terça-feira, fevereiro 08, 2011

Ano V, Número 208





TERMINAR A PRÉ-TEMPORADA EM PRIMEIRO



Faltam dois jogos para o fim da pré-temporada (e sigo insistindo nesse ponto), e, até o momento, o Grêmio consegue todos os resultados almejados. Além disso, a equipe vem se soltando cada vez mais, e apresentando um melhor futebol a cada rodada que passa. Foram cinco jogos dos titulares até aqui (4 no Olímpico), e o desempenho progride a cada nova rodada. Tudo está dentro do esperado, inclusive os empates diante de Lajeadense e Liverpool. Quando a temporada começar de fato (de direito já está desde o mês passado), dia 17, às 19h45min, no Olímpico, o time já estará suficientemente pronto para ser competitivo.

Se tudo seguir dentro do script, o Grêmio chegará nas finais da Taça Piratini em primeiro no geral, e com a vantagem de decidir o torneio sempre em casa. Não que seja garantia de títulos (a derrota do ano passado contra o Pelotas está aí como exemplo recente), mas é uma baita ajuda.

Como Planejar a Semana
Para o jogo de Ijuí, eu iria com um time misto mais quente. A idéia é agrantir a vitória e a melhor campanha no geral com antecedência. Isso permitiria focar a estréia da Libertadores com total dedicação. Apenas quem não será utilizado contra o Oriente Petrolero treinaria visando o jogo contra o Novo Hamburgo no domingo. Meu time para amanhã seria: Grohe; Doril, Vílson, Rodolfo e Gílson; Magro, Magrão, Pacheco e Pessalli (Roberson, Mithyuê); Clementino e Borges. O mesmo miolo-de- zaga do jogo contra o Caxias, que é para ganhar ritmo e entrosamento.

E se não vencermos o São Luiz? Bom, nesse caso, deve-se mudar um pouco o planejamento para domingo; ver quem merece ser poupado do calor do Vale, quem é imprescindível no time titular para estréia de quinta-feira, e a partir de aí, ir com o time mais forte possível enfrentar o Anilado. Mas, na boa, o time acima tem totais condições de voltar da Colméia do Trabalho com três pontos.

Grêmio 2-1 Caxias
Assisti somente o primeiro tempo, em que dominamos as ações e fizemos 2-0. Lê-se que no segundo tempo a produção caiu, e houve uma reação do Caxias; que acabou resultando em gol. Como eu disse ao Luciano Perico na partida contra o Liverpool: é treino; treino que vale, mas treino. Vale pela vitória, vale pela movimentação, pela entrada de Rodolfo, pela volta de Borges, para perceber que o time não está nem perto de 100%, mas que melhora a cada partida, e pela consolidação do primeiro lugar da chave e do geral no campeonato.

Reforços
Chegaram Carlos Alberto e Escudero. Agora é esperar. O melhor dessas contratações é que não precisamos deles. Se derem errado, permanecemos onde estamos; e, creio, temos um time e grupo competitivos para fazer frente a ambas competições do semestre. Agora, se derem certo, o Grêmio pula de pretende a títulos da temporada para favorito (ao lado de outros, é claro). Mas só saberemos se darão certo ou não daqui a um mês ou dois. Não creio que nenhum deles ganhe espaço rapidamente no time.

Terra da Longevidade
Vizinho, mais uma vez, dando exemplo de respeito ao Estatuto do Idoso! Os Vecchi agradecem mais uma vez a educação dos capitalinos em entregar a rapadura nos acréscimos do jogo. Se isto aqui fosse Twitter, seria digno de um #2007Feelings...

Pensamento da Semana
Quando é que os adversários pararão de cabecear livremente na nossa área? Temos 10 dias para corrigir esse problema!

Saudações imortais,
Paulo Roberto Tellechea Sanchotene - sancho.brasil@gmail.com




FORA ROTH!

.
Vergonhoso é o mínimo que se pode dizer da derrota em Veranópolis. C. Roth levou um banho tático de L. Machado (o que, aliás, não é novidade alguma – quando Machado terá uma oportunidade no INTERNACIONAL ?). A derrota foi um castigo para o esquema de jogo absurdo implantado por Roth. E, não bastasse utilizar um estapafúrdio 4-3-2-1 (com 3 volantes de marcação), Roth foi até o final da partida com seu esquema. A única opção ofensiva era o talento e a individualidade do argentino D’Alessandro. Fora isso, o INTERNACIONAL não tinha qualquer outro vetor ofensivo. E para piorar mais ainda a situação, mesmo com 5 jogadores empilhados no meio de campo, nosso time perdeu, o tempo inteiro, as ações no setor. Mais ainda, o primeiro golo do VEC saiu exatamente numa falha de posicionamento do cabeça de área (coisa que W. Matias não é nem aqui e nem na China). Foi dali da meia lua da grande área que Baiano acertou um “pombo sem asas”. Exatamente no local aonde deveria estar o cabeça de área (que no “replay” do lance aparecia posicionado na lateral direita?!). Não há justificativas. Não há explicações. E não há desculpas capazes de minorar o fiasco capitaneado pelo Sr. C. J. Roth.
.
ESFARRAPADAS DESCULPAS
.
Nei saiu de campo criticando o gramado, os vestiários e dizendo que a partida era um treino forte e que a competição que interessa é a Libertadores. Por favor, proíbam Nei de dar entrevistas ou mudem o discurso de vestiário. Sim, porque está na cara e ficou escancarado na entrevista do jogador que esse é o discurso que impera em nosso vestiário: o de que o Gauchão é um treino forte para a Libertadores. Não pode ser! Não deve ser! E não se pode admitir que o INTERNACIONAL repita o erro de 2007, quando foi eliminado na primeira fase da Libertadores com este mesmo discurso. Time grande deve enfrentar toda competição para vencer. Time grande não entra em campo em jogo oficial com a mentalidade de que está num “treino forte”. Ou se modifica o discurso ou as conseqüências serão terríveis.
.
FUTEBOL É ASSIM ?
.
Foi a expressão mais falada e ouvida depois da derrota para o Veranópolis. O discurso foi no sentido de que o INTERANCIONAL deixou de matar o jogo e tomou um golo ao final. Não, não foi isso que aconteceu. O VEC gostou do jogo na segunda etapa e C. Roth manteve o esquema de jogo retranqueiro com 3 volantes. Essa é verdade. O Veranópolis foi merecedor e construiu um placar justo para o futebol apresentado. O INTERNACIONAL anotou um golo aos 3 minutos num lance individual de D’Alessandro e não produziu mais nada durante os 87 minutos restantes. Damião passou o jogo inteiro isolado no ataque. As substituições de Tinga (por Glaydson) e Andrezinho (por Alex) em nada alteraram essa realidade. Aliás, não é admissível que um time do porte do INTERNACIONAL termine uma partida que está empatando contra um time do interior com três volantes que possuem exclusivamente a marcação como característica de jogo. Enfim, o futebol não é assim... O futebol sempre castigou e continuará a castigar quem não quer vencer.
.

CABEÇA DE ÁREA I
.
“O Sandro dava uma solidez que nós não conseguimos mais alcançar.”. Sandro foi embora no final da Libertadores (em agosto). Desde lá W. Matias assumiu a posição e não saiu mais do time (pode-se dizer, com tranqüilidade, que é o titular mais absoluto do time). Então fica a pergunta: se não foi mais alcançada a solidez da Era Sandro, por que W. Matias não foi sacado do time ainda ? Até uma criança de 6 anos já percebeu que W. Matias não executa a função de cabeça de área. Não é da posição; afinal de contas, ele nunca está na cabeça da área (vide o 1º golo do Veranópolis domingo, entre outros tantos exemplos que poderiam ser citados). C. Roth teve seis meses para achar outra solução e nunca o fez (Guiñazu e Tinga com dois meias avançados, por exemplo). Quando o fará ?
.
CABEÇA DE ÁREA II
.
A contratação de Bolatti é outra demonstração que W. Matias não agradou e não deu conta do recado. Mas, então, pergunto novamente, por que Matias não foi sacado do time ainda ? Por que Matias foi escalado e permaneceu em campo até o final do jogo contra o VEC ? Confesso que não posso dar uma opinião sobre Bolatti. A única coisa que conheço desse jogador é o golo contra o Uruguai no Centenário, em 2010, que garantiu a vaga argentina no Mundial Sudafrica (em partida que assisti ‘in loco’). Além disso, pelo valor da contratação (aprox. € 3 milhões), é de se esperar que resolva esse problema crônico de nosso time.
.
CONTRATAÇÕES
.
A propósito do negócio envolvendo Bolatti, merece elogios a direção Colorada. A contratação de um jogador por € 3 milhões é uma exclusividade. Nenhum clube brasileiro possui o poder de investimento do INTERNACIONAL; nem mesmo o todo poderoso de outrora São Paulo. A política de contratações, há algum tempo, rende bons frutos ao clube. A ponto de a negociação de Giuliano, melhor jogador do clube em 2010, ter pouco impacto na formação da equipe para 2011. Enquanto uns e outros se digladiam para contratar ex-jogadores e refugos, o INTERNACIONAL, há algum tempo, contrata jogadores da primeira linha do futebol mundial.
.
SEMANA ÁRDUA
.
“Jogaremos contra o Pelotas no próximo domingo com a equipe principal e as 23h partiremos p SP onde na segunda embarcaremos rumo ao Equador.”, anunciou R. Siegmann, via twitter. Teremos uma semana de trabalhos árduos e, em seguida, duas partidas que podem decidir o futuro de Roth no INTERNACIONAL. Resultados negativos em Pelotas e Guayaquil, fatalmente, derrubarão o treinador.
.
RÁPIDAS
.
Gostaria que alguém me explicasse por que o garoto Alex foi contratado, desembarcou no Beira-Rio e já virou primeira opção de ataque.
.
E enquanto isso, Marquinhos nem no banco de reservas fica.
.
Até quando conviveremos com essa dificuldade em se utilizar a gurizada da base ?
.
Escrevi com maiores detalhes sobre W. Matias e a teimosia de C. Roth, em meu sítio pessoal na postagem O CULPADO.
.
Ainda do twitter de Siegmann (@robertosiegmann): “Algumas derrotas ocorrerão, mas concordo que perder para o VEC quando o jogo estava na nossa mão não é aceitável.”
.
Havendo coerência na declaração, é de se esperar que Siegmann também não esteja satisfeito com a esdrúxula escalação imposta por C. Roth ao torcedor Colorado.
.
Falei acima da negociação de Giuliano. Quem está acompanhando a seleção sub20 já pode constatar que Oscar tem futebol e talento suficientes para ser o substituto adequado para a posição.
.
O título de minha coluna é FORA ROTH. Creio que não seja a primeira dessa longa história de 208 colunas pedindo cabeça de treinador (de Roth deve ser a 2ª ou 3ª).
.
E, como de costume, gosto de trazer solução para a crítica. Novamente indico P. R. Falcão e Don Elias Figueroa como bons nomes para assumir o posto de treinador. E, é claro, do credenciado Dunga, de ótimo comando e idéias e posturas coerentes durante a campanha da seleção brasileira no Mundial Sudafrica 2010.
.
L. Damião. Das poucas coisas positivas na desastrada atuação em Veranópolis
.
E isso que o centroavante ficou a partida inteira isolado na frente. Imaginem com companhia adequada ?
.
Vasco da Gama contratou o festeiro Leandro e está interessado no Alecsandro.
.
Tchê, o R. Dinamite, como dirigente de futebol, se revela com um baita d’um centroavante.
.
Vamos “chulear” para que o São Dinamite nos livre do Alecsandro!
.
Porque é aquela história; se ficar no Beira-Rio acaba jogando
.
Vide o W. Matias e o Nei que estão aí no time titular; incontestáveis.
.
E a dúvida da semana. Será que o vizinho estava entre os 40 gatos pingados foram receber o temperamental C. Alberto no aeroporto.
.
Isso aí nem para refugo serve...
.
Saudações rubras, do CAMPEÃO DE TUDO, DONO DA ALDEIA (39*) e SEMPRE NA PRIMEIRA DIVISÃO.
.
Luiz Portinho - mais de 700 jogos no Gigante da Beira Rio

6 comentários:

Paulo Roberto disse...

Escreve-se antes de dormir, e quando acorda já não se concorda mais com o que escreveu. Já acho que alguns titulares teriam que jogar sim ou sim no estádio do Vale, independentemente do resultado de amanhã.

Não tenho idéia de quem seria poupado, mas imagino que o Lúcio poderia ser um; entrando o Carlos Alberto no lugar dele. O time seria algo como: Victor; Gabriel, Paulão, Rodolfo e Collaço; Rochembach, Adílson, Douglas e C. Alberto; Borges e A. Lima.

A partida contra o Oriente é só na quinta...

DJ Aldebaran disse...

Por falar em twitter, quando o amigo Sancho vai aderir ao microblog?

Enquanto isto, sigam @ficaroth

DJ Aldebaran disse...

Tomei a liberdade de editar e corrigir a hora do jogo do GRÊMIO, que segundo o site oficial, é 19h45min. Detalhe: o jogo é numa quinta.

San Tell d'Euskadi disse...

Porto, não recebo NENHUM jogador no aeroporto. Contratações dão certo DEPOIS; nunca, antes.

Sobre o Roth, me rendo. O título da Libertadores fez mal a ele. Ele vem se mostrando incapaz de sair do brete que ele mesmo se enfiou.

Paulo Roberto disse...

No domingo, termina a pré-temporada. E a temporada já começa quente…

Eis a seqüência de jogos do Grêmio:

17.2 – Oriente Petrolero (c)
20.2 – Quartas-de-Final, Piratini (c)
24.2 – Junior (f)
27.2 – Semifinal, Piratini (c) [caso se classifique]
3.3 – León (c)
6.3 – Final, Piratini (c) [caso se classifique]

Um monte de jogos em casa, mas essa ida-e-volta à Barranquilla em meio a uma possível “Semana Gre-Nal” é para f*d&r o c! do palhaço.

O Inter joga um dia antes e em Porto Alegre.

Será que o Grêmio arriscaria colocar os reservas nas quartas-de-final? E no Gre-Nal?! Ou, quem sabe, em Barranquilla?

DJ Aldebaran disse...

Ainda não é garantido que o GREMIO vá jogar a final da Piratini em casa. Nem a semi. Pois a pontuação continua contando para efeitos de determinação de mando de campo.

Ahn, acho que se der GRE-nal não vai ser na final. Pode ser na semi.