terça-feira, janeiro 11, 2011

Ano V, Número 204



GRÊMIO, RONALDINHO "CARIOCA" E LUPICÍNIO


Em setembro, o Grêmio foi procurado por Assis. Ele disse que o irmão tinha interesse em disputar a Copa do Mundo e queria voltar ao Brasil, principalmente para Porto Alegre. O Grêmio respondeu positivamente e iniciou-se as negociações.

Você sabe o que é ter um amor, meu senhor?
Ter loucura por uma mulher
E depois encontrar esse amor, meu senhor,
Ao lado de um tipo qualquer?

Há quem critique o Grêmio por não ter procurado o Milan. Discordo. Primeiro, porque o Palmeiras fez isso, e perdeu do mesmo jeito. Mas não é só isso. O fundamental é que para o clube, a informação dada por Assis é que o desejo era jogar no Grêmio e apenas no Grêmio.

Você sabe o que é ter um amor, meu senhor
E por ele quase morrer
E depois encontrá-lo em um braço,
Que nem um pedaço do seu pode ser?

Claro que nessa história sempre houve três partes, e a necessidade de três "sim". Se o que se diz é verdade, e parece que foi, o Assis procurou o Grêmio e as duas partes chegaram num acordo. A partir de aí, Assis ficou encarregado de buscar o "sim" do Milan.

Há pessoas de nervos de aço,
Sem sangue nas veias e sem coração,
Mas não sei se passando o que eu passo
Talvez não lhes venha qualquer reação.

Detalhe: Assis não iria representar o clube, mas o Ronaldinho junto ao Milan. Não haveria nunca um "Grêmio-Milan" nessa história. Pelo combinado, o Assis ia defender o direito do Ronaldo de jogar onde bem quisesse. Para o Grêmio, o que interessava era o "eu quero voltar". Como o Milan não queria mais o jogador, e se acreditava que ele queria voltar ao Grêmio, o acerto seria questão de TEMPO.

Eu não sei se o que trago no peito
É ciúme, é despeito, amizade ou horror.
Eu só sei é que quando a vejo
Me dá um desejo de morte ou de dor.

Se o Milan apertasse muito, correria o risco de ficaria com o problema (um atleta que não quer mais jogar no time) por mais seis meses, até o fim do contrato. No mais tardar, na janela de agosto, ele seria apresentado em Porto Alegre. O Milan nunca entrou na jogada, como disse o Assis para o David Coimbra. Ele sempre esteve nela.

O fato de o Ronaldinho não estar disposto a jogar só no Grêmio é que criou a brecha para o Milan (e Galliani, lógico) levar algum no negócio. Deve ter levado mais do que poderia imaginar e ainda se livra de pagar o salário do Ronaldo por mais cinco ou seis meses. Baita negócio!

Quem há de dizer
que quem você está vendo
Naquela mesa bebendo
É o meu querido amor
Repare bem que toda vez
que ela fala
ilumina mais a sala
Do que a luz do refletor

O Grêmio, se errou, foi por ter se exposto, por ter acreditado na palavra de com quem negociava. Não errou na negociação em si.

O cabaré se inflama
Quando ela dança
E com a mesma esperança
Todos lhe põe o olhar
E eu, o dono,
Aqui no meu abandono
Espero louco de sono
O cabaré terminar

O negócio com o clube foi frustrado porque o Grêmio não era a única opção, como se imaginava que fosse pela direitoria, como lhe fora dito pelo procurador do Ronaldo desde o ínicio. Tivesse Assis (o Ronaldo não decide NADA) batido o pé "é o Grêmio ou o Grêmio", e a bomba ficaria no colo dos italianos. O Galliani estava confortável porque havia briga para contratar o jogador.

Rapaz! Leva essa mulher contigo
Disse uma vez um amigo
Quando nos viu conversar
Vocês se amam
E o amor deve ser sagrado
O resto deixa de lado
Vai construir o teu lar

Na cabeça dos dirigentes do Grêmio, a situação era simples: ele quer jogar aqui, e está tudo acertado entre a gente; se o Milan disser "sim" AO RONALDO, ele chega para a Libertadores; se disser "não", chega para o Brasileiro em agosto (se bobear, como reforço para o Mundial).

Palavra! Quase aceitei o conselho
O mundo, oh, este grande espelho
Que me faz pensar assim
Ela nasceu com o destino da lua
Pra todos que andam na rua
Não vai viver só pra mim

Se o Assis não tivesse aberto e mantido negócios com outros clubes (e, frise-se, o Palmeiras foi o PRIMEIRO), o Milan teria duas opções: liberar o atleta e se livrar dos custos; ou, então, não liberar, ficar com um jogador que não quer atuar pelo clube, e pagar os salários devidos até o fim do contrato (junho de 2011).

Estava tudo dentro do script até quinta-feira. Na sexta, o Ronaldo chegaria a Porto Alegre, e faria valer sua vontade. Fecharia com o Grêmio, seria anunciado com pompa e circunstância, e ficaria na dependência da liberação do Milan para jogar já, ou em julho/agosto livre do contrato. Mas, aí, ele ficou no Rio, e o desfecho todos já sabem.

Eu gostei tanto,
Tanto quando me contaram
Que lhe encontraram
Bebendo e chorando
Na mesa de um bar

Quando o negócio mostrou-se distinto daquele acordado e debatido por meses, o Grêmio fez o que devia e saltou fora. E, ao que parece, saltará fora da Traffic (o que é bônus, mesmo que deva custar a não-vinda de Coates).

E que quando os amigos do peito
Por mim perguntaram
Um soluço cortou sua voz,
Não lhe deixou falar.

No fim, houve o seguinte: Milan e Assis usaram os clubes para tirar mais dinheiro do negócio. Grêmio e Palmeiras foram utilizados como "bois-de-piranha", e o Flamengo mordeu a isca. Se os dirigentes dos clubes estão ressentidos é porque se sentem usados. Se os discursos soam como os de vítima é porque foram mesmo! Assis MENTIU durante toda a negociação com Grêmio e Palmeiras.

Eu gostei tanto,
Tanto, quando me contaram
Que tive mesmo de fazer esforço
Pra ninguém notar.

Tirando a total falta de ética na negociação, o negócio fechado entre as partes derradeiras parece perfeito: o Milan se livra de uma bomba, economiza e ainda põe algum no bolso; os envolvidos ganham polpudas comissões; o Ronaldinho fecha por um baita salário e vai morar numa cidade cheia de atrativos; e o Flamengo contrata um ídolo que acrescenta qualidade ao grupo, empolga a torcida, e entende que o jogador vale o que será pago. Todas as partes envolvidas saem satisfeitas.

O remorso talvez seja a causa
Do seu desespero
Ela deve estar bem consciente
Do que praticou,
Me fazer passar tanta vergonha
Com um companheiro
E a vergonha
É a herança maior que meu pai me deixou.

Se Ronaldinho e Flamengo continuarão assim, é outra história. De minha parte, lamento tanto o desfecho da negociação, bem como seu desenrolar, mas acho que o Ronaldinho terminou no clube certo. Para funcionar o que ele se propõe a fazer, só atuando na Gávea, mesmo. E não se trata de desmerecer o Flamengo, muito pelo contrário. Eles são assim, eles gostam de ser assim, funciona para eles e não interfere nos outros clubes. Então que assim seja...

Mas, enquanto houver força em meu peito
Eu não quero mais nada
Só vingança, vingança, vingança
Aos santos clamar
Ela há de rolar como as pedras
Que rolam na estrada
Sem ter nunca um cantinho de seu
Pra poder descansar.

Não vejo a hora da CBF liberar o carnê do Brasileiro. Quando será Grêmio-Flamengo no Olímpico?

Que comece a temporada!

Saudações imortais,
Paulo Roberto Tellechea Sanchotene - sancho.brasil@gmail.com





IMAGENS QUE VALEM MAIS DO QUE MIL PALAVRAS


Queridos leitores. Peço perdão, mas essa semana não tenho nada para escrever; não consigo escrever porque ainda estou com dor nos carrinhos de tanto das gargalhadas e, como diz o sábio e antigo ditado, uma imagem vale muito mais do que mil palavras. Deixo-os com as imagens então:

kkkkkkkkkkkkkk

Perdoem-me. Semana que vem estou de volta!

E se alguém tiver a fita com a gravação da entrevista do P. Odone dizendo que se livraram de uma bomba, porque teriam de aguentar o Ronaldo-inho por 4 anos, eu quero uma cópia dessa pérola. Vou colocar na estante junto com a gravação do F. Obino, rebaixado para Segundona e declarando que o site da azenha era o melhor do mundo. Tchê, são coisas que só acontecem na azenha. E é bom ser vizinho da azenha. COMO É BOM, TCHÊ!

Saudações rubras, do CAMPEÃO DE TUDO, DONO DA ALDEIA (39*) e SEMPRE NA PRIMEIRA DIVISÃO.

Luiz Portinho - mais de 700 jogos no Gigante da Beira Rio

3 comentários:

Rômulo disse...

MUITO BOM, sancho!
feliz 2011

Paulo Roberto disse...

Obrigado, Arbo.

Um abraço e um feliz 2011, também.

DJ Aldebaran disse...

Por favor, né Porto! Sem propaganda pra minha concorrente no bloGREnal!