terça-feira, maio 22, 2007

ANO I - NÚMERO 19




GIGANTE PARA SEMPRE


O Internacional lançou na última semana o projeto Gigante Para Sempre, que concretiza a idéia de manter o complexo Beira-Rio tal como idealizado quando de sua construção: o Maior Palco de Esportes do Sul do Brasil. Essa era a meta e sempre foi cumprida à risca; quase 40 anos se passaram da construção do Gigante e até hoje ninguém conseguiu construir nada que se aproximasse de nosso estádio. Acesse o vídeo
e confira não só a idéia do projeto, mas também imagens e momentos histórios da vida gloriosa do Beira-Rio.

NADA MUDOU
O Internacional não aprendeu com os erros do primeiro semestre. Seguimos acompanhando, semanalmente, a mudança do time e, pior de tudo, do esquema de jogo. A volta do 5-3-2 chama-derrota lá no Paraná foi de doer. O Colorado parecia um timinho do interior vindo jogar com a dupla gNAL pelo gauchão. A preocupação foi exclusivamente defensiva.

NADA MUDOU II
Foi constrangedor. Depois da expulsão de Maicon, então, me vi como um torcedor interiorano rezando para que o jogo terminasse logo. Ao invés de tirar um zagueiro (Titi estava mal e nervoso depois de marcar contra) para colocar Vargas no meio, recompondo o setor, Gallo mostrou medo e retirou Fernandão. Na seqüência, enquanto Renan operava milagres, tirou Pato para o ingresso de Iarley, na famosa troca do seis por meia dúzia.

NADA MUDOU III
Ao final, fomos merecidamente castigados pelo gol de Alex Mineiro aos 42 minutos. Justo o placar, vitória do time que perseguiu a vitória contra o clube que é campeão do mundo, mas joga como pequeno do interior. Podem apostar que para domingo, contra o Fluminense, teremos uma nova equipe, quem sabe num novo esquema. E tudo isso há menos de 10 dias do início da disputa da Recopa contra o Pachuca do México.

NADA VAI MUDAR
O pior é que o curso das notícias indica que nada vai mudar. Vargas está de malas prontas para sair. As contratações sinalizadas são Magrão e Magal, dois volantes limitados, posição para a qual já temos Edinho, Monteiro, Maicon e vários outros jogadores no plantel de juniores que poderiam suprir eventuais necessidades. Não se cogita a contratação de um zagueiro e de meias ofensivos. O panorama é terrível!

MIL GOLS
Estou contente com os 1000 gols de Romário. Foi um grande jogador e fora de campo sempre marcou sua vida por atitudes fortes. Sempre fui admirador da sinceridade e simplicidade do baixinho. Melhor de tudo, o gol número 900 foi marcado em cima do time do vizinho. Aliás, Romário, aqui nos pagos, simpatiza com o Colorado, porque, sinceramente, não me recordo de gols do baixinho contra o Internacional. Parabéns pelos 1000 gols Romário!

RÁPIDAS

Vai aí o golzinho de falta de Mineiro, para amenizar o pessimismo desta semana.


22 de maio de 2007, anotem: com essa falta de convicção e visão distorcida de futebol, o Internacional está se credenciando para lutar pela fuga do rebaixamento.

Renan, Ceará, Índio, Edinho, Rubens Cardoso; Wellington Monteiro, Perdigão, Fernandão e Alex; Iarley e Pato Alexandre.

Chega de invenções no Beira-Rio!

Saudações Coloradas, do ATUAL CAMPEÃO DO MUNDO,

Luiz Portinho –
lcportinho@yahoo.com.br



A MARGEM ORIENTAL DO URUGUAI

Porto Alegre e Montevidéu são as duas principais cidades de um mesmo território: a banda - a margem - oriental do rio Uruguai. Rio Uruguai que nos une, gaúchos e uruguaios. O mesmo rio que separa, a gaúchos e uruguaios, de brasileiros e argentinos. É por força desse rio que dividimos um mesmo território, um mesmo rincão, um mesmo pedaço de chão. A banda oriental do Uruguai.

Somos nações com história e culturas semelhantes; dois irmãos gêmeos, univitelinos. Cada qual, entretanto, tem sua própria personalidade, traduzida em língua própria. O idioma é barreira muito mais forte do que a fronteira existente apenas em mapas, em tratados diplomáticos, em cabeça de burocratas. É o que nos faz diferentes.

Gaúchos e uruguaios se respeitam e se admiram mutuamente. Ambos estão sempre a buscar esse exemplo que vem do outro.

Nós, gaúchos, desejaríamos ter a gana de encarar cada momento como se fosse o último e mais importante de nossas vidas. Gostaríamos de acreditar sempre que o sucesso sempre está a um esforço extra de nosso alcance. Sonhamos em encarar cada dia como uma metáfora de guerra. Ambicionamos ter a raça charrua que vemos incólume e indelével na alma do irmão.

Já os uruguaios, ao oposto, cobiçam nossa manemolência; essa nossa esperança de que tudo, no fim, sairá bem. Eles sentem falta da nossa alegria, do nosso bom humor mesmo diante das adversidades. Eles se ressentem do nosso poder de procurar o belo, de fazer graça. Dessa nossa capacidade de "levantar, sacudir a poeira e dar a volta por cima"; sempre. Em suma, os orientais olham para dentro de nós e reconhecem um otimismo constante, irritantemente incessante, que gostariam para si.

No futebol, as mesmas relações se mantém. Essas semelhanças e diferenças de manos. Amanhã à noite, dois times irmãos se enfrentarão no estádio Olímpico, com o mesmo objetivo. Um, de Porto Alegre; outro, de Montevidéu. Vencerá aquele que melhor souber repetir o outro. Se os gremistas jogarem com el cutillo entre los dientes; se impuserem-se diante dos uruguaios, em cada bola, em cada lance; se tiverem na face os olhos fundos de uma indignação contínua; se jogarem como se a partida tivesse 180 minutos; reverter o placar será uma forte probabilidade. Agora, se os uruguaios conseguirem relaxar; se jogarem com um sorriso irônico nos lábios; se conseguirem se manter com a bola; aí, dificilmente retornarão à Montevidéu sem a vaga.

Amanhã à noite, dois times irmãos se enfrentarão no estádio Olímpico, com o mesmo objetivo. Um tem mais história, tem mais glórias, tem mais torcida, tem um elenco mais caro e joga em casa. O outro carrega a vantagem de perder por dois gols diferença, não tem pressão, não teme pressão (!) e saiu ileso de um Maracanã lotado.

Quando era "matar-ou-morrer", passamos por Caxias (4-0), Cerro (1-0), Juventude (4-1) e São Paulo (2-0). Quando a "feiticeira" entra em campo, quando ela se coloca diante de um desafio à Imortalidade, o time cresce e nada parece impossível. Quis o destino colocar-nos à frente de uma peleia idêntica àquela do vizinho um mês atrás: jogo em casa, às 19h30min, contra um time uruguaio, necessitando de um três a zero. Espera-se que o resultado, mais uma vez, seja a nosso favor.

Será difícil. Nunca foi simples uma briga entre irmãos.

Saludos de um bi-Libertador de América e bicampeão gaúcho,
Paulo Roberto Tellechea Sanchotene - sancho.brasil@gmail.com

8 comentários:

lcportinho disse...

Parabéns Sancho, tua coluna está muito bem escrita tchê!

San Tell d'Euskadi disse...

Obrigado, Porto.

P.S.: Te ganhei de mão na notícia do teu estádio, hein?!

Ricardo A. - Colorado em SP disse...

Sancho..obrigado pela passada no meu blog... Até que um dia um comentário inteligente no blog vindo de um Gremista. Geralmente entram torcedores que só esculhambam, ou falam asneiras.. Parabéns pelos Blogs....

Ricardo A. - Colorado em SP disse...

Gostaria de tecer dois comentários mais, primeiro, por tomar a liberdade de lhe chamar de Sancho, e segundo por parabenizá-los pelos comentários do Blog, dei uma zapeada pela maioria dos blogs de gremistas espalhados pela Net, e nunca havia encontrado um com comentários legais da outra parte. Sempre, como comentei acima, eram comentários pejorativos sobre o inter, ou apenas enaltecendo o gremio, sem uma profundidade que este canal de discussão, no meu entendimento necessita. abraços novamente.

Tiago F. disse...

Valeu a propaganda feita lá no BV. Muito legal este blog. O resto o meu colega colorado já falou aí em cima. Vou começar a aparecer por aqui de agora em diante.

Saudações Vermelhas!

Tiago F. disse...

PS: A rivalidade é fundamental para a dupla greNAL. Precisamos cultivá-la de forma saudável e acabar de vez com a estupidez que impera entre alguns segmentos de AMBAS as torcidas. Parabéns novamente aos criadores deste espaço.

lcportinho disse...

Tiago e Ricardo, valeu a leitura pessoal. Nosso espaço é bastante antigo (antigamente escrevíamos a coluna CLASSICO no Jornal Mundo Esportivo), mas como a página terminou resolvemos editar o blog. Que bom q. vcs. gostaram; apareçam sempre! Saudações rubras, Portinho.

San Tell d'Euskadi disse...

Tiago e Ricardo, sintam-se à vontade. Esta casa também é de vocês.

Um abraço.