quarta-feira, março 02, 2011

ANO V - NUMERO 211

FORÇA, RENAN!

A coluna desta semana é dedicada ao goleiro Renan, do co-irmão, que perdeu sua mãe em um acidente de carro esta semana. Seu pai está em estado grave. Muita luz pro Renan e uma pronta recuperação ao seu pai.


SOBRE O GRÊMIO

Me pegaram de surpresa nesta semana, por isso acabei atrasando a coluna e fazendo-a na pressa. Rapidamente, o GRÊMIO vem enfrentando certa dificuldade com alguns dos adversários, principalmente quando nos é imposta forte marcação. O jogo contra o León de Huánaco, do Peru, ilustrou bem isto. Vencemos por 2x0, mas achamos um gol no final do 1º tempo e acabamos fazendo o 2º de pênalti. A penalidade aconteceu, no entanto não são todos os juízes que marcam. Mas enfim: o GRÊMIO hoje está líder do seu grupo, mas com um jogo a menos do que o Junior de Barranquilla.

O próximo jogo será novamente contra o León, desta vez no Peru. Dia 17/03, às 17h.


PAULÃO: UM NEGÓCIO “DA CHINA”, LITERALMENTE

O zaqgueiro Paulão deixou o GRÊMIO nesta quarta-feira, vendido por R$ 4,5 milhões ao futebol chinês. Além do negócio rentável, veio em uma boa hora, pois o “caveirão” vinha sofrendo contestações por parte da torcida por não repetir as mesmas atuações do ano passado. Portanto, foi bom para ele, para o clube e também para a torcida, que fica com uma imagem positiva do agora ex-dono da camisa 3 gremista.


TAÇA PIRATINI

O GRÊMIO enfrentará nesta quarta-feira de cinzas o Caxias pela final da Taça Piratini. A exemplo do ano passado, o GRÊMIO tentará conquistar o primeiro turno para ficar mais tranquilo no segundo, com a diferença que este ano tem Libertadores. Portanto, a conquista da Taça Piratini tem também a questão estratégica, pois garante o clube nas finais do Gauchão.


PARA FINALIZAR

O amigo Sancho estará afastado durante todo o mês de março, e eu o substituirei neste espaço durante o período.


Saudações imortais,

Leonel Knijnk (DJ Aldebaran)
Conselheiro do GRÊMIO FBPA
Gaúcho por Tradição e Gremista de Coração





.
TEMPO P/ ROTH
.
A eliminação da Taça Piratini nos premiou com 15 dias de inter temporada (embora recém tenhamos saído da pré-temporada). É claro que não quero festejar a eliminação (pelo contrário); mas o fato é que precisamos aproveitar essa quinzena de treinamentos, mesmo que não tenhamos jogado mais do que 5 partidas com o time principal. Recuo lembranças a 2008, quando C. Roth, à época D. T. na vizinhança, foi eliminado do Gauchão, pelo Juventude, no domingo, e da Copa Brasil, pelo Atlético Goiano, na 4ª feira; e nessa conjuntura teve 40 dias de folga para arregimentar seu grupo e treiná-lo, praticamente sem reforços, rumo a uma grande campanha no longo certame nacional (até que entregou uma vantagem de 11 pontos para o São Paulo de Muricy – como esquecer? ). Melhor ainda - para nós Colorados - a lembrança das providenciais paradas de Copa do Mundo de 2006 e 2010, que foram elemento chave em nossas campanhas do Bicampeonato da Libertadores. Nos 15 dias em curso recuperaremos D’Alessandro, Tinga, Sobis e Bolivar. E Roth terá tempo de sobra para perceber, analisar e corrigir os equívocos grosseiros até agora cometidos.
.
TAÇA COMPLICADA I
.
Nossa chave é das mais fáceis da Libertadores ? Sim, não resta dúvida (talvez só a do vizinho seja mais débil). Mas o fato é que precisamos comemorar os 4 pontos em 6 disputados. O Fluminense, por exemplo, conquistou 2 pontos em 6 (e com duas partidas no Rio de Janeiro), numa chave complicada aonde América do México, Nacional e Argentinos Jrs. parecem mais credenciados a disputar as duas vagas. O Peñarol levou um “currupio” do Independente em Avellaneda (4x0) em outra chave muito complicada que ainda tem o argentino Godoy Cruz e a LDU. O Santos terá dificuldades contra Colo Colo e Cerro Porteño. O time do vizinho, por exemplo, numa chave ridícula, perdeu para o Junior de Barranquilla, e, caso não vença seu o próximo compromisso contra o em Huanucu (?!) do Peru, pode complicar as chances de classificação (no mínimo jogará com a guilhotina sobre o pescoço os 3 jogos do returno).
.
TAÇA COMPLICADA II
.
A partida frente o Jaguares não serve de parâmetro. Mas o fato é que fizemos o dever de casa e bem feito. O adversário, além de fraco, possui baixa estatura, o que facilitou - e muito - nosso trabalho, através do jogo aéreo. Com um adversário limitado, ficou fácil para o INTERNACIONAL construir uma vitória folgada, mesmo atuando num esquema de jogo equivocado, com 3 volantes sobrepondo-se num setor em que apenas 1 jogador daria conta do recado – diante da inoperância ofensiva dos mexicanos. Pode-se dizer que na última 4ª feira tivemos 2 jogadores a menos em campo.
.
TAÇA COMPLICADA III
.
Em contrapartida, no setor de criação vimos muito pouco. Zé Roberto, já se pode dizer, não tem condições de estar entre os 11 – ainda mais quando Sóbis, D’Alessandro e Tinga estiveram a disposição. Para piorar foi escalado sozinho e encarregado de um verdadeiro latifúndio no setor de criação. Foi um desastre, para dizer o mínimo. A verdade é que vencemos o Jaguares, basicamente e graças às jogadas de bola parada. Roth deve agradecer, e muito, a Bolatti, pelos quatro pontos conquistados e pela manutenção de seu emprego. O argentino fez 3 dos 5 golos do time e foi figura chave nas duas partidas.
.
COISAS DA ALDEIA I
.
Guiñazu, “El patron de la cancha”, é a reportagem que assisto no programa “Hablemos de Futbol”, na ESPN das Américas. Tecem elogios rasgados ao volante e à sua atuação diante do Jaguares. De fato, ‘El Cholo’ é um jogador de regularidade impressionante e que, mesmo escalado em função na qual não rende todo seu futebol, é capaz de realizar uma grande partida. Mas, aqui na Aldeia, recebe críticas e andam dizendo que não é mais o mesmo de antes.
.
COISAS DA ALDEIA II
.
Desde que regressou da Alemanha, Tinga teve atuações de uma regularidade impressionante. Foi sempre aquele jogador nota 7/8. Essa regularidade, aliás, foi a marca de toda sua carreira. Tinga jamais foi o jogador espetacular; nunca foi um meia de desequilibrar. Pelo contrário, foi sempre um trabalhador da meia cancha, que prima mais pelo desarme do que pela construção. Mesmo assim, foi figura chave na conquista do Bicampeonato (na reta final) e, mesmo no desastre de Abu Dabi, esteve cara a cara com o golo do Mazembe. Pois aqui na Aldeia o tem por ex-jogador e suas atuações são alvo de críticas incessantes. Sua titularidade é contestada, mesmo que o candidato a ocupar sua vaga seja W. Matias.
.
COISAS DA ALDEIA III
.
L. Damião é o goleador do time. Anotou mais de 5 golos nesse começo de temporada, com média superior a 1 por partida. O engraçado e que não se fala mais em média de gols, estatística espúria que serviu tanto para os defensores do inoperante Alecsandro nas últimas 2 temporadas. Pois mesmo anotando golos e produzindo ótimas atuações (dentro de um time absurdamente escalado com 3 volantes e apenas 1 homem solitário a frente – justamente ele), Damião é alvo de críticas. No começo da partida contra o Jaguares, narrador e comentarista da subsidiária local da Rede Globo lembravam, cada vez que o guri tocava na bola, dos “golos perdidos em Guayaquil”. Calaram a boca depois que o jovem centroavante, em lance de oportunismo e posicionamento, anotou mais um em sua estatística.
.
MUNDIAL 2014 - I
.
O Ministro dos Esportes esteve em Porto Alegre na última semana para vistoriar obras e "colocou a faca no pescoço" da direção Colorada. Exige que o INTERNACIONAL ofereça garantias. Na realidade, o que o Sr. O. Gomes, em nome da Casa Bandida (para não dizer da FIFA) quer é que o INTERNACIONAL entregue a obra para uma empreiteira. As 12 sedes do Mundial foram entregues a 4 empreiteiras e o fato de o INTERNACIONAL empreender sua reforma com recursos próprios desestabilizou o "esquemão". Daí a pressão atual.
.
MUNDIAL 2014 - II
.
A realização da reforma com recursos próprios é sim possível. Já foram arrecadados R$ 50 milhões (R$ 28 na venda do terreno da Rua Silveiro e R$ 21 da venda de Suites e Camarotes). Esse dinheiro possui destinação exclusiva para as reformas e, portanto, não se pode falar do conhecido deficit de caixa como empecilho para sua utilização nas obras. O custo total do projeto é de R$ 150 milhões. E aí está incluída a cobertura - parte mais cara aliás - que pode ser dispensada, por não ser parte do caderno de encargos da FIFA. Então, senhores, a Casa Bandida e o Sr. Ministro dos Esportes que tentem vender o seu peixe podre em outro mercado.
.
RÁPIDAS
.
O mais engraçado do noticiário da visita do Sr. Ministro a Porto Alegre foi que, na véspera, se informava que haveria visita no Beira-Rio, pela manhã, e à Arena Humaitá, no período da tarde.
.
Engôdo. Obviamente não houve visita alguma a Arena.
.
E cabe a pergunta ao vizinho: tivessem levado o Sr. Ministro ao Humaitá, o que ele teria encontrado por lá, hein vizinho ?
.
Com a parada de 15 dias, sobrou um final de semana de folga para os jogadores.
.
D’Alessandro foi visto nas arquibancadas de “La Paternal”, em Buenos Aires, assistindo à partida entre Argentinos Jrs. 1x1 Velez Sarsfield (dois argentinos que disputam essa edição da Copa Libertadores)
.
Atuação de gala, com direito a golaço, de A. Pato na vitória do Milan por 3x0 sobre o Napoli.
.
Resultado praticamente garante o scudetto para o conjunto milanês sobre os sulistas que eram seu perseguidor mais próximo
.
Aliás, torcedores napolitanos que devem estar odiando o Celeiro de Ases COLORADO. Afinal de contas, na última 4ª feira foi a vez de Nilmar anotar um dos golos da vitória do Villareal sobre os italianos pela Copa UEFA. Nilmar que está jogando muita bola com a camisa do “submarino amarelo”.
.
E já que falamos de Colorados pelo mundo, W. Renteria, o Saci Colorado, regressando ao futebol colombiano, marcou 2 em sua estréia com a camisa do Once Caldas, na vitória de 3-2 sobre o Cartagena.
.
R-inho marcando golo de falta e erguendo Taça Guanabara. Borges marcando 3 golos e pedindo música. ISSO É FANTÁSTICO!
.
É o time do vizinho rompendo com o Clube dos 13 e se "carioquizando" cada vez mais...
.
Saudações rubras, Luiz Portinho – mais de 700 jogos no Beira-Rio

2 comentários:

jo disse...

A ironias ver os pijamas esfaqueando pelas costas o maior vencedor da história gremista em troca do maior salafrário André Sanches...me lembra a estória do sapo e do escorpião : a trapaça tá no DNA (ver tapetão 92) mesmo que isto resulte em se matar já que é obvio que negociando separado quem ganha é a Globo pois ela usará a máxima : dividir para controlar...

Paulo Roberto disse...

Quantos jogos mais sacando o Carlos Alberto e colocando o Collaço, o Renato se convencerá que o Cazalbé tem que ir para o banco?!