terça-feira, agosto 11, 2009

Ano III, Número 134



A SINA VIROU PREOCUPAÇÃO

Dois jogos fora de casa. Um empate e uma derrota. E as fragilidades do GRÊMIO expostas. Este é o saldo da passagem pelo GRÊMIO pelo estado d
e São Paulo nos jogos contra Palmeiras e Barueri.

Só resta um jogo no primeiro turno do Brasileiro. E o GRÊMIO, desfalcado de no mínimo dois jogadores importantes, irá encarar o Flamengo sob olhares desconfiados da torcida.


PREOCUPAÇÃO II


Nosso time vai confirmando aqui o que eu havia preconizado: não temos a mínima condição de almejar uma vaga no G-4. Libertadores não será mais lucro, e sim milagre. Pois pelo jeito persiste o “pensamento mágico” de que chegaremos à Libertadores com base apenas na “imortalidade”. Que imortalidade é essa que não ganha um jogo sequer fora de casa? Nosso “marido fiel” continua sem comparecer no placar fora de casa.


PREOCUPAÇÃO III


Enquanto isto, o Flamengo vem em ascensão. Mesmo tendo perdido pro Goiás em uma partida na qual jogou bem lá no Serra Dourada, venceu um Corinthians em decadência pelo placar mínimo, com gol do sempre perigoso Adriano (o vizinho que o diga, pois o Imperador guardou 3 vezes contra eles no jogo de lá).

Contra o Barueri, perdemos Tcheco e Souza pelo 3º cartão amarelo. Réver não tem retorno garantido depois do ocorrido no Parque Antarctica na quinta-feira. E Maxi Lopez, substituído no intervalo no jogo contra o Barueri alegando desconforto no músculo da coxa, pode vir a desfalcar o GRÊMIO neste jogo importante.


O EMPATE NO PARQUE ANTARCTICA...

Foi um resultado justo e merecido o empate por 1x1 entre GRÊMIO e Palmeiras. Pelo que os dois times produziram nos dois tempos distintos. Na primeira etapa, saímos perdendo de 1x0 apresentando um futebol onde o resultado saiu barato. Mudamos e jogamos melhor no segundo tempo. Fizemos o gol de empate através de Maxi Lopez, estávamos melhor, no entanto o susto que Réver nos deu, tendo que sair de ambulância e nos deixando com 10 em campo, já que a regra 3 já havia sido queimada, fez com que o GRÊMIO recuasse e segurasse o empate.


...E A DERROTA NA ARENA BARUERI

Mantendo a base do esquema 4-2-3-1 que havia sido usado contra o Palmeiras, com as entradas de Rafa Marques e Jadilson no lugar de Réver e Fábio Santos, este último tendo fratura no pé e devendo desfalcar o time por uns 2 meses, o GRÊMIO foi muito mal. Bem longe da boa atuação da segunda etapa do jogo no Parque Antarctica, onde ficamos esperançosos de vermos a primeira vitória longe de casa desde USMP X GRÊMIO, no dia do meu aniversário, ainda pela Libertadores.

Douglas Costa não conseguiu repetir o que o Hugo fazia no time de 2006 e foi mais um meia do que propriamente aquele “nro. 1” do Zagallo, que fica quase como um segundo atacante. Com Maxi Lopez bem marcado e isolado na frente, pouco produzimos. E com saída dele para a entrada de Jonas “quase-gol”, então, o ataque gremista virou uma pasmaceira.

Sofremos um gol, daí o técnico Paulo Autuori tentou mudar o panorama do jogo tentando uma alteração no esquema tático. Mas o fez de forma completamente equivocada, implantando justamente o 3-6-1 da Ponte Preta rebaixada, num “déjà-vu” indesejado de um tempo que esperamos nunca mais retornar. Parece castigo, pois falei do famigerado esquema semana passada.

Autuori trocou Jadilson e Túlio por Bruno Collaço e Joilson, deixando Thiego, Leo e Rafa Marques como trio de zaga, e promovendo a estreia do lateral-esquerdo da base que, nervoso, pouco conseguiu produzir. Aliás, a frase não é minha, e sim do André Kruse do blog GRÊMIO 1983: a entrada de Joílson justificou por que Autuori prefere improvisar um zagueiro na lateral-direita. Mas se encaixa perfeitamente. E Leo não é de hoje que não anda bem. Rafael Marques e Réver deve ser a dupla de zaga, e isto é pra ontem. E Jadilson, por sinal, que havia entrado bem contra o Palmeiras, mas neste domingo sua atuação foi longe do que foi na quinta.


AUTUORI E A DIREÇÃO OMISSA


Quando Paulo Autuori foi contratado, exaltei a escolha. E quando vi alguns de seus acertos, elogiei. No entanto, desta vez ele vai escutar pela primeira vez o toque da “vuvuzela” no ouvido dele por parte deste articulista. Pois não dá pra entender como um treinador não vê o que acontece fora do Olímpico. Até mesmo os seus acertos em casa viram erros clamorosos fora, como o 3-6-1 implantado durante o jogo contra o Barueri. Tanto que depois da escolha equivocada, ficou barato o 1x0 contra. Era pra termos levado uma sonora goleada. Era momento de reforçar a marcação, explorar melhor os contra-ataques e colocar mais um atacante no time. Tudo bem que só tínhamos o jovem Roberson, e ele poderia sentir a estreia na fogueira em um time que estava perdendo. Mas melhor do que o 3-6-1 seria.


AUTUORI E A DIREÇÃO OMISSA II


E o que me deixa mais preocupado é que eu vi uma certa acomodação e novamente uma apatia no time. Esta acariocação do GRÊMIO me preocupa, e eu coloquei meu temor mesmo exaltando a contratação de Autuori. Isto está documentado na coluna nro. 122, e aquelas palavras copio aqui e agora:

“Sempre tive minhas restrições a técnicos de fora do RS pois eles sempre tentavam, sem sucesso, “acariocar” o time do GRÊMIO, com um futebol estilo toque-toque que nunca deu certo por aqui. Sempre digo que a tônica do GRÊMIO nunca foi o “joga bonito”, e sim o “joga feio, mas ganha”. Se as palavras de Autuori se confirmarem, teremos um futebol aguerrido acrescido de qualidade, que sempre foi a fórmula para os times vencedores do GRÊMIO.”


AUTUORI E A DIREÇÃO OMISSA III


E o que eu vi, principalmente nos jogos contra São Paulo e Barueri, foi uma falta deste estilo aguerrido um excesso de toque-toque. Bem diferente do estilo apregoado pelo próprio Autuori em sua entrevista de chegada.

E o pior que não vejo comando na direção do GRÊMIO pra que venha alguém e chegue pro técnico e diga: “escuta, aqui é futebol gaúcho, e essa apatia e esse conformismo vistos contra São Paulo e Barueri não são toleradas por estas bandas”. Mas não. Estou vendo uma direção que não supre as carências do time, um treinador que acarioca excessivamente a equipe e a deixa resignada com o resultado e um capitão que é a cara disso tudo.


TCHECO


E m
ais uma vez o “capitão dos microfones e dos jogos decididos” perdeu mais uma bela oportunidade de ficar calado ao declarar que estava envergonhado e que o time precisa de garra. Ótimas declarações para quem não assiste os jogos e não o vê se omitindo e fazendo em campo justamente o que ele mesmo vem nos microfones condenar.

Já disse e repito: com Tcheco vestindo a camisa 10 do time e ostentando a braçadeira de capitão, não ganharemos nada de relevante. Pelo jeito, nem uma vaga na Libertadores.

Portanto, Sr. Anderson Simas Luciano, se o senhor quer alguma mudança de atitude, olhe para seu próprio umbigo e comece por você mesmo. E poderia muito bem demonstrar hombridade abrindo mão da braçadeira de capitão que você ostenta em favor de alguém que saiba honrá-la, como um dia soube Hugo de Leon, Adilson e Zinho.


CAMPANHA “DIA 12, DIGA SIM”


Dia 12/08 o Conselho Deliberativo do GRÊMIO terá mais uma chance de reduzir a cláusula de barreira de 30 pra 20%. Portanto, que os conselheiros tenham vergonha na cara e cumpram o compromisso firmado pelas duas chapas na eleição do Conselho em 2007. A cláusula de 30% é antidemocrática, senhores conselheiros. E impedem a necessária oxigenação deste órgão.

Portanto, dia 12 de agosto, se você conhece algum conselheiro, diga para ele votar SIM à redução da cláusula de barreira.


RAPIDINHAS

O GRÊMIO já teria acertado salários com o atacante Leandro, ex-São Paulo, bastando apenas a liberação dele por parte de seu clube atual, o Verdy Tokyo.


Dia 10 de agosto comemoraram-se os 15 anos do bicampeonato da Copa do Brasil. O time que venceu o Ceará naquela partida final foi: Danrlei; Ayupe, Paulão, Agnaldo e Roger; Pingo, Jamir, Emerson e Carlos Miguel (Wallace); Fabinho e Nildo (Carlinhos). E o gol do título foi marcado por Nildo, logo aos 3 minutos do 1º tempo.



Neste dia 11 de agosto, gostaria de desejar um feliz dia do advogado para os causídicos leitores do blog. Em especial a dois: meu amigo Paulo Roberto Tellechea Sanchotene e meu vizinho, oponente e, porque não, também amigo Luiz Cláudio Portinho Dias.



Saudações imortais do 1º colocado no ranking OFICIAL da CBF,


Leonel Knijnik (DJ Aldebaran)
Gaúcho por Tradição e Gremista de Coração



CAMPEÃO NO JAPÃO!
.
Semana passada o título da coluna “O Japão é nosso!” já antecipava a conquista de mais um caneco. E o Colorado não decepcionou. Foi à Terra do Sol Nascente e trouxe de lá a terceira conquista de sua história. Invicto, o currículo do INTERNACIONAL agora registra 7 jogos com 6 vitórias e 1 empate. Copa Kirim (1984), Mundial FIFA (2006) e agora Suruga Cup. Quem madrugou no último dia 5 de agosto foi recompensado com mais uma grande conquista e pode gritar COLORADO CAMPEÃO!
.
O RETORNO I
.
Pode-se dizer que a vitória contra o Sport não foi nada mais do que o dever de casa cumprido. Aliás, a pobreza técnica do time pernambucano justifica sua posição na lanterna da tabela. Contudo, é possível destacar, além dos 3 pontos conquistados, a superação anímica e física da equipe. Tivemos o retorno, ontem, daquele onze marcador e veloz. Nenhuma disputa foi bola perdida (Alecsandro, por exemplo, dava piques aos 40 do segundo tempo atrás da saída de bola do adversário). A meia cancha foi combativa e sempre havia pelo menos três jogadores de vermelho cercando o homem da bola. Taison voltou a demonstrar disposição e ameaçou constantemente os defensores. Até Kléber, parece, está disposto a reconquistar sua condição de selecionável.
.
O RETORNO II
.
Do ponto de vista tático, Tite firmou o 4-4-2 com 2 volantes e 2 armadores. Não me venham falar que Giuliano cumpre a mesma função ou joga como Magrão. A geometria da meia cancha mudou (o quadrado finalmente substituiu o losango). Melhor ainda, atuando em casa e com necessidade de atacar, tínhamos sempre 3 homens de meio e mais um lateral se somando a Taison e Alecsandro. Apenas um dos jogadores de meio ficava postado, a frente dos zagueiros e de um lateral. Atacávamos com 6 ou 7 jogadores (por vezes um dos zagueiros chegava como elemento surpresa). Mérito, também, às variações táticas apresentadas por Tite.
.
SANDRO
.
Atuação de gala coroada com um gol espetacular (lembrou aquele do Falcão contra o Palmeiras lá em São Paulo em 1979!). Sandro é disparado o melhor cabeça de área em atividade no futebol brasileiro. Joga de cabeça erguida, não erra passes, desarma sem cometer faltas e começa a aparecer com freqüência nas investidas ofensivas. Mais, possui personalidade e liderança, especialmente nos jogos e momentos mais críticos. Entreguem o VT do jogo de ontem para o Dunga. Escrevam: Sandro estará entre 22 que representarão o Brasil na África 2010.
.
GIULIANO
.
“O primeiro reforço para 2009 já se apresentou no Beira-Rio. O meia armador Giuliano há algum tempo chamara minha atenção. Para ser mais preciso, desde o Brasileiro Sub20 de 2007, quando se destacou fazendo dupla com o centroavante Jefferson. Em 2008, Giuliano enfrentou o INTERNACIONAL pela Copa Brasil e novamente chamou a atenção pela eficiência e qualidade de passe. O Colorado pagou R$ 2 milhões para adquirir 40% do passe do jovem de 18 anos (o restante pertence à Traffic). É investimento com retorno garantido.” (coluna n. 101 – dezembro de 2008).
.
DESCAMISADOS I
.
Escrevi há algum tempo que para triunfar no campeonato de pontos corridos é fundamental vencer os compromissos fora de casa contra equipes de nível médio e baixo (especialmente os "descamisados"). Nos clássicos e duelos entre grandes, o perde-ganha é comum e aceitável; aproveitamento de 50% nesse tipo de confronto é razoável. É contra os “descamisados” que se mostra que é pretendente a título.
.
DESCAMISADOS II
.
Os “descamisados”, sem demérito algum, são aqueles times de menor expressão ou tradição no cenário nacional. Aí enquadro Náutico, Sport, Santo André, Barueri, Avai, Vitória e até mesmo a dupla do Paraná. Vencer o Sport por 3x0 foi fazer o tema de casa. Agora precisamos confirmar a pretensão de título vencendo o Santo André, como visitante, no sábado.
.
GIGANTE DA BEIRA RIO
.
Não gosto muito desta história de prognósticos, mas o amigo Josué traçou raciocínio interessante. Com mais 6 pontos destes 9 que temos a disputar terminaremos o turno com 36 pontos. Seriam necessárias, então, 12 vitórias em 19 jogos para levantar o caneco do Nacional (com 72 pontos há grandes chances de título). Jogaremos 10 partidas no Beira-Rio. A conquista do TETRACAMPEONATO NACIONAL passa, portanto, por essas 10 tardes e noites em que todos os caminhos levarão ao Gigante da Beira-Rio.
.
CELEIRO DE ASES
.
Goleiro Agenor, zagueiro Juan e atacante T. Cunha convocados para a seleção brasileira sub20 que inicia preparação para o mundial da categoria. T. Cunha já demonstrou bom potencial nas partidas em que foi utilizado, inclusive marcando gol contra o Avai. Zagueiro Juan é uma promessa dos juniores. Já Agenor é vítima de equivocada política do clube de não prestigiar sua Escola de Arqueiros. Devia ser o reserva imediato de Lauro; porém, tem sua progressão tarvada por M. Alves e o quarentão Clemer. Os talentos do Celeiro de Ases merecem prioridade, sempre!
.
CACHORRO MORTO – PARTE 2
.
Na última semana escrevi a respeito de um time que só bate em cachorro morto e externei minha comiseração com os pobres torcedores desta agremiação. Repercutiu. A carapuça serviu. Recebi críticas (algumas ásperas). Das duas uma: ou a agonia de tais seguidores lhes retira a capacidade de dissernimento sobre os fatos postos ou estão cegos pelo fanatismo (versão esta corroborada pelas declarações reiteradas da diretiva desta agremiação no sentido de que possuem um bom elenco). E olha que a água já bate no convés; nem de cachorro morto o timinho ganha mais.
.
PALPITES
.
Palmeiras (35), São Paulo (30), Flamengo (27) e Santos (24) serão nossos grandes adversários na corrida pelo título. Explico o Flamengo: tem bons valores e conta com o diferencial Adriano. O que pode atrapalhar os cariocas são as questões institucionais. O trio paulista tem “jockey” (o Santos, aposto, vai crescer com W. Luxemburgo). “Jockey” que é exatamente o que falta ao Goiás e ao Galo Mineiro (cujos elencos também não são lá grande coisa).
.
ESTÁ REGISTRADO NA HISTÓRIA
.
Na saída do Gigante, ontem, encontrei o amigo Josué no pátio, em frente ao Portão 1. Fomos à Churrascaria Garcia´s lonquear um assado e tomar umas cervejas. Lá pelas tantas chega Darnley – ele mesmo, o “second icon” do vizinho (o ícone-mor é o padeiro de Bento). E aí, na hora, lembrei de um episódio. Aconteceu em 24.agosto.1997. Isso mesmo coloradagem amiga, no dia do gNAL dos CINCO-a-dois. Nessa data inesquecível, Darnley também foi protagonista. Não por realizar defesas ou tomar gols, mas sim por amarelar. Assistindo a casa cair (ou melhor, a patrola atolar) diante de um COLORADO embalado por Uh! Fabiano e companhia, o “goleirinho” amarelou. Simulou lesão e pediu para sair. A amarelada de Darnley no gNAL dos CINCO-a-dois também está escrita e registrada na história.
.
RÁPIDAS
.
Sempre é bom fazer o registro: Sandro é uma descoberta de G. Luiggi, que o contratou por R$ 30 mil do Londrina depois de observá-lo numa competição de juvenis.
.
Alvaro foi embora. Apesar do discurso profissional na saída, é evidente que foi "corrido" por força de sua influência negativa no vestiário;
.
Para o seu lugar chega F. Eller. Indiscutivelmente a reposição é melhor do que a perda.
.
Edu, atacante com vasta carreira no futebol espanhol, também assinou contrato e já se apresentou.
.
Já disse que não me recordo deste jogador, mas tudo indica que pode acrescentar no grupo. Deve disputar posição com Taison e Bolaños.
.
Leandrão é outro que fez as malas. Foi para o Vitória da Bahia.
.
C. Santana até agora não se confirmou. O problema é que "melou" o negócio do Magrão e isso pode servir de obstáculo à contratação de outro meia. Também por isso, torço para que Magrão seja vendido o quanto antes.
.
E. Granja eterno devedor no Beira-Rio;
.
Ontem recebeu as “homenagens” de praxe por parte do torcedor Colorado;
.
O título da Suruga e a convincente goleada por 3x0 sobre o Sport referendam minha tese de que a viagem ao Japão faria muito bem ao grupo Colorado;
.
Aliás, a dor-de-cotovelo da vizinhança com a conquista da Copa Suruga é tão grande que, ao que parece, foi desencadeada uma operação na azenha para conquistá-la;
.
O primeiro passo é a campanha de “faixa-sudamericana” realizada até agora pelo portoalegrense, o visitante mais querido do certame.
.
Na europa, L. Leiva está na lista negra do torcedor do Liverpool. Taxam-no de pereba.
.
Há diversas manifestações em listas de torcedores solicitando que a diretoria se livre de Lucas, inclusive com ofertas de ajuda financeira para tanto.
.
Faltou berço ao rapaz...
.
Enquanto isso, M. Lopes, o bonitinho da azenha, está arrolado como “lo peor del Barça”...
.
A propósito, quantos gols terá feito M. Lopes em toda sua “rica” carreira ? Tens este número vizinho ?!
.
No jogo de ontem, S. Goiano levou cartão amarelo aos 4 minutos. E depois, desvestido de sua grande arma – a truculência – não foi mais visto em campo.
.
Coisas do mundo azenhano.
.
A propósito, P. Autuori pretende o impossível; ensinar o pessoal da azenha a jogar futebol.
.
DNA não se altera Sr. Autuori, o negócio lá sempre foi na base do butinaço.
.
Em tempo: contrataram o tal de Renato Ca... Ca... Renato Ca o que mesmo hein vizinho ?!
.
Lauro, Bolivar, Indio, D. Moraes, Kleber; Sandro, Guiñazu, Giuliano e Andrezinho; Taison e Alecsandro. Funcionou bem no 3x0 contra o Sport.
.
F. Eller, Edu e D´Alessandro terão de comer grama nos treinamentos para ganhar espaço nesta equipe.
.
De outra parte, D. Moraes, Giuliano e Taison terão de matar um leão a cada pedrada.
.
Disputa saudável e que deve manter o grupo motivado.
.
Só torço para que o carteiraço não vigore.
.
Vizinho saiu para jogar duas partidas fora, sonhou que voltaria com 4 pontos na bagagem e voltou com apenas 1.
.
Um amigo diria que foi a São Paulo catar lã e voltou tosqueado.
.
Saudações rubras, do DONO DA ALDEIA (*39), CAMPEÃO DE TUDO e SEMPRE NA PRIMEIRA DIVISÃO.
.
L. Portinho

12 comentários:

San Tell d'Euskadi disse...

É impressionante como as cornetas são mais lúcidas quando não o alvo é outro que Celso Juarez Roth, mas vê-se que a paciência está no limite...

Relaxa, pois estamos em 2010. A nossa briga no Brasileiro é para confirmar presença na Sul-Americana. No ano que vem, tudo será diferente. O trabalho, mesmo, do Autuori começa na próxima temporada, quando será o responsável pela montagem do elenco.

Hoje, ele tenta dar a cara dele a uma equipe com pouca capacidade para isso. Ele tem essa desculpa. No ano que vem, não a terá mais.

Carolina disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Carolina disse...

O Maxi marcou um gol em voces, lembra? Esse ta na conta!
Alias, to te devendo uma resposta. Vestistes a carapuca pelo fato do inter nao ter ganho algo de importante em longos 14 anos. O fato eh que eu estava usando do teu argumento, que eh:
"O gremio nao sabe mais o que eh levantar taca"
Considerando o fato de termos vencido 2 gauchoes nos ultimos 4 anos - assim como voces - so se pode concluir que gauchao nao conta.
Ou seja, em materia de anos sem TACA, o Inter eh especialista no assunto com 14 anos de seca no curriculo.
Coerencia, amigo :) Bjus

Luiz Portinho disse...

Carolina,

1) são 2 anos sem erguer nem taça de campeonato de cuspe a distância... é disso que falamos!

2) quanto a valorizar GAUCHAO, por favor, leia com mais atenção a coluna...

Luiz Portinho disse...

obrigado pela lembrança do dia do adeva Aldeba.

Luiz Portinho disse...

USMP ? bah! é o auge do bater em cachorro morto... FICATCHECO!

Carolina disse...

O San Martin ganha do Oita Trinita, Porto.

San Tell d'Euskadi disse...

Carolina,

E quem não ganhou do LANTERNA japonês e recordista MUNDIAL FIFA de derrotas consecutivas em 2009?!

Milton disse...

Mais cachorro morto do que o oita nao existe.
Porto, o Paulo Nunes era um centrovante desconhecido ate chegar no Gremio. Encaixou bem no sistema do felipao e foi artilheiro do brasileirao e da copa do brasil. Alem claro de marcar gol ate de bicicleta na casa de voces.
Falar antes do homem jogar eh arriscado...

DJ Aldebaran disse...

Eu nem comentei mais a tal Copa Suruba. Já disse semana passada, era que nem brigar com bêbado. Mas, se eles exaltam Copa Suruba, Copa Quindim, Copa Pokémon, Copa Viva Viña e essas coisas, deixa eles.

Luiz Portinho disse...

pelo que vejo a dor de cotovelo ainda não sarou... tchê, vão procurar um traumatologista, um ortopedista... tá demais isso aí!

DJ Aldebaran disse...

Não é dor de cotovelo, é ataque de riso mesmo.