Roth armava. Poderíamos levar mais vantagem assim.

Carolina disse...

Porto, pergunta pra ti: antes de 2006 vencer tacas era importante pro internacional?

Luiz Portinho disse...

1) Carol, é claro q. TAÇA NO ARMÁRIO sempre foi importante para o INTERNACIONAL.

2) tchê sancho, o Roth, assim como o I. Wortmann e outros é típico treinador de timinho, não tá do DNA do cara ser campeão.

3)Bruno, sinceramente, não consigo ver argumentos contrários à viagem do INTER ao Japão (ainda mais com a postergação dos jogos do Nacional).

no mais, de quem o gremio ganhou no RJ ?! (essa é a pergunta q. se deve fazer)...

Luiz Portinho disse...

se bobear a minha tese de que o INTERNACIONAL regressa ao Nacional dentro do G4 se confirma hein!

Carolina disse...

Pois ate 2006 eram, sei la, 14 anos de seca? Fico ate surpresa que voces venham agora com esse argumento de q o q importa eh taca no armario. Jamais ficamos 14 anos sem titulos, coisa q os vermelhos sao experts em.

Luiz Portinho disse...

carolina, em que mundo tu vives ? aqui no planeta terra, o INTERNACIONAL jamais ficou 14 anos sem ganhar títulos. aliás, aqui no RS o recorde é do teu time q. ficou 9 anos sem levantar caneco algum (68-77). aliás, antes de 2006 teve o TETRA GAUCHO 2002/03/04/05. prezada Carol, te convido a voltar ao planeta terra!

Bruno Coelho disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Bruno Coelho disse...

Porto, acho que a Carol quis dizer que o Inter não ganhou nada de importante, exceto Gauchão, entre os anos de 1992 a 2006. O que está certa em afirmar. Sobre o período 1969 a 1977 (e não 1968, ano em que fechamos os 12 títulos em 13 anos, a maior hegemonia do RS), o Grêmio levantou caneco sim. Nesse período, ganhamos a Copa Porto Alegre (T. Intern. de Verão) em 1971, Taça do Atlântico em 1971 e Taça Cidade de Salvador em 1972. Tudo bem, não são torneios importantes, mas para quem faz festa com a Copa Suruba, também deveria levar em conta esses torneios. :-D

Luiz Portinho disse...

ah! tá legal Bruno, vale considerar torneios não oficiais, mas não vale considerar GAUCHÃO. tá legal! desculpa, mas eu sempre esqueço q. estou debatendo futebol com o pessoal q. veste pijama e cujo DNA só costuma registrar como relevantes os seus feitos.

esqueci q. para a turma de pijama GAUCHAO não vale.

Luiz Portinho disse...

sobre a Suruga, chega a ser constrangedor a dor de cotovelo que tomou conta de 40% do Rio Grande (lotou traumatologias)... a propósito, Copa Suruga é competição oficial da FIFA (via Conmebol). o resto é papo furado de invejoso e de quem não ganha taça há tanto tempo q. nem lembra mais como se levanta uma.

Bruno Coelho disse...

Porto, acho hilário esse papo de “competição oficial FIFA”, que é tão superficial. Você nem imagina a minha “inveja” de ganhar a Copa Suruga contra o Oita Trinita. Realmente, precisamos buscar esse título a todo custo.

Lucas Aidukaitis disse...

Porto, deu dor de cotovelo nos 40%dos colorados? explica essa que eu nao entendi