sábado, novembro 10, 2007

Ano I - Número 44


A coluna do Internacional foi publicada mais cedo nesta semana. Nosso colunista rubro embarca no domingo, 11/11, para o Rio de Janeiro onde participará do Campeonato Brasileiro de Basquete sobre Cadeira de Rodas juntamente com a equipe do RS ParaDesporto. Desejamos toda a sorte a ele e ao restante do time.


MANO NÃO QUER FICAR

Esta é a impressão que ficou depois da derrota por 1x0 frente ao São Paulo. Como ele mesmo havia condicionado a sua presença no GRÊMIO em 2008 à vaga na Libertadores, ele parece estar fazendo de tudo pra que o GRÊMIO não se classifique. Ontem, um time totalmente sem ambição entrou no Morumbi pra enfrentar o bicampeão brasileiro.

Aliás, quando saiu a escalação e nela estavam Patrício e Ramon, já estava claro que iríamos sair derrotados do Morumbi. Bastava saber de quanto.

Já diz o meu pai, do alto de sua experiência como espectador de futebol: “time que entra pra empatar acaba perdendo”. E ficou claro que o gol do São Paulo era uma questão de tempo quando, na saída do primeiro tempo, os jogadores exaltavam a marcação e o empate. Primeiro tempo este que o GRÊMIO entrou a não jogar, com duas linhas de quatro jogadores e nenhuma ambição de ataque. Um jogo sonolento, sem maiores chances pra ambos os lados. Apenas lances fortuitos de ataque, como a cabeçada do Marcel que explodiu na trave do Rogério Ceni.

O gol do São Paulo veio aos 9 minutos do 2º tempo num lance de pênalti discutível, pois a falta me pareceu fora da área. Cobrança de Rogério Ceni, gol do São Paulo.

Daí pra frente assisti mais uns 10 minutos de jogo, e como o GRÊMIO continuava sem ambição, sem atacar, com o mesmo esquema de quem entrou pra empatar, deixei a TV ligada e fui fazer outra coisa. O jogo continuou exatamente igual.

Agora, o GRÊMIO só vai pra Libertadores se o coiote pegar o papa-léguas.


SEMANA SEM FUTEBOL


A semana que vem por aí nos reservará jogos da seleção brasileira pelas eliminatórias. Portanto, não haverá rodada do Brasileiro. América-RN X GRÊMIO só na outra semana. Agora, devemos concentrar no único objetivo que restou neste campeonato: terminar na frente do time do vizinho.

Então, semana que vem comento mais sobre as projeções de 2008.


A SEMANA NO STJD


Semana passada, comentava sobre os julgamentos nos quais o GRÊMIO se via envolvido nesta semana.

Na quarta-feira, o Pelaipe saiu condenado com 1 ano de suspensão por suas declarações contra membros do STJD. Embora nossos ouvidos estejam livres das declarações dele por este período, dá pra entender que é complicado o que o tal tribunal anda fazendo. Não se pode dizer nada contra eles, mas uma auditora do STJD pode declarar que o GRÊMIO é um time violento sem que nada aconteça com ela. Isto, no mínimo, é cercear o direito da livre expressão.

Na quinta, o GRÊMIO saiu absolvido dos incidentes no GRE-nal. Já havia sido absolvido anteriormente, mas a procuradoria recorreu e a absolvição se confirmou.

Na sexta-feira, Eduardo Costa pegou 120 dias depois da inédita denúncia por uma narração de rádio, como se não bastassem as denúncias feitas por imagens de TV. E o Tcheco pegou 2 jogos de suspensão por ofensas morais ao árbitro.

Enquanto isto, o venezuelano naturalizado chileno Valdívia pegou apenas 5 jogos pelos dois socos que deu nos adversários no jogo contra o Vasco. Ele tinha sido denunciado por agressão, mas no final das contas acabou sendo descaracterizado pra ato de hostilidade, cuja pena é bem menor. Daí fica bem claro uma coisa: soco do Gavilán é agressão. Soco do Valdívia é ato de hostilidade. Mas, como eu não sou dirigente e não corro risco de suspensão, posso reproduzir aqui as palavras de um amigo meu de listas de discussão, que diz que esperar coerência do STJD é a mesma coisa que esperar que o Papai Noel apareça pela lareira de uma casa que não tem chaminé.


MAYLSON

O garoto estreou na fogueira. Foi largado logo de cara contra o São Paulo em pleno Morumbi. Teve uma estréia discreta, mas não comprometeu. Foi razoavelmente bem num jogo onde ninguém jogou bem. Mas pelo jeito o guri promete. É de se observá-lo com mais cuidado depois de uma seqüência de jogos.


RAPIDINHAS

Rosinei não vem mais. Ontem, soube-se que ele ingressou na justiça tentando romper o pré-contrato que ele tinha com o GRÊMIO. Soube-se também que ele havia recebido R$ 500 mil na assinatura, dinheiro este que ele não quer devolver. A polêmica está formada.


Jadílson poderá ser o lateral-esquerdo para 2008. Especula-se que o São Paulo estaria negociando com o GRÊMIO o empréstimo dele e do meia Hugo, que jogou no GRÊMIO em 2006, pelo período de um ano.


O GRÊMIO renovou o empréstimo do zagueiro Teco até junho de 2008. O atleta pertence ao Cruzeiro.


Desejo boa sorte ao Portinho no campeonato de basquete em cadeira de rodas. Este colunista está na torcida pelo time do RS Paradesporto.


Saudações do dono do Rio Grande,


Leonel Knijnik (DJ Aldebaran)
Gaúcho por Tradição e Gremista de Coração

EU ESTAVA LÁ

Mais uma vez senti o quanto é bom ser Colorado. A vitória contra o Cruzeiro foi daquelas de orgulhar. Com gol de falta aos 47 minutos da segunda etapa; com gol de pressentimento; num daqueles lances mágicos que só o futebol proporciona. No exato momento em que o árbitro correu em direção ao local da falta, o sentimento do gol. A cobrança milimétrica de Alex no canto oposto ao arqueiro Fábio. Uma grande e inesquecível história!


O ÓBVIO I

Futebol não tem tantos mistérios como se imagina. Quem faz o óbvio, raramente se arrepende. O Internacional entrou contra o Cruzeiro torto, com Alex novamente (e equivocadamente) desperdiçado na lateral esquerda; com três zagueiro e dois volantes. Exatamente como manda a boa cartilha do 3-5-2 chama derrota. Fomos amplamente dominados na primeira etapa.


O ÓBVIO II

No segundo tempo a equipe cresceu e tomou as rédeas do jogo. Basicamente, pela entrada de um lateral esquerdo de ofício na equipe (J. Luís) com a transposição de Alex para a meia cancha. Somado a isso, Jonas, mesmo com todas as suas limitações, ganhou liberdade para apoiar pela direita. Daí por diante o Cruzeiro não enxergou mais a meta do Inter e passamos a dominar por completo as ações.


O ÓBVIO III

Apenas o ingresso de um lateral esquerdo transformou completamente o modo de jogar. Com a equipe bem balanceada, mesmo que no esquema 3-5-2, tivemos boas opções pelas duas laterais do campo e o Cruzeiro já agradecia o empate em oxo quando Alex cobrou aquela falta magistral.


CELEIRO DE ASES I

Fui ao estádio sem saber os onze que entrariam em campo, tamanhos são os mistérios de uma escalação no atual momento do futebol (para que tanto mistério hein ?). Ao ver a equipe entrando no gramado tive mais uma decepção ao ver o 3-5-2 chama derrota com 2 volantes e Alex na ala esquerda. Mas, por outro lado, tive grande satisfação ao ver 4 jogadores formados em nossos canteiros na equipe: D. Morais, Sidnei, Roger e Nilmar.


CELEIRO DE ASES II

D. Morais, por sinal, mais uma vez, confirmou sua condição de ótimo zagueiro pela direita. Sidnei já provou seu potencial e é nome garantido no plantel para 2008. Ainda aguardo oportunidades para J. Guilherme, o capitão da seleção brasileira no último título mundial sub-20. Não é só no ataque que nossa forma é diferenciada. Nosso Celeiro de Ases não para de fabricar, também, ótimos zagueiros.


O DIA EM QUE O VIZINHO SE VESTIU DE VERMELHO

Sim, P.R. Sanchotene (o titular da coluna) foi visto nas arquibancadas superiores do Gigante da Beira-Rio, empunhando bandeira e amuletos Colorados. Tudo em nome da classificação de sua agremiação para a Libertadores. E olha, o vizinho assistiu a uma grande e triunfal vitória. Lá pelas tantas, ouviu a macacada entoar o famoso “atirei o pau no grêmio”. E, tchê, quem estava próximo jura de pé junto que ele, contagiado, até cantarolou alguns versos. Fica a pergunta: gostaste da experiência, Sanchotene ?!


Da Redação:

RÁPIDAS

Adianto a coluna desta semana e a redijo no sábado, logo após a vitória contra o Cruzeiro.

Explico: estarei no Rio de Janeiro na próxima semana disputando com o RS PARADESPORTO o Campeonato Brasileiro de Basquete em Cadeira de Rodas.

Maiores informações clique em RS PARADESPORTO ou CBBC.

Mas não fujo da raia vizinho; e já vou logo deixando meu palpite para o jogo de amanhã: São Paulo 3x0.

Campeonato Brasileiro 2007 terminou para nós, agora sim estamos em ritmo de férias.

Mas vocês já se deram conta dos desígnios do futebol ? Nossos próximos adversários são Palmeiras e Goiás, justamente os principais adversários, na tabela, do vizinho e do Corinthians, respectivamente.

Que grande final de ano reservou para nós o responsável pela confecção de carnês da CBF. Vamos entregar um kit colorado a este cidadão!

Façam suas apostas: será que o suplente de vizinho comenta esta semana o último episódio de página policial envolvendo seu clube ? Vários dirigentes e ex-dirigentes azenhanos estão envolvidos na máfia do DETRAN.

É mais página policial. É mais aplicação de Código Penal neles! Vergonha!

Vem aí o Mohammed bin Rashid International Football Championship, vulgo Dubai Cup.

Assim como o G7 (7 clubes que sempre estiveram na PRIMEIRA DIVISÃO), a Dubai Cup é só para quem pode, viu vizinho!?!

Sport Club Internacional, cada vez mais, entre os Gigantes do futebol mundial. E dentro de campo e não em pesquisas ou rankings.

Saudações rubras, do DETENTOR DA TRÍPLICE COROA, ATUAL CAMPEÃO MUNDIAL e GUAIBEIRO ATÉ A MORTE!!!


Luiz Portinho – lcportinho@yahoo.com.br

5 comentários:

San Tell d'Euskadi disse...

Sabia que ia sobrar para mim!

Peguei chuva, assiti um jogo para lá de ruim, mas valeu pela derrota do Cruzeiro. Devo voltar contra o Palmeiras.

Eu saquei uma foto no estádio. Vou publicá-la assim que possível...

Paulo Roberto disse...

Aldeba,

Que outro time se poderia colocar em campo no domingo? A única alternativa era esperar o São Paulo e especular. Não tínhamos como jogar diferente. A prova está quando tentamos atacar para empatar o jogo e absolutamente nada aconteceu.

Te deixo a pergunta: por quanto tempo tu agüentarias ser subordinado ao Pelaipe?

DJ Aldebaran disse...

Não sei. Já fui subordinado a gente muito pior aqui, principalmente na época do PT. E meu salário é infinitamente inferior ao de um jogador de futebol. Portanto, ser subordinado ao Pelaipe não é desculpa pra inoperância. Principalmente ganhando o que eles ganham.

San Tell d'Euskadi disse...

Não, Aldeba, não é isso. Não me refiro ao rendimento, mas ao desejo do Mano ir embora.

Gremista Vigilante disse...

Mesmo sem sair do meu mau-humor habitual, tenho que admitir que esse blog de vocês é divertido pacas.