terça-feira, fevereiro 15, 2011

Ano V, Número 209


AMÉRICA TRI VERMELHA
.
No exato momento em que escrevo, estamos a menos de 20 horas da estréia em mais uma edição da Taça Libertadores da América. O Bicampeonato começa a virar passado hoje a noite. Iniciaremos a campanha do Tricampeonato. E, novamente, a caminhada começa pelo Equador. Em 2010 passamos por Guayaquil, Quito, Rivera, Buenos Aires, Quilmes, São Paulo e Guadalajara, numa campanha cheia de percalços e momentos inesquecíveis. Quem não lembra de Pato Abondanzieri e Fossati exigindo que o árbitro desfizesse a marcação equivocada de uma penalidade no Olimpico Atahualpa, em Quito ? Da invasão Colorada em Rivera ? Da angústia de perder por 3x1 para o Banfield com uma atuação desastrada da arbitragem na Argentina ? Daquele golo épico do Giuiliano, em Quilmes, contra o Estudiantes ? Da superioridade incontestável contra os paulistas ? E da vitória maiúscula em Guadalajara ? Foi uma campanha épica, mas já ficou no passado. É hora de entrar em campo para defender o título. Que venham as peleias!
.
TUDO DE NOVO
.
"Todas as atenções voltadas ao EMELEC e a estréia na Copa Libertadores. A semana começa com tristeza e pesar pela eliminação no turno do Gauchão, mas o Colorado precisa se agrupar, reanimar e motivar. A competição deste ano é mais difícil do que as passadas. Além dos campeões de chave apenas 6 dos 8 vice líderes se classificam. Um tropeço em casa, nessas circunstâncias, pode ser fatal. Não há espaço para deslizes e tempo para recuperação. É preciso 100% de foco, dedicação integral e muita concentração. Assim como em 2006 não somos considerados favoritos. Vamos correr o páreo por fora novamente. Os inimigos são terríveis. Além dos tubarões do Eixo RJ-SP, o Cruzeiro está azeitado e repleto de contratações. O Estudiantes de La Plata é o detentor do caneco e um adversário temível, sempre. Mas primeiro é preciso bater os inimigos da chave, os equatorianos e o Cerro de Montevideo. Vem muita peleia braba pela frente, viagens longas, angustiantes momentos em frente ao televisor, geladeiras de cerveja para agüenta-los, muito vento minuano nas bancadas do Beira-Rio. Não será fácil, mas estaremos lá no meio dos Gigantes da América atrás do caneco." (coluna 159 – falando sobre o início da campanha do Bicampeonato, em 23.fevereiro.2010).
.
DAMIÃO e ALECSANDRO
.
Há muito tempo defendo a escalação de L. Damião ao lado de Sóbis no ataque Colorado. Já o defendia muito antes de Abu Dabi, aliás. O início de temporada de Damião é fulminante. 5 golos em 3 partidas. Agora ficou difícil tirar o guri do time. Até Cavenaghi, que chegou a Porto Alegre contratado como grande estrela e a peso de ouro, terá dificuldades. Alecsandro sim terá de mudar muito seu perfil se quiser atuar esta temporada com a camisa vermelha. Precisará mostrar muito mais disposição e empenho do que em 2010, quando não havia sombra alguma no Beira-Rio para sua titularidade.
.
BOLATTI I
.
“A Libertadores terminou e Sandro se foi com a conquista no currículo. Deixa um vazio tremendo no time. É uma peça cuja reposição é impossível. C. Roth terá de mudar a forma de atuar do time, com certeza. A ausência de Sandro sobrecarregará a zaga e dificultará o trabalho de criação dos meias. Achar uma solução adequada para este desfalque, sem dúvida, é a grande tarefa de C. Roth até dezembro.” (escrevi na coluna 185, em 25.agosto.2010). Roth não achou a solução e nunca mais o INTERNACIONAL formou um time confiável. Abordei o tema na última semana.
.
BOLATTI II
.
Índio voltou a ser criticado. Sorondo não serve para ninguém. Bolivar, se estivesse jogando, seria criticado. O fato é que sem um grande cabeça de área não há zagueiro que tenha sossego. Don Elias Figueroa, aliás, dizia que com Caçapava vestindo a camisa 5 poderia jogar até de bengalas. É o caso. Fala-se maravilhas de M. Bolatti, nosso novo cabeça de área. Preciso vê-lo jogar, mas estou torcendo efusivamente para que as primeiras notícias se confirmem.
.
ESTRANGEIROS
.
A imprensa local debateu nesta semana a questão da liberação de jogadores estrangeiros (sul americanos) para atuar no futebol brasileiro. Não interessa a ninguém. Aos países vizinhos porque perderiam seus jogadores para o mercado brasileiro, mais forte e atraente. E aos jogadores brasileiros que ganhariam concorrência de atletas com características mais aguerridas e peleadoras. O fato é que a ninguém interessa a liberação de mais do que 3 jogadores estrangeiros. E, portanto, o INTERNACIONAL terá de se virar, nas competições domésticas, com seus 4 argentinos. Em tempo: o número excessivo de jogos deve acomodar as melancias na caçamba. De toda forma, com todos em condições de jogo, penso que é Cavenaghi aquele que possui melhores sombras no grupo (Damião e Sobis).
.
RÁPIDAS
.
Nada é fácil na Libertadores da América.
.
Vide o decantado Santos que estreou empatando em oxo com o Deportivo Tachira da Venezuela.
.
A propósito de Libertadores, enquanto escrevo assisto America do México e Nacional de Montevideo, no estádio Azteca.
.
Detalhe: Rosinei (lembram dessa uva ?) figura no meio de campo do time mexicano. Bah!
.
Ocupo o espaço quase que inteiramente com Taça Libertadores essa semana, mas é preciso lembrar que no sábado há INTERNACIONAL x Cruzeiro pelas quartas-de-final da Taça Piratini
.
Partida é muito importante. Vamos com o INTER-B rumo às finais do Gauchão.
.
“Palmeiras sondou centroavante Leandro Damião do Inter”. (Alexandre Praetzel – 11.fevereiro - @AlePraetzel)
.
No dia seguinte Damião marcaria 3 golos contra o Pelotas.
.
Campanha de Menezes no comando da seleção canarinho: 3v contra times inexpressivos, 1 convocação sem partida e 2 derrotas nos confrontos contra seleções de tradição (Argentina e França).
.
“O Mano está sentindo que o pepino começou a crescer “(Guerrinha – programa Sala de Redação – 11.fevereiro)
.
Saudades, muita saudades do Dunga.
.
Esse sim era galo e não se mixava diante de argentino.
.
A propósito, no último final de semana revi Brasil x Argentina pela Copa América de 1989.
.
Num Maracanã lotado, Dunga colocou Maradona e seus parceiros debaixo do braço e comandou a meia cancha numa grande vitória contra os hermanos.
.
Tchê, como jogava o Dunga!
.
Que venha Guayaquil...
.
Cuidado e canja de galinha nunca fizeram mal a ninguém.
.
Por isso, todo cuidado será pouco na estréia.
.
VAMOS ARRIBA INTERNACIONAL!
.
Saudações rubras, do CAMPEÃO DE TUDO, DONO DA ALDEIA (39*) e SEMPRE NA PRIMEIRA DIVISÃO.
.
Luiz Portinho - mais de 700 jogos no Gigante da Beira Rio

ps. QUE NÓIA HEIN VIZINHO ?





QUE COMECE A TEMPORADA


A derrota em Nóia deu o sinal de alerta que a realidade é um pouco mais dura do que aparentava na Azenha. Não vi o jogo, não gostei do resultado, mas pode ser que essa derrota seja bem aproveitada pelo clube para uma ligeira correção de rumos, e para se dar conta que não se pode ratear. Neste primeiro semestre, não há muita margem para erros.

A Pré-Temporada, ao menos, foi positiva. Ainda há o que corrigir, mas o trabalho -mesmo cheio de percalços- foi satisfatório. Não se pode reclamar dos resultados alcançados. Infelizmente, Escudero e Carlos Alberto chegaram apenas no final, pelo que os testes continuarão nestes primeiros jogos. O problema é que não se pode perder: nem no Estadual, nem na Libertadores!

Os Novos Uniformes
Gostei da tricolor. Não amei, mas gostei; principalmente das costas (e dos números). A Topper mandou bem também na camisa celeste (a que mais simpetizei). A branca vai precisar de tempo para me conquistar. Pode-se ver os uniformes aqui.

Os 25 da América
Nenhuma grande surpresa. Os problemas, como os seis atacantes, da lista da Pré-Libertadores foram corrigidos. Entraram Rodolfo, C. Alberto e D. Escudero. Sairam Lins, Warley e Mateus Magro. Pode-se discutir algum detalhe, mas não seria nada além disso mesmo: detalhe. Então, boa sorte aos 25 nessa Fase de Grupos. Nas finais, podem ser trocados mais 3.

A lista de boa-fé está aqui.

Novo Hamburgo 2-0 Grêmio
Primeira partida fora-de-casa dos titulares, e derrota. Como disse, não vi, mas que sirva para abrir o olho!

Grêmio x Oriente Petrolero
É jogo de estréia. Portanto, será nervoso, duro e encardido. Temos que ter paciência. Se tivermos calma, os importantíssimos três pontos devem ser assegurados. Peço que o torcedor vá cedo. Aqueles que chegarem em cima da hora, que procure portões menos tumultuados, como os próximos ao Ginásio. Tudo para evitar problemas como os ocorridos contra o Cruzeiro em 2009.

Grêmio x Ypiranga
Deve ser disputado com time misto. Provavelmente, com o time titular ligeiramente enfraquecido. NÃO SE PODE PERDER. NÃO SE PODE PERDER! NÃO SE PODE PERDER!!! Uma derrota, e o ambiente para a Libertadores pode ficar comprometido. Aliás, não se pode nem empatar, se não quisermos que um provável Gre-Nal na semifinal seja no Beira-Rio.

Gre-Nal
Confesso que me incomoda a vantagem colorada, caso ocorra um Gre-Nal em 27 de fevereiro. Mesmo que seja no Olímpico, é o Grêmio quem viaja na semana. E os vizinhos ainda terão um dia a mais de descanso. Acontece, mas é chato! Teremos que passar por cima disso para sermos campeões. Na semana que vem, se necessário, voltaremos ao assunto.

Saudações imortais,
Paulo Roberto Tellechea Sanchotene - sancho.brasil@gmail.com

4 comentários:

Luiz Portinho disse...

é isso ai Sancho, semana de Libertadores, mas com atenção também nas finais da PIRATINI. EU QUERO ESSA TAÇA!

Paulo Roberto disse...

Jogo fraco. O 1-0 no intervalo foi até injusto. O Grêmio esteve pouco agressivo sem a bola, e com a bola pensou pouco.

O pênalti foi sensacional. O jogador boliviano tenta por a mão na bola e erra. Tira com o rosto, mas o juiz dá o pênalti mesmo assim.

Melhorou um pouco na segunda etapa. Tivemos sorte no segundo gol, mas apertamos um pouco mais e tocamos a bola com um pouco mais de qualidade. Foi suficiente…

P.S.: Que venha o Ypiranga!

San Tell d'Euskadi disse...

Como ficamos? Mundo Esportivo - Clássicos - Gre-Cruz?!

;-)

carol disse...

O Porto vai ganhar umas merecidas ferias depois de quarta feira. Eita vida boa...